Tropa de choque do Planalto faz o possível e o impossível, mas a CPI segue em frente

Randolfe Rodrigues, vice-presidente, Omar Aziz, presidente, e Renan Calheiros, relator da CPI Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Omar Azis teve de falar grosso para controlar os bolsonalistas

Vicente Limongi Netto

Em alguns tópicos relacionados com a CPI da Covid 19, o destaque é que três notórios senadores fantoches do governo – Marcos Rogério, Jorginho Mello e Eduardo Girão – fracassaram na manobra de recorrer ao Supremo Tribunal Federal para colocar um relator amestrado para conduzir os trabalhos da CPI. Quanta besteira, Manuel Bandeira, diria Helio Fernandes.

Desfeita prontamente pelo ministro Ricardo Lewandowski, a manobra é uma constatação de que o desespero entrou de vez nos gabinetes poderosos do Palácio do Planalto.

BATENDO CABEÇA – Ministros e assessores incompetentes, ineficientes e incongruentes batem cabeça. Destrambelhados. Metem os pés pelas mãos. Preferem agredir e ameaçar. Perdem tempo. Isso não cola com Renan Calheiros, Randolfe Rodrigues e Omar Aziz.

O trio que comanda a CPI está mais interessado em trabalhar por resultados que indiquem as mazelas e omissões do governo no combate ao coronavírus. “Quem for podre, que se quebre”, avisou Omar Aziz.

Sábios de barro que rodeiam Bolsonaro deveriam botar nas cabeças ocas que a CPI da Covid não vai esmorecer, recuar nem colocar problemas embaixo do tapete.

MITO CARNAVALESCO – Bolsonaro, o mito de barro, chamou a CPI da Covid de “carnaval fora de época”. E o povo adora carnaval. É a válvula de escape dos brasileiros em tempos difíceis. Deveria ter carnaval e copa do mundo todo mês, ensinava o mago (sem aspas) Golbery do Coutto e Silva.

Fantasiado de vacina, o povão vai sambar, pular e cantar durante a CPI. Enquanto negacionistas vão acender velas, contristados, na quarta-feira de cinzas do enterro do governo.

O presidente da CPI, senador Omar Aziz, colocou freio nos açodados, pretensiosos e arrogantes fantoches palacianos, cuja missão é atrapalhar e evitar possíveis convocações que possam trazer embaraços ao mito de plástico.

MANOBRA FRUSTRADA – Outra torpe e infame tarefa dos office-boys de Bolsonaro foi insistir em desacreditar e provocar o relator Renan Calheiros. O presidente Aziz foi taxativo com os patetas. Disse que a CPI é maior e mais importante do que ele, do que o vice-presidente e também mais importante do que Renan Calheiros. E perguntou aos áulicos de Bolsonaro: “Vocês têm medo da CPI ou do Renan Calheiros?”.

A seu ver, todos os senadores são iguais. Não tem ninguém melhor do que o outro. Embora alguns sem noção se achem. Aziz é duro na queda. Experiente e acostumado a batalhas árduas. Não tem medo de cara feia. Há 40 dias perdeu um irmão com a Covid. Mesmo assim, não demonstra rancor.

QUADRO MEDONHO – A CPI da Covid mostra como é medonho o quadro de muitos dos atuais senadores. Medíocres e deslumbrados reféns da parte podre das redes sociais. Falam montes de besteiras e logo são apoiados e estimulados pelos covardes do gabinete do ódio e seus canalhas robôs.

Lamentável que na difícil quadra atual, um despreparado e patético time de senadores cubra de vergonha parlamentares que engrandeceram a Câmara Alta, como Bernardo Cabral, Petrônio Portela, Marcos Freire, José Sarney, Henrique La Roque, Afonso Arinos de Melo Franco, Franco Montoro, Lauro Campos, Flávio Brito, Heráclito Fortes, Albano Franco, Edison Lobão, Josafá Marinho, Teotônio Vilela, Arnon de Mello, Henrique Santillo, Paulo Brossard, Paulo Torres, Antônio Carlos Magalhães, Arthur Virgílio Filho, Artur Virgílio Neto  e Nelson Carneiro.

###
P.S.  – Estarrecedora e patética mesquinharia e covardia da OAB de São Paulo, cassando a carteira de advogado do ex-governador José Maria Marin. Em casa, fragilizado pela doença e pela idade avançada, sem advogar há anos, por que humilhá-lo? (V.L.N.) 

14 thoughts on “Tropa de choque do Planalto faz o possível e o impossível, mas a CPI segue em frente

  1. Alto lá! Citar que senadores como José Sarney, Edison Lobão, ACM, Arnon de Mello(homem do tiro errado) engrandeceram a Camara Alta é forçar a barra ! Aliás esses citados e alguns outros são muito responsáveis pelo atual nivel tanto do Senado como da Camara!
    E depender de um escroto como Renan Calheiros para executar uma CPI é realmente uma tristeza! Por acaso não teriam um nome um pouco menos sujo?
    E entre os citados fica faltando um nome como Pedro Simon, esse sim um homem decente e que por isso mesmo nunca teve chance de presidir o Senado! Por isso quando se citar nomes há que se ter o máximo cuidado, é muito fácil colocar joio no meio do trigo e acabar excluindo muito trigo das citações. E me vem a lembrança de mais um nome que merece ser lembrado: Major Olimpio, apesar do pouco tempo que ficou na Camara Alta sempre demonstrou ser um homem de caráter. INFELIZMENTE OS BONS MORREM CEDO OU QUASE NUNCA TEM CHANCE DE SE SOBRESSAIR, OS MAUS QUASE NUNCA DEIXAM E QUSE SEMPRE MORREM TARDE!
    Finalmente com Renan ou sem Renan a CPI tem que seguir de qualquer maneira. Imaginar que as atuais 400000 a caminho de 500.000 poderiam ter sido evitadas pelo menos em uns 50% se 70.000.000 de vacinas da Pfizer tivessem começado a ir pros braços dos brasileiros desde novembro . Isso é motivo mais do que suficiente prá CPI! A Culpa do Bolsonaro tem que ser escancarada, se o Congresso vai ter coragem ou não de tocar o impeachment isso é outra história, mas do jugo popular no ano que vem esse verme não pode escapar. Ele e o outro verme que se tornou elegível novamente.

    • O artigo de VLN é correto e oportuno.

      Entretanto as vezes, os indivíduos são preparados, inteligentes, educados mas sua atuação publica é pautada por interesses pessoais e de seus grupos.

      pode ser a explicação para citação no texto do VLN e para a correta retificação de Sandoval.

      esquecer ou comparar a trajetória publica de Pedro Simon com alguns dos citados , para mim, é quase uma heresia.

      Simon, além de sua impecável atuação de uma vida inteira de ser o formador de muitos políticos brilhantes aqui do sul e do pais, é integrante da Ordem Franciscana de absoluta desvinculação dos bens materiais em sua vida.

      Meus respeitos a todos

  2. Pedro Simon (PMDB-RS) conseguiu ressarcimento de implantes dentários que totalizam R$ 62,7 mil em 2012.

    È só pesquisar na rede que vai “pescar” a matéria sobre o “decente” $enador Pedro Simon, “o homem dos dentes de ouro”…..

    • O senador Pedro Simon (PMDB-RS) foi à tribuna, nesta quinta-feira (13), para explicar que não há nenhuma ilegalidade ou irregularidade em tratamentos de saúde que fez e que foram pagos pelo Senado. Ele garantiu que os procedimentos foram recomendados por médicos e que apresentou todos os documentos exigidos pelas regras da Casa.

      Simon reconheceu, porém, que pode ser necessária uma reflexão sobre o tema e não descartou uma decisão que resulte em cortes de gastos que atinjam também os senadores, e não só os funcionários da Casa.

      – O noticiário dos últimos dias traz à tona a necessidade de uma reflexão sobre a moralidade de nós, parlamentares, termos privilégios tão distantes, em valores e consequente qualidade no atendimento, da grande maioria do povo brasileiro.

      Ele prestou os esclarecimentos por ter sido mencionado em matéria do jornal O Estado de S. Paulo como beneficiário de ressarcimento de gastos de R$ 62,7 mil, com implantes dentários, em 2012.

      O senador disse que tinha obrigação de se manifestar sobre o assunto, em respeito à sua história, e lembrou que sempre abriu mão de verbas indenizatórias e que devolveu ao Senado um total de R$ 1,4 milhão destinado a passagens aéreas que não utilizou.

      – Tenho, repito, plena consciência de que não cometi nenhuma ilegalidade, nenhuma imoralidade, ao recorrer os préstimos do plano de assistência à saúde do Senado, para ressarcir tais gastos com intervenções médicas e odontológicas minha e de minha família. Estou certo, entretanto, que devemos rever esses mesmos dispositivos, não pela legalidade, que lhe é embutida, mas por critério de moralidade, uma vez que nos atribuem benefícios que estão distantes daqueles de que dispõe a grande maioria da população.

      Fonte: Agência Senado

      https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2014/03/13/pedro-simon-explica-gastos-com-saude-e-sugere-reflexao-sobre-privilegios-de-senadores

  3. Que foto! Senador DPVAT, senador pedofilia e senador corrupto. Ser atacado por esse trio é motivo de orgulho para o presidente Bozo, ele só tem a ganhar.

    • Quem esta sendo atacado não e o presidente Bozo.

      São os atos ou não/atos que provocaram 400 mil mortes e milhões de sequelados, que estão sendo investigados.

      O Bozo não precisa ser atacado.

      Ele deve ser responsabilizado pela sua irresponsabilidade

Deixe um comentário para Eliel Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *