Três anos depois, PM que torturou Garotinho na cadeia do Rio enfim está sendo processado

O ex-governador Anthony Garotinho prestando depoimento após denunciar que foi agredido Foto: Reprodução

Garotinho disse ter sido torturado, mas ninguém acreditou…

Filipe Vidon
O Globo

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou o policial militar Sauler Campos de Faria Sakalem pela prática de tortura contra o ex-governador do Rio Anthony Garotinho. Segundo o portal de notícias G1, o policial é acusado de submeter Garotinho “a intenso sofrimento físico e mental”, enquanto o político esteve preso na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica.

De acordo com a denúncia, divulgada nesta quinta-feira, Sauler invadiu a cela ocupada pelo ex-governador na madrugada do dia 24 de novembro de 2017. Com um bastão parecido com um taco de beisebol, aplicou golpes em Garotinho e o ameaçou de morte. A ação teria ocorrido por volta de 1h50, quando o policial entrou na cela e ordenou que o político saísse da cama em que estava na cela B4.

TUDO COMPROVADO – Após dizer que Garotinho “gostava de falar muito”, desferiu um golpe com o bastão no joelho do ex-governador, que curvou-se de dor. Depois da agressão, Sauler sacou a arma da cintura, pisou no pé do político – provocando mais uma lesão -, e disse: “Só não vou te matar para não sujar para o pessoal aqui do lado”, referindo-se a outros presos custodiados no local.

“As lesões praticadas por Sauler em Garotinho foram comprovadas por meio de um vasto acervo documental, disponibilizado no inquérito policial instaurado para apurar a agressão, em especial pelo exame de corpo de delito realizado no ex-governador e pelas fotografias anexadas aos autos”, afirma o MPRJ.

O policial foi denunciado por infringir o artigo 1º, inciso II, da Lei 9.455/97, submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo. A pena prevista é de reclusão de dois a oito anos.

CAIXA 2 ELEITORAL – Anthony Garotinho foi preso em 2017 em decorrência de delação premiada de executivos da JBS, que afirmaram terem doado R$ 3 milhões via caixa 2 para a campanha dele ao governo do Rio de Janeiro em 2014. Ele foi solto 29 dias depois da prisão.

As agressões foram denunciadas pelo ex-governador no mesmo dia, no entanto, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) argumentava que Garotinho teria se auto lesionado e informou que ninguém passou pela ala onde ele estava preso.

No decorrer das investigações, o MP já havia divulgado uma perícia em que aponta várias falhas e indícios fortes de interferência humana no histórico de gravações das câmeras de segurança do presídio.

CÂMARA TRAVADA – Ainda em 2018, o órgão apontou que uma das câmeras registrou o momento em que Anthony Garotinho bate palmas para pedir socorro. Mas uma outra câmera apontada para o mesmo local não gravou esta ação, confirmando, segundo o laudo, o congelamento da imagem.

“Então ali é a comprovação técnica de que aquela câmera estava congelada. Que ela passou congelada durante toda parte do tempo porque ela não grava o que a que está em frente a ela conseguiu captar”, disse Maria do Carmo Gargaglione, da Divisão de Tecnologia do Ministério Público do Rio de Janeiro no parecer emitido em 2018.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Uma investigação fácil, com exame de corpo de delito e provas materiais (câmara travada). Mesmo assim, o Ministério Público levou mais de três anos para abrir processo contra o policial agressor do ex-governador. Na época, disseram que Garotinho estava mentindo. Ele tem muitos defeitos (todos nós temos), mas é incomparavelmente melhor do que Cabral, Pezão & Cia. Apesar de responder a vários processos por corrupção, não tem demonstração de enriquecimento ilícito e mora num apartamento de classe média no bairro do Flamengo. É um caso à parte na política do Rio de Janeiro. (C.N.)

5 thoughts on “Três anos depois, PM que torturou Garotinho na cadeia do Rio enfim está sendo processado

  1. Gosto muito da Clarissa. Filha dele. Tem projeto interessante enquanto na bancada do Rio. Pesquisou efeitos da saída da capital federal. Do dano. Não sei se foi à frente – dependia de união de toda bancada para discutir no Congresso. O RJ suportou as consequências. Há necessidade de reparação. E ainda assim a União reduziu royalties e retorna apenas algo próximo de 15% do total que arrecada no estado.

  2. Acho Garotinho um péssimo indivíduo que merecia mesmo ter sido preso. Mas NADA, ABSOLUTAMENTE NADA, justifica a tortura de uma pessoa. Olhe que, em certos casos, sou até a favor da pena de morte, devidamente justificada por uma corte isenta e autorizada pela lei. Espero que este tal de Sakalem já tenha morrido. Se não, que morra a pior das mortes, vítima de imenso sofrimento e, a seguir, vá para o inferno por toda a eternidade.

  3. O que Garotinho, Cabral, Pezão & Cia tem em comum?

    TODOS eles queriam mudar a situação dos royalties do petróleo no Rio de Janeiro.

    Pra quem não sabe, a situação há décadas é a seguinte: O Rio de Janeiro é o MAIOR produtor de petróleo do Brasil. Se o Rio de Janeiro fosse um país independente, ele seria membro da OPEP. 80% do petróleo do Rio vão para o resto do Brasil, e somente 20% dessa produção fica no Rio.
    Esses governadores que estão presos ou sendo julgados, não estão nessa situação porque eles são “corruptos”. Se fosse por isso os últimos 10 governadores de São Paulo eram pra estar na cadeia devido a desvios e lavagem de dinheiro que é do conhecimento de TODO MUNDO!

    Mas por que não vemos governadores paulistas sendo presos? Porque a elite paulista (liderada pelos Faria Lima) NÃO querem que o Rio de Janeiro fique com o petróleo para ele, e sim preferem ver o petróleo carioca, que é brasileiro, seja entregue para o exterior, do que na mão do Rio para ditar o crescimento do Estado do Rio de Janeiro, e consequentemente do Brasil. Por isso que os governadores corruptos de São Paulo devem ser poupados das investigações por crimes de corrupção.

    Reparem que tanto o Cabral, o Garotinho, O Pezão,…queriam mudar a questão do royalties do petróleo, e por isso caíram….

    O Cabral e o Pezão ainda foram mais além: ambos queriam impedir que a agua do Rio de Janeiro fosse entregue para São Paulo.

    O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, conseguiu ludibriar todo mundo na questão hibrida envolvendo Rio e São Paulo, alegando que o Rio Paraíba que passa em sua maioria no Rio de Janeiro, serviria para o crescimento de cidade paulistas, que, segundo ele, estavam em “desenvolvimento”.

    Tanto Cabral como pezão disseram NÃO para isso. Por isso que eles tiveram que cair com o apoio da mídia paulista, e dá própria Globo, que não tem nenhum apreço pelo Rio, mesmo sendo do Rio.
    Leiam sobre o assunto aqui:

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/03/captacao-de-agua-abre-disputa-entre-governos-do-rio-e-sao-paulo.html

    O RIO SUSTENTA O BRASIL E ESTÁ SENDO ROUBADO HÁ DÉCADAS!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *