Três temas controversos – proclamação da República, mensalão e terras indígenas

Gelio Fregapani

Há uma entranhada aversão à necessária revolução de 64, enquanto só se ouvem loas ao traiçoeiro evento de 1889 que comemoraremos no próximo dia 15, como sendo a “Proclamação da República”. Se ainda estivesse vivo na ocasião, seguramente Caxias não deixaria que tivéssemos a nossa maior e mais indigna quartelada. Com ela expulsamos do cenário o nosso melhor dirigente, Pedro II e com ele, ao que parece, se foi a dignidade dos Governos.

###
SUPREMO

Não há dúvida de que o mensalão existiu e nem que deputados foram comprados para integrar a base do governo, Desta vez o STF está agindo do lado da decência, coisa que não houve em casos anteriores engavetadas na época de FHC.

É certo que agora o STF está agindo no interesse da sociedade. Se seu histórico não foi edificante no caso da Raposa-Serra do Sol ou mesmo quando esteve em causa algo de interesse de laranjas de bancos estrangeiros, como Daniel Dantas e Cacciola, agora parece que mudou e merece nosso aplauso.  Que continue assim é o que esperamos.

###
NAÇÃO GUARANI

Em sua percepção do mundo, os religiosos do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), no Centro Oeste, alimentam a cabeça dos índios com a idéia de que devem unir-se contra os brancos em uma grande “nação guarani”, cujo território coincidiria com a zona mais produtiva do agronegócio em Mato Grosso do Sul. Orientam os índios a invadir propriedades e a Funai os apóia.

Nenhuma dessas entidades quer ajudar aos índios. Recusam qualquer oportunidade de integração. Realmente procuram dividir o nosso País em inviáveis nações étnicas, o que só traria vantagens ao estrangeiro, na concorrência das commodities agrícolas. Isto na verdade se chama traição.

Bem, e quanto aos índios? E quanto a cultura deles? – Uma cultura evolui em contato com as outras. Nós aprendemos e assimilamos aspectos da cultura indígena e será natural que os índios aprendam algo com a nossa. Aliás, a cultura indígena original não existe mais. Agora em vez de tacapes querem é lap tops, caminhonetes e viajar de avião, como todo o mundo.

Claro que os índios merecem todo apoio, desde que se integrem na sociedade nacional, e fatalmente na vida moderna. Enquanto os índios tiverem a vida manipulada pelos traidores do Cimi, pelos ideólogos da Funai e pelas ONGs de orientação estrangeira, seu destino será de sofrimento e penúria.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *