Tribuna da Internet faz esclarecimentos sobre a liberdade de atuação dos comentaristas

charge: Internet

Charge reproduzida do Arquivo Google

Carlos Newton

No último dia 18 de maio, a Tribuna da Internet completou 11 anos de funcionamento intensivo, 365 dias por ano. Nesse percurso, conquistamos milhares de seguidores diários no Brasil e no exterior. Desde o início, como não tínhamos equipes de reportagem, optamos por criar um modelo inovador, que passaria a divulgar as mais importantes reportagens e artigos de interesse nacional, com destaque à política e à economia do país, mas com uma abertura a temas sociais e culturais, especialmente a poesia, conforme aprendemos com Rubem Braga, criador da coluna “A poesia é necessária”, inspiradora da atuação de Paulo Peres, que também trabalhou com Braga, junto comigo.

Operamos “sob o signo da liberdade” e, nesses onze anos, apenas três comentaristas foram excluídos, mas poderiam voltar, caso se adaptassem às normas de não se expressar com linguagem chula, de não ofender os articulistas e comentaristas, sem fazer fazer perseguição sistemática a eles, e de não usar o blog para defesa de teses antidemocráticas, agredindo a grupos e minorias.

APENAS UM EXCLUÍDO – Nesse gigantesco chat que discute grandes temas, apenas um comentarista está realmente excluído, por manifestar verdadeiro ódio a um dos articulistas. Ele atacava implacavelmente a pessoa do autor do artigo, ao invés de comentar o teor do texto. E defendia teses contra minorias, de forma incansável.

Os outros dois excluídos poderiam voltar à vontade, desde que respeitassem nossos limites. Mas não demonstraram interesse. Agora surgiram alguns participantes que estão extrapolando.

Já me correspondi por e-mail e lhes pedi moderação. Um deles parece ter entendido, mas o outro se mostra renitente. Faz questão de atacar o Blog e a pessoa do editor. Os mais antigos na Tribuna da Internet sabem que eu não dou a mínima. Podem me ofender à vontade, não estou nem aí, mas exijo que respeitem o Blog, por ser o espaço democrático que os acolhe.   

BALANÇO DE JUNHO – Aproveitamos a oportunidade para divulgar mais um balanço das contribuições ao Blog, agradecendo muitíssimo aos amigos que nos permitem continuar mantendo esse sonho utópico de um jornalismo livre de ideologias e amarras.

De início, as contribuições em nossa conta da Caixa Econômica Federal no mês de junho:

DIA   REGISTRO    OPERAÇÃO       VALOR
02     200012         DOC ELET………..50,00

04     041116         CRED TEV..  …….105,00
10     101110          DP DIN LOT……..20,00
17     171019          CRED TEV………100,00
23     230908         DP DIN LOT……230,00
30     301140          DP DIN LOT.. ….230,00

Agora, os depósitos na conta do Banco Itaú/Unibanco:

01    TED  033.3591-ROBERSNA….200,00
02    TED  001.5977-JANTONIO…..302,02
15    TED  001.4416-MARIOCRO….250,00
29    TED  001.5977-JANTONIO……300,29
30    TBI   0406.49194-4 C/C………..100,00
30    TED  033.3591-ROBERSNA….200,00  

Voltando a agradecer as contribuições, vamos em frente, sempre juntos.   

13 thoughts on “Tribuna da Internet faz esclarecimentos sobre a liberdade de atuação dos comentaristas

  1. Com todo o respeito Carlos, sou frequentador assíduo do tribuna da imprensa a vários anos, mas hj em dia só passo os olhos e nem leio as matérias. É só um apanhado de reprodução de coisas negativas puxadas de sites e colunistas que só vem um lado. não há o contraditório. Parece, meu querido que o site está largado. Uma pena, abraços!

  2. Diga quais sãos os excluídos.Até hoje só excluiu José Guilherme Schossland, Virgilio Tamberlini e uma mulher que assinava um apelido engraçado, nem lembro o codinome dela, que de vez em quando volta a comentar, normalmente, ela ofendia e perseguia Francisco Bendl, por isso tive de intervir, mas não está expulsa do Blog.

    CN

  3. Mário Jr. jamais foi excluído, eu apenas deletava os comentários inconvenientes dele. Saiu porque quis, não aguentou continuar defendendo Bolsonaro, que é indefensável.

    CN

  4. Aqui sempre foi democrático.
    Eu batia (hoje menos) com as posições editor e muitos que hoje me dou melhor – pois nem sempre foi assim. Nunca fui animado, enxergando exageros da lava jato, acusei o golpe, contra Temer, divergi do sentimento antipetista que muito se mostrou para as eleições (e ainda se apresenta), enfim, cheguei a trocas de farpas e alguns comentários que tive foram no máximo um ou outro. Lembro da época que CN divulgava os nomes dos leitores que tinham seus comentários apagados por comportamento indevido. “Fulano teve 100 comentários deletados” Rsrsrs

  5. Ao invés de excluir, chegou a suspender alguém, ou colocar os comentários de determinado leitor com filtro para aprovação antes de sair publicado, CN?

    Eu até hoje tenho a impressão de ter ficado suspenso por um período há uns anos atrás – só não recordo se pelo apelido ou o e-mail, porque cheguei a burlar postando com outro. Isso faz tempo…

  6. É que o senhor deve ser novo por aqui … a TI também combatia o controle das mídias proposta por parte da Esquerda … quando na Presidência???

    O Comunismo controlava os trabalhadores pelos Sovietes … Fascismo e Nazismo – o mesmo pelos Sindicatos … coisa que também ocorria em Pindorama, até Temer, MDB-SP, acabar com a contribuição obrigatória … espera-se que Bolsonaro e Guedes incentivem o Treinamento e acabem de vez com o analfabetismo … e a Direita ficará na História.

    Hoje se tenta acabar com abusos fake … como comunistas e fascistas fizeram com trabalhadores???

    Sds.

  7. Olha, para eu te ter “roubado” a tua ideia, tu precisas provar, e seria com o teu comentário em 2013 para sabermos a verdade.

    Não copiei o artigo do professor da USP, como erroneamente postaste, e com má fé.
    Eu o transcrevi!

    Observa:
    em um texto lacônico, demonstras plenamente as razões do quanto o anônimo se aproveita das circunstâncias em seu favor:
    acusaste-me de “roubar” uma ideia tua, como se isso fosse possível;
    e disseste, indiretamente, que plagiei uma obra quando, na verdade, eu a transcrevi literalmente, inclusive não só mencionando o seu autor quanto às suas qualificações profissionais.

    Então a essa postagem, dá-se o nome de transcrição.
    Em outras palavras:
    passei o conteúdo de onde estava originariamente publicado para a TI.

    Tu serias o caso de Newton publicar o teu nome verdadeiro, e eu te responder à altura.
    Na tua condição de robô, sei que perco o meu tempo mas, mesmo assim, jamais permitirei de quem que seja, que eu seja ofendido gratuitamente, até por seres humanos que se deixaram ser máquinas.

    • Che, tu adoras encrenca!

      “PS” – ou tu te faz de doido ou tu tá doido mesmo!
      Basta ver como fiz com a transcrição.

      Depois, os elogios foram pela minha PESQUISA, e não como autor do texto.

      PS2 – se tem algo que muito me orgulho e tenho até testemunhas, é NUNCA ter partido de mim ofensas à mãe de quem quer que seja!

      Se agi dessa maneira foi em resposta aos insultos deflagradas contra a minha família.

      JAMAIS, nesses quase dez anos de TI, ofendi a família de quem quer que fosse, a menos que era respondendo no mesmo tom os ataques contra a minha pessoa, filhos e esposa.

      Aliás, aproveito para enfatizar:
      se não querem ler impropérios de minha parte, por favor, briguem comigo, me desclassifiquem, me repudiem, mas não envolvam a minha família, só isso que peço!

  8. Então especificas para quem diriges o teu comentário, simples.

    Se postaste abaixo do meu texto, automaticamente ou eu responderia ou não.
    Optei por responder.

    Se não era para mim, também pareceu que era endereçado à minha pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *