Um coisa é certa – o silêncio das ruas sempre representa a voz da ditaduras

Antifas: quem são e por que lutam - Ponte Jornalismo

Esses manifestantes são antifascistas ou antidemocráticos?

Percival Puggina

Quer dizer, senhores ministros, senhores congressistas, senhores da imprensa, que democrático, no seu ponto de vista, é o mal nascido e mal criado “Inquérito do fim do mundo”, ilimitado nos objetivos e raivoso na condução, sem limites, sem borda e sem tampa?

Quer dizer que democrático é o explosivo coquetel ideológico dos grupos Antifa, só porque proclamam, contra os fatos e a história, ser “pela democracia”, apesar de justificarem a violência que habitualmente praticam?

A PASSOS DE JABUTI – Quer dizer que democrático é o senador Davi Alcolumbre, com conivência da Casa que preside, sentar-se sobre os insistentes pedidos de impeachment contra ministros do STF? Será por democrática simetria que um terço dos senadores é investigado ou responde ação penal no STF em processos que se arrastam a passos de jabuti, enquanto o inquérito das fake news, que interessa particularmente ao STF, anda a galope?

Quer dizer que usar a mão pesada do Judiciário para inibir as manifestações populares de desagrado com a conduta belicosa do STF é conduta democrática?

Quer dizer que o ministro Celso de Mello se credencia como magistrado guardião da democracia e do equilíbrio quando compara o Brasil à Alemanha de Hitler e afirma que bolsonaristas “odeiam a democracia” e pretendem instaurar uma “desprezível e abjeta ditadura”?

CONGRESSO OMISSO – Quer dizer que democrático é o silêncio das ruas bloqueadas para evitar manifestações populares diante de um Congresso Nacional omisso, surdo aos legítimos anseios expressos nas urnas de 2018?

Quer dizer que é antidemocrático apontar a chantagem com que parlamentares de má fama constrangem o governo? Quer dizer que é antidemocrática a inconformidade popular com o fato de o Congresso, em um ano e meio, não haver votado a PEC que permite a prisão após a condenação em segunda instância? Será, então, democrático desatender a esse clamor pelo fim da impunidade determinada por uma preceito que só agrada bandidos e seus advogados?

Será democrático o STF quando, em eloquentes votos, rejeita o ideário conservador e liberal que venceu a eleição presidencial?

IDEÁRIOS DE LULA – Será democrático o STF preservar a mentalidade política e as posições ideológicas próprias da era Lula, quando a maioria da nação já lhe disse não nas urnas?

Serão democráticos, por fim, o doce e dolente sossego dos poderosos, o monótono papaguear da grande imprensa, embalados pelo silêncio da sociedade? Mas não é esse desejado silêncio a própria voz das ditaduras?

13 thoughts on “Um coisa é certa – o silêncio das ruas sempre representa a voz da ditaduras

  1. Lula concorreu nas últimas eleições, Percival?
    Que maioria da não lhe disse não? – Bolsonaro foi eleito pelo voto de 57 milhões (mas 89 milhões não o escolheram)

    O ideal liberal e conservador que deu vitória ao Bolsonaro não consagrou no Congresso maioria conservadora nas duas casas…

    Além disso, a Administração Pública deve respeitar as leisbe a Constituição, cujas normas não foram substituídas por outras – e ainda assim, respeitando as vedações impostas nas cláusulas pétreas e o princípio da vedação de retrocesso.

    Outrossim, tem o Judiciário a missão de atuação contra majoritária de modo a garantir direitos das minorias – a maioria não pode tudo – em especial respeito à dignidade.

    Concluindo, lendo o artigo de Percival, percebe-se que algumas mentes possuem uma rigidez que impede o entendimento razoável.

  2. Descreveu com precisão todos os efeitos provocados pelo golpe de 2016. O golpe ensaiado desde 3013. Naqueles anos o STF cometia as mesmas barbaridades. Mas era contra o PT. Eduardo Cunha aprovou seu pacote de maldades, mas era contra Dilma. Arruinou os governo e conseguiu viabilizar o golpe, TUDO dentro da lei, TUDO democraticamente executado. Lula foi impedido de concorrer, mas TUDO dentro da lei, e respeitando a democracia. Pergunto: Esperava outra coisa? Quanta ingenuidade!!!

  3. Para início de assunto, esse manifestante empunhando uma bandeira do anarquismo, pisoteando a bandeira do Brasil, observado por policiais de braços cruzados, se fosse verdadeira, tinha que prender todos, os manifestantes e os policiais, um criminoso por ação e os outros fardados por omissão. À evidência, trata-se de uma cena tão falsa quanto uma nota de três reais, fake news, armação, montada exatamente para ilustrar artigos desse tipo, pateta e patético. O manifestante só pode ser um ator, remunerado, protagonizando um comercial, em prol do bolsonarismo, assim como o artigo sob comentários, ao que parece. Essas coisas criminosas, infelizmente, ajudam a ferir de morte a liberdade de expressão, parecendo ser essa a intenção.

    • É bem isso ai, o que será que aquele monte de policiais estava fazendo lá, de braços cruzados, do lado do vagabundo, pisoteando a bandeira do Brasil, dando proteção para o vagabundo ? Que nojo, que falsidade grosseira, tinha que identificar e punir todos eles, inclusive o fotógrafo que tb deve estar envolvido na montagem grosseira, estúpida. Só pode ser coisa do sistema político podre, fake news, das mentiras e das enganações, de direita, de esquerda e de centro.

  4. BORA, PRA CIMA DO SISTEMA PODRE. Basta de vida de gado do sistema podre a da mídia dos me$mo$. AZUL É A NOSSA COR PREDOMINANTE. Democracia Direta, nele$, Já, com Meritocracia. Boicotada pela mídia do sistema podre, há 20 anos, a Democracia Direta com Meritocracia, como boa brasileira, não desiste nunca, e segue em frente, via Internet. Marquemos a nossa presença no mundo. AZUL E BRANCO, doravante, são as cores oficiais da Democracia Direta com Meritocracia. Vista e use as cores azul e branco, pela elevação do Brasil à categoria de Nova Europa, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME,o projeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, alicerçado na paz, no amor, no perdão, na conciliação, na união e na mobilização pela mega-solução, em contraponto e oposição ao continuísmo da mesmice do sistema apodrecido e à guerra tribal, primitiva, permanente e insana dos me$mo$, por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, que está conduzindo o Brasil rumo à Brazuela, podendo chegar até o Haitibras. NO BRASIL do continuísmo da mesmice não temos capitalismo mas isto sim capetalismo, não temos Democracia de verdade mas isto sim plutocracia putrefata com jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia, de modo que, na verdade, na prática, não somos uma democracia de verdade, coisa nenhuma, porque quem manda no Brasil não é o povo mas isto sim o dinheiro, a corrupção, o poder econômico, o famigerado “Fodão”. E contra o domínio do dinheiro, que mantém tudo dominado, temos apenas a intelectualidade, a meritocracia, o conhecimento, a sabedoria, a instrução, a educação de qualidade desde o berço, que, em sã consciência, por medida de coerência, não pode ser negada por professores e professoras, a menos que sejam pessoas sem noção, fanatizadas por ideologias ou religiões. https://www.youtube.com/watch?v=fPPGqr_D2qA

  5. CARO PERCIVEL,CONSERVADOR NÃO PROPÕE AI5,NÃO SE VESTE DE KAN KLUS KLAN NÃO ATIRA BOMBAS NO STF ,NÃO PEDEM DITADURA COM BOLSONARO.A DITA DEMOCRACIA SÓ É EXERCIDA PELA ELITE,VOCE VE TRABALHADORES ATRAVES DE SUAS ORGANIZAÇÕES ENTREVISTADAS NAS MIDIAS,NÃO.

  6. P.Puggina; é exatamente isto que está acontecendo aqui nas terras brasilis .
    Mas, vamos mudar este estado de coisas pois muito mais perto do “fim do mundo” já estivemos quando aparelharam o stf e por pouco não viramos uma Venezuela.
    Temos de agradecer a presidenta Dilma por ter implodido os planos petistas, por não ter entendido (anafalbetismo funcional) os planos de domínio do estado brasileiro.
    Eu só gostaria que nomeassem hum apenas hum ato ditatorial do PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *