Um dos principais aliados de Maia anuncia apoio a Arthur Lira e aumenta crise no DEM

Coelho Filho foi o pivô de ligação exaltada de Maia para Ramos

Camila Mattoso
Folha

Um dia após o racha no DEM vir à tona, a quarta-feira, dia 27, também não foi de boas notícias para Rodrigo Maia (DEM-RJ), e para o seu candidato, Baleia Rossi (MDB-SP). Um dos principais aliados, Fernando Coelho Filho (DEM-PE) anunciou a Maia que vai votar em Arthur Lira (PP-AL).

A possibilidade já havia levado Maia a fazer um telefonema exaltado para o coordenador político do governo Bolsonaro, o ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), reclamando de interferência.

MANIFESTAÇÃO – O mais novo dissidente do DEM é filho do líder do governo Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).“Não teve mudança, nunca tinha me manifestado a favor do Baleia”, disse Coelho Filho ao Painel. Ele afirmou que Maia não tentou demovê-lo. Aliados de Lira comemoraram e dizem haver, inclusive, a chance de Baleia desistir da candidatura antes das 22h de segunda-feira, dia 1º, hora da eleição que vai escolher o novo comando da Câmara.

Hoje há o risco concreto para Maia de o DEM migrar para a candidatura de Lira. Aliados do deputado do PP dizem ter três convicções: DEM e Solidariedade mudarão de lado e assinarão apoio ao bloco de Lira.

O PSB, hoje com Baleia, não assinará apoio com nenhum deles. A despeito de suas lideranças terem anunciado apoio a Baleia, parte significativa das bancadas de DEM e Solidariedade pende para Lira. No PSB também há divisão, e deputados do partido questionaram o anúncio de apoio a Baleia ao dizer que não há maioria definida para qualquer um dos lados.

6 thoughts on “Um dos principais aliados de Maia anuncia apoio a Arthur Lira e aumenta crise no DEM

  1. Maia Nhonhô Botafogo pode ir logo pedindo carona a outros pois tem medo de voar em voos comerciais a partir de 03 Fev.

    Além disto, seus processos nas cortes superiores irão andar e o mesmo será penalizado pelos seus malfeitos.
    OAS e R$ 1 milhão
    Conforme apurado pela Polícia Federal (PF), com base em informações obtidas no celular de Léo Pinheiro, dono da OAS, o presidente da Câmara defendeu interesses da OAS no Parlamento em 2013 e em 2014 em troca de propinas. Em um dos exemplos dado pela PF, a ajuda consistia em propor emenda para a MP 652 que fixava regras para a aviação regional, dispositivo de texto elaborado por encomenda para beneficiar a construtora.

    Os investigadores afirmam que o deputado solicitou à empreiteira R$ 1 milhão em doações eleitorais, em 2014, dinheiro repassado oficialmente à campanha de César Maia ao senado – ex-prefeito do Rio de Janeiro e pai de Rodrigo Maia. O repasse foi uma tentativa de camuflar a origem da propina. Portanto, há “fortes indícios” de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, conclui o inquérito. Como Maia tem foro privilegiado, caberá ao Ministério Público Federal decidir sobre abertura de denúncia contra o parlamentar do DEM. O filho, Presidente da Câmara, nega tudo.

    Odebrecht
    Outras duas investigações são frutos de delações na Lava jato que indicam pagamentos a Maia em 2008 e 2010 como doações eleitorais.

    Em 2008, Rodrigo e Cesar Maia pediram a Odebrecht R$ 350 mil ilicitamente, porque eles não eram candidatos naquele ano. Segundo o ex-comandante do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht (o chamado “departamento da propina”), Benedicto Junior, o dinheiro foi usado para ajudar aliados.

    Em 2010, o Democrata pediu R$ 600 mil para a campanha de seu pai, Cesar Maia, ao senado. Segundo a Folha de S. Paulo (29/5/17), a investigação já encontrou registros de 400 mil no sistema do “departamento de propinas” da Odebrecht. Nestas mesmas planilhas, Maia é apontado como “Botafogo”, talvez por referência ao time que torce ou pela sala que alugava no bairro de Botafogo a empreiteira.

    Existe ainda outra delação de Cláudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, de que Rodrigo Maia recebeu R$ 100 mil, em 2013, para incentivar a MP 613. E assim desonerar a compra de matérias primas por indústrias químicas, o que beneficiou a Braskem MP 613, petroquímica da Odebrecht. Esta ainda não foi enviada ao STF.

  2. Só tinha opção que parecia filmes de terror, quanto no primeiro turno como no segundo.
    No final a escolha ou era o Maluco Beleza ou a Quadrilha dos Irmãos Metralhas, FHCorrupto/Luladrão….
    E deu o Malucão…
    A que ponto chegamos..

    Bolsonaro diz que pandemia ‘pode ser fabricada’ e desdenha de impeachment… –

    Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2021/01/27/sem-provas-bolsonaro-questiona-pandemia-e-minimiza-pedidos-de-impeachment.htm?cmpid=copiaecola

  3. Um indivíduo que é filho de político, genro de político, esta ha anos metido na política, e ainda não aprendeu a conviver com ela?
    Como pode ele, querer eleger um sucessor, tendo sido eleito com inexpressiva votação, esta em fim de mandato na câmara, não tendo nada para oferecer aos seus fisiológicos pares e ainda com acusações de mordomias e processos na justiça?
    É um político em plena decadência, e certamente depois de fora da política, deverá enfrentar uma rebordosa pior do que a do Cunha.
    Alguém precisa mandar que ligue logo o seu “desconfiômetro”, porque esta mais perdido do que cego em tiroteio.

  4. O Nhonho um dia sonhou que o partido dele tinha ficando grande, enorme e que ele seria indicado à sucessão do Pinóquio. Acordou e se deu conta de que ele vai voltar para o lugar de onde nunca devia ter saído, ou seja, fazer parte da turma que só faz ou segue as ordens vindas do Palácio do Planalto como fazia o Pinóquio, gritava, berrava, fazia escândalo mas na hora de votar votava conforme a orientação da “liderança”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *