Três temas: os salários congelados, o gesto de Neymar e os juros dos bancos

Resultado de imagem para neymar contra o mexico

Neymar pretende que não haja críticas a ele

Pedro do Coutto

O artigo de hoje divide-se em três partes. O senador Dalirio Reber, relator do Projeto de Lei que fixa as diretrizes orçamentárias, apresentou emenda congelando por tempo indeterminado os salários dos funcionários públicos federais. Incrível, a iniciativa não faz nenhuma referência aos preços que refletem os índices de inflação. Quer dizer redução de vencimentos, pois todos sabem que o índice do custo de vida, como é natural, sobe independentemente do congelamento salarial dos funcionários. O senador, ao defender seu projeto, diz simplesmente que, adotada sua ideia, a iniciativa proporcionará uma economia de 5 bilhões de reais em 2019. Dalirio Reber está pouco se lixando em relação ao destino dos servidores federais.

Reportagens de Liliana Tomazzeli, O Estado de São Paulo, e matéria de Marta Becker, em O Globo edições de ontem, focalizam muito bem o absurdo de um projeto que traz consigo uma escala de diminuição dos valores do trabalho.

GESTO DO CRAQUE – Relativamente a Neymar, observando-se com atenção a fotografia de página inteira, publicada em O Globo, também de terça-feira, interpreta-se a imagem prestando-se atenção no gesto que ele fez com o dedo indicador sobre os lábios como se estivesse rebatendo as opiniões maciças da torcida brasileira sobre seu modo de atuar.

O atacante confundiu as situações. Ele deveria era agradecer a todos aqueles que opinaram dizendo que estava prendendo demais a bola, não a soltando de primeira, driblando em excesso. Foram três comportamentos que prejudicaram o time brasileiro no empate com a Suíça. A partir do jogo contra a Sérvia ele mudou. Para melhor, e confirmou esse avanço apresentando excelente desempenho contra o México.

Quer dizer: foram as críticas que o levaram para jogar muito melhor e sua grande habilidade com a bola e colocação nos es´paços do gramado. O treinador Tite – tenho a certeza –  transmitiu a Neymar o modo de jogar corretamente, lembrando-lhe que no futebol ninguém vence sozinho. Futebol, repito mais uma vez, é conjunto.

JUROS EXTORSIVOS – Vamos ao terceiro assunto. Os quatro grandes jornais brasileiros, O Globo, Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e o Valor publicaram com destaque a decisão dos grandes bancos de aceitar as recomendações do Banco Central sobre os juros extorsivos cobrados nas dívidas de clientes para com a utilização dos cheques especiais.

Esses juros passavam de 300% a/a. Se os bancos recuarem para juros anuais de 40%, é porque a inadimplência estava ameaçando a rentabilidade da constelação bancária. Agora, a partir deste mês se as dívidas com cheques especiais passarem de 15% de seus limites, as agências bancárias podem estabelecer que os clientes envolvidos sejam chamados à negociação.

O caso é o seguinte. Se a dívida acumulada ultrapassar a faixa de 15% sobre o limite oferecido, os devedores serão convocados a aceitar o financiamento da dívida por juros menores que, no crédito pessoal passam um pouco de 40%a/a.

INADIMPLÊNCIA –  É sinal que está ocorrendo uma inadimplência em larga escala, que levaria a uma cobrança impossível de resgatar. Os bancos não poderiam executar as dívidas, pois isso demandaria, em função do número de devedores, muitos anos na tramitação judicial.

O desfecho homologado pelo Banco Central é a prova concreta do processo de desvalorização seguida da capacidade de pagamento dos assalariados. É verdade que muitas pessoas agem de forma irresponsável, porém a capacidade de cobrá-las não resultaria em nada para os estabelecimentos bancários.

19 thoughts on “Três temas: os salários congelados, o gesto de Neymar e os juros dos bancos

  1. Os funcionários públicos são o bode expiatório dessa vergonha de governo. Não sabe o que fazer, e mesmo que soubesse, não tem a menor credibilidade. Li na internet que os investidores estrangeiros estão retirando bilhões das bolsas aqui no Brasil, fruto da corrupção que não acaba, das decisões absurdas do STF, desse desgoverno de Temer e da herança maldita que o PT nos deixou. Enquanto essa “cambada” não sair do cenário nacional, o país não vai melhorar. Quanto a Neymar, não passa de palhaço de circo, pois é pra isso que serve, para entreter enquanto o país afunda. Ganhe ou perca a Copa, vai sair ganhando milhões, e aquele sinal interpreto como se fosse para o povo calar e se virar. Ademais se não gosta de crítica, troque de profissão, pois não estava jogando nada mesmo.

    • Prezada Daniela,

      Parabéns pelo comentário, mas, se me permites, faço apenas uma ressalva:

      Neymar não é um palhaço de circo, e não serviria para esta função, que tanto nos diverte.

      Neymar joga futebol, e é um craque neste sentido.

      Precisamos é separar o joio do trigo.

      Os jogadores que recebem milhões de reais são pagos pelo talento que possuem, pela vocação para jogador de futebol.

      Os que não possuem esta arte são os desconhecidos, que jogam em times pequenos ou sem representação nacional.

      Mais a mais, os salários dos jogadores, mesmo aqueles que ganham muito dinheiro, NÃO SÃO PAGOS PELO CONTRIBUINTE OU POVO, mas pelo clube e torcedor, que paga ingresso se quiser, assim como ir ao campo para ver o seu time disputar uma partida.

      E, se há alguma justiça quanto à meritocracia, o futebol exerce esta função condignamente.

      Quem joga bem, ganha bem. quem joga medianamente, receberá da mesma forma.

      Nossos craques jogam na Europa e Ásia porque possuem talento, são especialistas com a bola nos pés, alegram o mundo que os vê jogar, encantam as pessoas com seus dribles e jogadas de efeito.

      Se um parlamentar corrupto, ladrão e inútil nos custa mais de cem mil reais por mês, afora o que rouba por fora, e TODOS NÓS PAGAMOS PELOS SEUS PROVENTOS, Neymar e outros jogadores famosos merecem o que ganham indiscutivelmente, até porque seus empregadores não somos nós, mas os europeus, o clube e patrocinadores.

      Abração.

      • Concordo. Quando disse isso quis dizer que é usado como tal, e não que é. A história do pão e do circo dos romanos. Até porque quando vou a um circo me divirto muito vendo os palhaços, profissão que respeito muito. No mais, em relação a críticas, isso faz parte do futebol. Abraço.

  2. Senhor Pedro do Coutto , só uma observação : O Neymar não mandou a torcida brasileira ficar quieta não , o Sr. está enganado; aquele gesto praticado pelo jogador foi para a torcida mexicana que antes estava gritando olé a cada troca de passes entre os jogadores da seleção Mexicana .

  3. Começou o terror.
    O banco JP Mogan dizendo que o dólar pode ir a R$ 5,50 se quem assumir não for reformista de direita, ou seja, querem que o país continue a venda, com juros altos, pobre país, espero que o povo saiba votar e tire o país das mãos dos entreguistas de sempre.

  4. O povo brasileiro, pelo que se sabe e se constata, torce para a Seleção de Futebol, e não para o técnico ou jogadores individualmente.

    Quem receberá o título de campeão será o Brasil e seu escrete, como se dizia no meu tempo, que se vai longe.

    Logo, a torcida quer o título de hexa, pois tem consciência de que será a equipe que o conquistará, e não uns e outros.

    Nesse aspecto, Tite tem se revelado como um maestro diferenciado dos demais, pois gerencia pessoas, e consegue obter dos jogadores o máximo que suas características oferecem, tanto técnica quanto taticamente.

    Por outro lado, misturar o atual técnico da Seleção quando técnico de clube, vai uma distância imensa.

    E não há quem saiba que Neymar, por ser caçado em campo, também exagera em suas manifestações de dor, a ponto que seus movimentos quando o mexicano lhe pisou no tornozelo foi tão acintoso, que se imaginava ter quebrado a perna, para depois sair jogando normalmente.

    Pois este teatro exagerado de Neymar tem sido a sua parte frágil como jogador, recebendo críticas do mundo todo pelo seu comportamento em campo, quando poderia jogar o futebol brilhante que possui sem essas manifestações de um ator canastrão.

    Quando Tite reclamou de Neymar tinha as suas razões, pois defendia o seu time, o seu elenco das picardias do jogador adversário, sabidamente hábil em cair ao solo e se contorcer em dores.

    Aliás, não há jogador brasileiro que não tenha esta conduta, basta ver os lances que as TVs nos mostram quando a câmera aproxima as imagens, comprovando o “cinema” dos protagonistas do espetáculo que o futebol proporciona, haja vista ser muito maior do que uma simples peça teatral, onde em campo os jogadores não só representam seus papéis como atuam com vontade e determinação nas posições escaladas.

    A consequência de um bom trabalho é a glória, a convocação para a seleção, ganhar muito dinheiro e ser conhecido no mundo todo!

    Quem não quer ser visto se contorcendo em dores no campo de futebol por bilhões – isso, mesmo, bilhões – de torcedores em uma Copa do Mundo?!

    E fazendo gols e exibindo a sua técnica memorável como jogador de futebol?!

  5. Eu não assisti a nenhum jogo desta Copa do Mundo. E fiz o mesmo em 2014.

    Nosso Brasil vem sendo destruído e pilhado por criminosos poderosos, e com o aval de bandidos de toga do STF; e até da OAB.

    Para que serve Copa do Mundo? Para distrair o povo, obviamente! Principalmente o povo brasileiro, que se comporta feito gado…

        • Marques,

          Permita-me que eu te diga o seguinte:

          Muito antes de se deixar de torcer para a seleção de futebol ou de qualquer outro esporte coletivo nacional, como o vôlei, basquete … e ser considerado otário, deveríamos era impedir o comportamento dos Três Poderes para conosco, onde apenas somos roubados e explorados!

          Em outras palavras, e não estou me importando com o que podem dizer, mesmo porque escrevi vários comentários desta forma:
          ÀS ARMAS!!!

          Acatar omissa e passivamente que sejamos tratados desta forma, e nos condenarmos a ficar calados em jogos da seleção porque o país está caótico, decididamente não somos otários, mas idiotas e imbecis!

          Compactuo com a ideia que NÃO MERECEMOS ESTA ALEGRIA, de sermos campeões, lá pelas tantas mas, torcer, devemos, sim.

          Agora, otários e conscientemente, dá licença, mas merecemos o inferno, sem discussão, e acho que não atingimos este estágio ainda.

          Abração.

  6. Qualquer evento por mais modesto que seja com a participação do público é para a sua diversão, lógico.

    A Copa do Mundo de Futebol, que reúne as nações de quase todo o planeta, além de ser de quatro em quatro anos e em continente diferente, reúne bilhões de telespectadores e milhões de torcedores que se deslocam para o país onde o acontecimento se realizará.

    A meu ver, deixar de torcer para a seleção porque a política e os parlamentares não mereciam esta alegria, e em face da situação que nos encontramos, estabelece uma renúncia desnecessária a momentos felizes eventuais.

    Escrevi na semana passada a respeito, de que eu também não via como útil o Brasil vencer o torneio, em razão do caos que vivemos, mas misturar esses dois aspectos absolutamente antagônicos, a possível vitória da seleção com a real derrota do Brasil e do povo atualmente, de fato não consertará o país, porém nos animará e nos dará mais confiança para mais uns dias.

    Tá bem, o futebol também é dirigido por corruptos, ladrões, assim como nos Três Poderes, mas o Brasil ou tem a sua válvula de escape coletiva ou explodimos!

    Na razão direta que nem todos gostam de carnaval, até porque se precisa de dinheiro para a diversão, o futebol de uma copa do mundo é imperdível, pode se assistir em casa, em um bar, com amigos, ainda mais se o nosso time tem chances de vitória!

  7. Como dizem: “o Brasil é o país do futebol”. Do primeiro comentário até o meu, os ilustres comentaristas só abordaram Neymar. Esquecerem que o artigo foi dividido em 3 partes, sendo 2 delas altamente importantes para a vida cotidiana do brasileiro.

    Quanto a proposta do senador de congelamento de salário, economicamente falando, é necessário alguém avisar ao senador que existe uma coisa que se chama índices de inflação. Mas não discordo 100% da idéia. Como um ditado de vó diz: “para chegar onde vc quer, é necessário dar o primeiro passo.”

    Quanto aos bancos, a proposta do Bacen deve ter sido feita com os banqueiros sentados a direita e a esquerda do Ilan. Mas e dai? As pessoas deveriam refletir melhor sobre onde começa os problemas do Brasil, pois o predador do cidadão brasileiro são os políticos e os bancos são os urubus.

  8. Dizer que uma pessoa possa ser ética ou honesta dependendo se for técnico de time ou de seleção é de uma estupidez sesquipedal.
    A ética e a honestidade devem acompanhar a pessoa em todos os lugares onde esteja.
    Em casa,na rua,no trabalho,numa festa,etc……
    Dizer também que torce-se por uma seleção e não por pessoas segue a mesma linha estúpida de raciocínio.
    As seleções e os times são formados por pessoas que se reúnem em equipe para praticar um esporte.
    O resto é argumento falacioso e hipócrita!

  9. Ética, honestidade … educação, devem ser mesmo acompanhantes de uma pessoa correta e decente.

    Invalidam a honestidade e a ética quando são substituídas pela arrogância e prepotência, e não conseguem discernir aquilo que leem os críticos sem qualquer razão, sem qualquer fundamento.

    Um conjunto de jogadores é quem vence ou é derrotado de um esporte quando em competição.

    Time algum vence com um atleta tão somente, razão pela qual chama-se seleção ou equipe, de um clube.

    A questão sobre o Tite, honesto, competente, um estudioso do futebol, se deve às suas origens, então as agressões e ofensas descabidas, que devem ser repudiadas porque seus autores são indivíduos cuja insolência sobrepuja o respeito pelo próximo.

    Lembrando que um time ou seleção é composta, sim, por várias pessoas, que não podem ser atribuído a vitória obtida isoladamente, logo, o vencedor ou é o clube ou e a seleção, e não seus jogadores, que sozinhos não conquistariam nada!

    Quanto ao técnico, o gaúcho Tite, eu poderia solicitar até mesmo declarações dos torcedores do Corínthians, de modo que dissessem se o técnico é antiético ou desonesto ou ambos, e não como aquele que levou o clube paulista para suas maiores glórias no futebol, a Libertadores e o Campeonato do Mundo!

    Da mesma forma, quando foi campeão pelo Grêmio, no Brasileirão e Copa do Brasil!

    E, jamais li, na imprensa, qualquer admoestação sobre o caráter do gaúcho, pelo contrário, pois um técnico distante do eixo Rio-São Paulo, e ter obtido tantos títulos como conquistou, decididamente somos obrigados a reconhecer a sua capacidade e talento para a função.

    O resto é argumento de invejosos e falsos moralistas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *