Três perguntas que definirão o futuro da eleição presidencial

Nelson AlmeidaBernardo Mello Franco
O Globo

Parece que a eleição ainda não começou. Esta é a impressão deixada pela nova pesquisa do Ibope sobre a corrida presidencial. Depois de dois debates e uma batelada de entrevistas na TV, os candidatos praticamente não se moveram. A exceção foi Lula, que avançou quatro pontos. Preso desde o início de abril, ele agora lidera com 37% das intenções de voto.

Como o ex-presidente deve ser barrado pela Justiça Eleitoral, ficou tudo na mesma. Sem Lula, Jair Bolsonaro mantém a ponta, com 20%. Depois vem o pelotão intermediário: Marina Silva, com 12%, Ciro Gomes, com 9%, e Geraldo Alckmin, com 7%. O petista Fernando Haddad, que ainda é apresentado como o vice de Lula, aparece com 4%.

TRÊS PERGUNTAS – Faltam sete semanas para a eleição, e três perguntas devem definir o que acontecerá até outubro. São as seguintes: 1) Bolsonaro bateu no teto? 2) A TV empurrará Alckmin para o segundo turno? 3) Quantos votos Lula conseguirá transferir para Haddad?

Da primeira pergunta, depende o número de vagas em disputa. Com 20% dos votos totais, Bolsonaro parece ter um pé no segundo turno. Se ele subir mais, restará aos demais concorrentes brigar para enfrentá-lo. Neste caso, Marina, Ciro, Alckmin e Haddad se engalfinharão num jogo de Resta Um. Se o capitão tiver estacionado, todos continuarão no tabuleiro.

TEMPO DE TV – A segunda questão tem inquietado os tucanos. Ao abraçar o centrão, Alckmin apostou tudo na velha fórmula de garantir o maior tempo de TV. O problema é saber se o latifúndio eletrônico ainda terá tanto peso na era das redes sociais. “Não tenho certeza”, disse ao Globo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Se a resposta for negativa, Alckmin morrerá abraçado a Roberto Jefferson, Valdemar Costa Neto e outros aliados que cobraram caro por segundos de propaganda.

A terceira dúvida também continua no ar. O apoio de Lula será capaz de botar Haddad no segundo turno? O candidato do PT ainda é menos conhecido que os concorrentes diretos. Ele vai crescer nas próximas pesquisas, a questão é saber em que velocidade. Agora faltam apenas 47 dias para as urnas.

22 thoughts on “Três perguntas que definirão o futuro da eleição presidencial

  1. Bernardo Mello Franco, não é aquele jornalista do desastre do Roda Viva?
    Matéria excelente, não diz nada de nada, só duvidas, sem conclusões.
    Esse é o jornalismo moderno?, são esses tipos que querem pautar a moda?, os tais influenciadores, quem precisa deles?.
    Penas alugada a voar, e desinformar.

  2. Resposta a pergunta 1:

    Bozonáldio ainda não bateu no teto!
    Ele espera angariar todos os votos da galera LGBT do baixo Augusta Paulista.

    Como? Está armado para dia 4 de Outubro, em pleno debate na Groubo:
    Bousolnáldio e Alexandre Frota, ambos do PSL, tascando um beijão na boca, ao vivo e a cores para todo o Brasil.
    E só.
    O amor no PSL é líndio! ‘Botas de Elite’.

    PS: O Bozó, daqui pra frente, manterá-se caindo do teto, de cara.

  3. “Se a resposta for negativa, Alckmin morrerá abraçado a Roberto Jefferson, Valdemar Costa Neto e outros aliados que cobraram caro por segundos de propaganda.”

    -Poderão até cobrar caro. Mas serão os otários os pagadores do pedágio. E não será no Rodoanel…

  4. Faltam, João Amoêdo (Novo), João Goulart Filho (PPL), José Maria Eymael (DC), Vera Lúcia (PSTU) e a plena democracia também. Há que se entender que o pleito já começa viciado no Brasil a medida que as chances de se mostrarem ao eleitor fica restrita a normas que beneficiam somente aos grandes partidos. Temos quase 40 partidos que alegaram representatividade para serem formados, mas que na prática viraram apenas balcão de negócios. Em uma democracia verdadeiramente representativa, entende-se que cada partido tenha seu candidato e cada candidato tenha chances equivalentes de mostrar seus planos para o governo que pleiteiam comandar. O vício continua com a obrigatoriedade de irem as urnas. A multa é baixa, isso é apenas uma forma infame e indigna de responder. Não podem haver multas, e muitos não sabem que milhões são arrecadados com elas beneficiando diretamente aos partidos políticos que a criou. Não basta autoritariamente obrigar, precisa-se arrancar mais algum com isso. Isso com a ajuda da mídia, criamos uma forma de eleitor sem força, sem consciência, sem vontade política para se proteger dos canalhas. Verdade que os primeiro a sentir são os pobres, mas quando um país afunda, afunda com todos e a parte que se diz raciocinar, SERÃO SEMPRE OS MAIORES CULPADOS, não poderão contar com a ignorância como escudo.

  5. Faltou uma quarta pergunta: o que vai acontecer com os mais de 50% dos votos proclamados indecisos, brancos e nulos.

    Até agora têm se mantido num percentual estável, mas isso vale para todos os outros, e é certo que vai haver migrações a medida que as eleições se aproximem.

    Dois fatores contribuem para essa estagnação:

    As pesquisas, que colocam os candidatos como cavalos de corrida no prado; a discussão se reduz a números, quem é favorito, quem corre por fora, etc., indiferenciando uns dos outros.

    As manobras do lulopetismo, que monopoliza o debate, circunstrito às tramoias praticadas com o único objetivo de tumultuar o processo e colocar os outros candidatos, sobretudo os mais sérios, na defensiva.

    A pergunta que fica é: quem forma essa maioria silenciosa? Pois só ela pode nos salvar do caos.

    • P. S. – Parece que há uma limitação dos próprios candidatos, que não conseguem se desvencilhar dessa armadilha e construir um discurso que se dirija a esse público. Aquele que o fizesse teria grandes chances de avançar na disputa.

  6. Faltou uma quinta pergunta:

    Como que o novo presidente resolverá a crise dos venezuelanos que estão vindo aos borbotões para o Brasil, via Roraima?

    Esta semana, os imigrantes tiveram seus pertences queimados e expulsos de Pacaraima, norte de Roraima.

    Como fazer para evitar as doenças, a fome, a sede, a falta de medicamentos, o ócio, as pessoas morando em barracas e nas praças da cidade?!

    Nessas alturas, jamais o PT poderá ser eleito, pelo amor de Deus!!!

    Não leio e não vejo nenhum dos corruptos membros da quadrilha e dos partidos que se dizem comunistas, qualquer crítica ao assassino do Maduro, nada!

    O êxodo de venezuelanos saindo de sua pátria é terrível, e muito pior sendo rechaçados pelos brasileiros!
    Agora, se para o PT a gestão de Maduro contra o “imperialismo” está correta, mesmo que seus compatriotas saim do seu país ou morram de fome ou pelas balas do exército de Maduro, que o PT não seja eleito, pois devolverá à força os venezuelanos para o aliado ideológico, o Maduro, que estaria pronto para cair do seu palácio.

    • Caro Bendl;

      O ponto que você traz é um exemplo de questão sobre a qual um candidato deveria se posicionar e fazer um pronunciamento veemente. Mas o tema é da mais alta complexidade, seria preciso ter clareza no conteúdo e saber você que dizer. Frases bombásticas, discurso populista e produção de factóides não contribuem em nada, a não ser para seduzir otários.

      • Olha, Levi, quem está hoje em dia disposto a ter posições?!

        Ainda mais dos candidatos ao Planalto?

        A nossa situação ficou tão absurdamente grave, caótica, que não existe um plano dos presidenciáveis de medidas urgentes sobre qualquer segmento ao assumirem!

        As palavras são sempre as mesmas, repetitivas, e pronunciadas da mesma maneira e som há tempos!

        A simplicidade de Bolsonaro, de ser um cara tosco, de não saber falar e até meio patetão, todavia comprometeu-se no combate à corrupção e violência, levaram-no a ser o candidato melhor colocado nas pesquisas.

        Se o povo quer algo novo, e não mais os mesmos discursos demagógicos de antes, e de candidatos que tudo sabiam, que mais estavam preparados, que, no entanto, ao assumirem, continuaram roubando e explorando o povo, Bolsonaro não tem esta imagem.

        Se está no congresso há 28 anos, e não apresenta um trabalho a contento, em termos de projetos aprovados, por outro lado sempre este de fora dos escândalos, dos desfalques, dos roubos contra a população.

        Ora, simplesmente estamos diante de uma pessoa que é rara no mundo político, e que merece uma chance no poder.

        Por enquanto, Levi, o meu voto é de Bolsonaro.
        Posso até mudar, porém mediante ou uma grande decepção ou um poderoso convencimento para eu escolher outro nome.

        Abraço.

  7. Estamos pagando até para cometerem crime contra a Segurança Nacional – Apologia a golpe de Estado …..

    São Paulo – Candidato do Patriota à Presidência da República, o deputado federal Cabo Daciolo (RJ) alugou um helicóptero com dinheiro público para ir à greve dos caminhoneiros, movimento nacional que ele apoiou. O pagamento pelo voo, no valor de R$ 5 mil, foi feito pela Câmara.

    Em 26 de maio, cinco dias após o início das paralisações nas estradas, Daciolo fretou o helicóptero Esquilo de prefixo PT-YDF na Heli-Rio Táxi Aéreo – modelo fabricado pela Helibras em 1997, que tem capacidade para cinco passageiros. O voo durou cerca de duas horas, embora o deputado não tenha chegado ao destino – um encontro com caminhoneiros autônomos na Rodovia Presidente Dutra.

    https://odia.ig.com.br/brasil/2018/08/5568216-cabo-daciolo-usa-verba-da-camara-para-alugar-helicoptero.html

  8. Mais um adendo: a web seria uma ferramenta eficiente para os candidatos de pouca expressão e menor espaço na mídia, superar essas barreiras e atingir essa maioria.

    O que, com um bom planejamento prévio (pelo que se vê não souberam fazer) nem implica em grandes custos. A própria Marina, que em eleições passadas teve um bom aproveitamento nessa frente, regrediu perdeu espaço nas mídias sociais, incrivelmente.

    • P. S. – Me refiro as mídias sociais como espaço privilegiado para o debate público, com conteúdo, sério e de alto nível.

      Foi com essa idéia, de uma Ágora virtual, assembléia pública e radicalmente democrática, que os visionários, herdeiros da Contracultura dos anos 60, criaram a World Wide Web.

  9. As perguntas que precisamos fazer são:
    – Querem que Lula seja solto?
    – Querem que a impunidade tome conta?
    – Querem um país atolado no caos jurídico?
    – Querem um país economicamente pior do que já está?
    – Querem a aprovação do aborto e liberação das drogas?
    – Querem ver seus filhos serem doutrinados nas escolas?

    • O que seria filhos doutrinados nas escolas ? Em uma escola militarizada de Goiás um ” coronel professor ” disse que ele passa valores nos quais ELE acredita ….. Isso não é doutrinação ???
      Essa história já é antiga , na gestão do Maluf como prefeito fizeram inúmeras cartilhas com doutrinação liberal , o principal financiador dessa cartilha foi a FEBRABAN . Doutrinação é só para um lado ?

      • ” Querem a aprovação do aborto e liberação das drogas?”

        Ninguém quer a aprovação do aborto e a liberação das drogas.
        Isso já existe!
        O que se quer é a DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO E A LEGALIZAÇÃO DO USO DE DROGAS!
        São coisas completamente díspares!!!
        É fácil entender a diferença.É só pensar um pouquinho.Pode tentar que não vai doer!!!!

  10. Não é verdade a afirmação acima, de que as drogas estão liberadas e o aborto também!

    Descriminalizar o aborto e legalizar o uso de drogas é a suprema incompetência e irresponsabilidade do Estado, que autoriza o assassinato a indefesos e o suicídio coletivo mediante overdoses e a dependência química, o legítimo e verdadeiro dano físico e moral ao cidadão!

    O uso de retóricas e semânticas que amenizem o objetivo da liberação ou descriminalização e legalização do aborto e uso das drogas, respectivamente, torna o Estado cúmplice de assassinato!

    Não se pode legalizar algo que leve o ser humano a aumentar a sua doença ou a cometer crimes para a sua dependência química, pois ilógico e absurdo!

    Da mesma forma, a descriminalização do aborto quando praticado sem justificativa, pois um simples assassinato!

    Nessas alturas, que seja abolido o assassinato por qualquer razão porque já existe!
    Assim como o roubo, pois cometido largamente nas ruas e todos os dias.
    Da mesma forma o motorista que dirige bêbado e mata inocentes, pois a bebida é liberada à venda.

    Enfim, que as leis que regem o comportamento do cidadão sejam abolidas e implantemos no Brasil a anarquia, simples.

    Aliás, exercitar o cérebro quanto aos malefícios e danos colaterais do aborto e das drogas descriminalizado e legalizado, respectivamente, faz bem à saúde!

  11. Na mente doentia de uns e outros, a vida não tem qualquer valor, sendo substituída por prazeres, sensações e emoções.

    A falta de argumentos para debater o aborto e as drogas, tornam-se evidentes quando a intenção é desqualificar o oponente, e não fortalecer os argumentos quanto à legalidade e a descriminalização mencionadas.

    A defesa que sempre farei será pela saúde, pela vida total, e jamais incentivarei qualquer outra forma de existência que reduza o ser humano à dependência de drogas ou se tornar um assassino ao abortar um indefeso!

    Se minhas manifestações são consideradas asneiras, ótimo, sinal de que atingi o meu objetivo sobre aqueles que querem ser modernos e liberais quando, na verdade, pouco estão se lixando para o sofrimento alheio!

    O dia que observar de perto a reação de um drogado ou a crise de remorso ou arrependimento da mãe que extirpou do seu corpo uma criança, morta de forma cruel e sádica, quem sabe não mudará de opinião?!

    Agora, enquanto pretender analisar a questão apenas teoricamente, o resultado é a postagem irresponsável e inconsequente!

    A lamentar que a discussão não se atenha à proposta de Marina, algo impossível para o troll, cuja única função é causar a desarmonia e a litigância gratuita entre comentaristas.

    Volto a frisar:
    Se o plebiscito for feito para o aborto e a legalização do uso de drogas, que seja feito o mesmo com relação à pena de morte, para se poder portar armas, haja vista a incoerência de se poder matar inocentes e indefesos, e estimular a desgraça de quem é dependente químico, liberando-o à aquisição de veneno!

    Se drogas e o aborto são sinônimos de avanço social, considero-me ainda um homem das cavernas, que conviverá com pessoas que respeitam a vida, que a enaltecem, que a valorizam, menos rebaixá-la à inutilidade de uma existência dependente química ou tomada de remorso pelo crime cometido!

    Inexplicável, no entanto, a reação de quem se jacta ser inteligente, ao criticar mentes que protegem a vida e são por elas mesmas (as favoráveis ao aborto e legalização das drogas), denominadas de sadias.

    Conclusão:
    Pode até ser mesmo inteligente, mas a mente é doente, perturbada, obtusa, e sem capacidade de ampliar o raciocínio quanto aos efeitos colaterais do que pretende!

    Benditas as mentes sadias, que rechaçam as drogas e os crimes praticados pelo aborto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *