TSE abre prazo e Bolsonaro e Mourão terão que se manifestar sobre inquérito das fake news

Indícios apontam impulsionamento de fake news nas eleições de 2018

Renato Souza
Correio Braziliense

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Og Fernandes, deu o prazo de três dias para que o presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão prestem informações no âmbito de Ações de Investigação Judiciais Eleitorais (Aijes), que tratam do suposto impulsionamento de campanha durante o pleito de 2018.

Og pede que ambos se manifestem em relação ao um pedido do PT para que dados levantados pelo inquérito das fake news, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) sejam anexados às ações que acusam a campanha do presidente e vice de irregularidades e podem resultar na cassação da chapa.

FINACIAMENTOS – A investigação no STF chegou a indícios de que empresários financiaram a distribuição de notícias falsas que teriam ajudado a eleger Bolsonaro em 2018. Esses empresários citados no inquérito também têm três dias para se manifestarem. 

De acordo com a decisão, tomada nesta sexta-feira, dia 29, depois de três dias, “com ou sem resposta”, o Ministério Público Eleitoral deve ser ouvido, também no prazo de três dias. Após esse tempo, que se refere a dias corridos, Og volta a analisar o caso e decide sobre a solicitação do PT, partido de Fernando Haddad, que foi o segundo mais votado no segundo turno, e perdeu para Bolsonaro.

8 thoughts on “TSE abre prazo e Bolsonaro e Mourão terão que se manifestar sobre inquérito das fake news

  1. É a tal coisa, “quando a esperteza é demais da conta ela vira bicho e come os espertos”. As campanhas políticas já eram um antro de mentiras, futricas, intrigas, fuxicos, boatos, dinheiro, corrupção…, com essa tal de fake news então ai virou um lixão a céu aberto completo. Tem que cassar, para moralizar.

  2. Os aliados da bandidocracia tucano-petelha estão abandonando a armação da “interferência na federal”. Abriram outra frente golpista; agora, baseada em “informações” coletadas num inquérito secreto e inconstitucional, aberto para perseguir, intimidar e incriminar adversários políticos do regime narco-socialista.
    Se o inquérito é secreto … cabe perguntar: como os ladrões petelhos sabem que essas “investigações” podem cassar a chapa vencedora do pleito de 2018?
    É muita podridão … o caminho para a limpeza ampla geral e irrestrita afunila-se cada vez mais. Estou cada vez mais otimista.

  3. O encontro fortuito de provas no inquérito da fake news deve ser compartilhado, caso encontre situação reveladora de disparos contratados por empresários apoiadores de Bolsonaro nas eleições.
    Simples assim

  4. Olha ai a tal “ala militar” comecando a dar uma prensa no Bozo para ele pedir dispensa do cargo de presida para nao passar a vergonha de ser tirado como a Dilmanta. Collor foi esperto e pediu pra sair.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *