Um amor não-correspondido que levou ao desespero o poeta gaúcho Augusto Meyer

Paulo Peres
Poemas & Canções

O jornalista, folclorista, ensaísta e poeta gaúcho Augusto Meyer (1902-1970), da Academia Brasileira de Letras, no poema “Gaita”, confessa que não tem mais palavras, porque seu amor não correspondido está levando sua vida, inclusive, seu orgulho.

GAITA
Augusto Meyer

Eu não tinha mais palavras,
Vida minha,
Palavras de bem-querer;
Eu tinha um campo de mágoas,
Vida minha,
Para colher.

Eu era uma sombra longa,
Vida minha,
Sem cantigas de embalar;
Tu passavas, tu sorrias,
Vida minha,
Sem me olhar.

Vida minha, tem pena,
Tem pena da minha vida!
Eu bem sei que vou passando
Como a tua sombra longa;
Eu bem sei que vou sonhar
Sem colher a tua vida,

Vida minha,
Sem ter mãos para acenar,
Eu bem sei que vais levando
Toda, toda a minha vida,
Vida minha, e o meu orgulho
Não tem voz para chamar.

3 thoughts on “Um amor não-correspondido que levou ao desespero o poeta gaúcho Augusto Meyer

  1. 1) Bela poesia, mas eu fiquei em dúvida se Gaita era o nome da amada…

    2) Ou o instrumento musical… para matar a saudade do amor que não deu certo…

    3) Ou a gíria de antigamente. Gaita era sinônimo de dinheiro.

    4) Eis a beleza da poesia que deixa o leitor refletindo as possibilidades…

  2. Não sei se é por causa da vida academica sem atividade, ou se é devido á inércia propria da velhice, o certo é que é uma chatice ler versos dos ditos imortais brasileiros. Ó vida minha!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *