Trump faz o possível e o impossível para evitar que Joe Biden assuma Presidência

Trump confirma morte do chefe do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi | A  Gazeta

Donald Trump convoca “protestos selvagens” em Washington

Deu em O Globo

A falsa narrativa de que uma conspiração o impediu de continuar por mais quatro anos na Casa Branca tem sido a base do discurso político de Trump antes mesmo dos números da apuração confirmarem a vitória do democrata Joe Biden, no dia 7 de novembro. Além de seus apoiadores, Trump conseguiu que parte dos congressistas republicanos abraçasse a ideia.

Na quarta-feira, quando o Congresso se reunirá em sessão conjunta para contar os votos dos delegados aos Colégio Eleitoral e proclamar a vitória de Biden — a última etapa do processo eleitoral antes da posse do democrata no dia 20 de janeiro — 11 senadores do partido, liderados pelo texano Ted Cruz, anunciaram que vão questionar a validade dos resultados em plenário.

SEM CHANCES – A iniciativa é considerada sem chances de sucesso: objeções à proclamação do resultado precisam ser aprovadas separadamente pelas duas Casas do Congresso. A Câmara continuará sob o comando democrata na próxima legislatura, que tomou posse neste domingo, e muitos senadores republicanos reconheceram a vitória de Biden — incluindo o líder da maioria, Mitch McConnell, e o senador pela Carolina do Sul Lindsey Graham. Ambos foram fortes aliados de Trump durante todo o seu mandato.

No entanto, o esforço servirá para constranger Biden e, mais que isso, pôr pressão sobre os republicanos que votarem no Congresso pela confirmação do resultado — na prática, um voto contra Trump. Além disso, ele transformará um ritual político que normalmente passa despercebido em uma sessão conturbada.

SÃO APENAS 12 – Além dos 11, o senador Josh Hawley já havia anunciado que questionaria os resultados.  E no domingo outros quatro senadores republicanos protestarem e disseram que vão apoiar a vitória de Biden,

“Parece ser mais uma manobra política do que um remédio efetivo. Vou escutar atentamente, mas eles têm uma barreira muito alta para superar”, afirmou o senador Lindsey Graham.

PROTESTO SELVAGEM – O cálculo vai além de vencer ou perder. Ao apresentar os questionamentos, os senadores amplificam a alegação de Trump de que Biden venceu graças a uma fraude, o que provavelmente será repetido ao longo de todo o mandato do democrata.

Na quarta-feira, enquanto o Congresso estiver reunido, apoiadores do presidente farão uma manifestação em Washington, um evento que já é visto como potencialmente perigoso pelas autoridades locais. E o próprio Trump o classifica de “protesto selvagem”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Se os Estados Unidos não fossem um país solidamente democrático, Trump estaria colocando em risco as instituições. Porém, a única coisa que conseguirá é atrasar a reunião do Congresso, que será dirigida pelo atual vice-presidente Mike Pence, que está contra essa postura de Trump denunciar fraudes que não existiram. (C.N.)

5 thoughts on “Trump faz o possível e o impossível para evitar que Joe Biden assuma Presidência

  1. Depois de quatro anos da Era Trump, com sua retórica do atraso, unilateralismo exacerbado, desprezo pelo Meio Ambiente, massacre contra os refugiados e imigrantes, as milhares de fakenews, a frieza diante de mais de 300 mil americanos ceifados pelo Covid, o abandono aos aliados europeus, silenciosamente a China foi ampliando sua influência no cenário mundial.
    O presidente Xi Jin Ping, líder carismático, que está sendo comparado ao grande timoneiro Mão Tse Tung, o revolucionário de 1949, que libertou a China, do governo nacionalista e corrupto de Chiang Kai Chek. Pois bem, Xi firmou um fantástico acordo com a União Europeia, após longos sete anos de negociações, entremeados pelo abandono do governo americano, deixando a Europa arder, em meio as dificuldades econômicas.
    O velho continente, agora sem o Reino Unido, terá acesso ao mercado chinês em condições equivalentes na concorrência com empresas dos setores industrial e financeiro.
    Em contrapartida, a China terá acesso ao mercado europeu, nos setores de manufatura, energia renovável e tecnologia de ponta.
    A estratégia da diplomacia chinesa é ampliar os mercados para seus produtos manufaturados e vantagens na compra de comoditties da Europa.
    As previsões dos analistas econômicos globais indicam que, em 2028, será o ano da ultrapassagem do concorrente (EUA) elevando o gigante asiático ao ranking de maior economia do planeta.
    A guinada da China para as delícias do capitalismo teve início com a ascensão do bruxo Den Xiau Ping, vice-ministro do Primeiro Ministro Xu En Lai, considerado o maior estrategista da China. Estudiosos chineses atribuem a Mao, como o centro da virada revolucionária da China, mas, esquecem do papel preponderante do comandante das tropas chinesas, que marcharam em direção a capital, apeando do poder, o presidente corrupto.
    Com a morte de Mao, sua mulher assumiu o poder, assessorada por três membros do PC, chamados de a gang dos quatro. O Politiburo derrubou a presidente e assessores levando-os a prisão. Desde então, foi instituída a rotatividade do mandatário. Mandatos de seis anos para o escolhido. No entanto, o sucesso na condução do país foi tão avassalador, que a regra foi quebrada, tornando Xi, presidente vitalício. Se o time está ganhando, qual a razão de mudar o técnico?
    Já estão preparando o Livro Vermelho de XI, se bem, que na atual conjuntura, a China nada têm de comunista. Sua economia é capitalista, sob um forte aparato militar autoritário e nenhuma liberdade de expressão.
    Quando Xi Jin Ping virar uma estrela no céu, aí é que virá o perigo, pois a luta pelo sucessor será fatricida, porque líderes messiânicos, não têm o costume de preparar o substituto.
    Alea Jacta Est ( A sorte está lançada).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *