Um governo desequilibrado

Carlos Chagas

Parece inegável faltar equilíbrio ao governo Dilma, neste início do segundo mandato. O ministério afinal composto carece de unidade e de um roteiro de ação. Não há plano diretor ou programa para a maioria dos ministros executarem. Assim, vão preferindo ficar em silêncio diante da necessidade de orientar os subordinados. Aliás, sem saber direito quais escolherão e quais cairão de paraquedas em seus gabinetes.

A equipe econômica, reduzida à troika Joaquim Levy, Nelson Barbosa e Alexandre Tombini, responde diretamente à presidente da República, como ficou claro no grotesco episódio em que o ministro do Planejamento precisou desmentir-se nos novos cálculos do salário mínimo, que anunciou e engoliu depois de admoestado pela chefe. Aloizio Mercadante não dará palpites na política econômica, mas monitora os demais ministros do setor, inclusive Katia Abreu, da Agricultura, Armando Monteiro, do Desenvolvimento e Guilherme |Afif, da Pequena e Média Empresa, entre outros conservadores. A Casa Civil também terá influência relativa sempre que cuidar do diálogo com o Congresso, teoricamente nas mãos de Pepe Vargas, das Relações Institucionais. Miguel Rosseto, da Secretaria Geral, não se contentará com os sindicatos e as organizações da sociedade civil, mas aguarda a luz verde no semáforo plantado na soleira de seu escritório. Eduardo Braga, das Minas e Energia, recebeu o conselho de afastar-se da Petrobras, a ele subordinada, enquanto George Hilton, dos Esportes, está banido da organização das Olimpíadas de 2016.

BATENDO CABEÇAS

Não teria fim a lista de bate-cabeças entre os 39 ministros e suas funções, excluídos, é claro, aqueles que nenhuma relação tem com os setores pelos quais deveriam responder. A situação dos supérfluos é menos aguda do que a dos ministros de primeira classe, mas nem por isso mais tranquila.

No meio da confusão indaga-se qual será o primeiro a pedir as contas ou a receber bilhete azul, disposta a maior parte da equipe a nem passar pela porta do palácio do Planalto. Até com a certeza de que não serão convidados a entrar.

Conforme o português castiço, um governo sem equilíbrio é um governo desequilibrado.

3 thoughts on “Um governo desequilibrado

  1. Dilma vive no País da Fantasia……..A madame se reelegeu e tomou posse no dia 01 de janeiro de 2015. E parte dos brasileiros bateram palmas para a posse de Dilma Rousseff. Aumento de juros, aumento da energia e ainda virão muitos aumentos. Pib de 2015 pequeno, Modificação nas regras do seguro de desemprego e no auxilio doença. Mas a madame Dilma Rousseff mantém os 39 ministérios e vem dizer aos brasileiros e brasileiras que vai fazer de tudo para resolver a grave crise economica que se abateu sobre a economia brasileira. Madame Dilma vive no País da Fantasia e os Brasileiros/as vivem a dura realidade deixada pelos 4 anos de Governo Dilma….

  2. Um governo eleito a custa de bolsa família, bolsa isso, bolsa aquilo, pode dar certo? Não pode, né? O que
    os brasileiros beneficiários dos programas de ajuda fizeram, foi uma tremenda sacanagem com o resto do pais. Eleger estes energúmenos, só poderia dar nisso.
    Agora é começar a contagem regressiva, para tirar esta gente do poder e tentar, novamente por o pais nos
    trilhos.
    A economia esta desabando,ha anos não tínhamos défice na balança comercial. Agora temos. A madame só
    quer dar espôrro, até já achou um novo “sparring”, o Barbosa. Essa equipe econômica não aguenta 3 meses,
    vão sair correndo, ou serão atropelados pela rebordosa que virá.
    Com tudo isso que acontecesse neste pais, pois ainda tem gente que acredita que Deus é brasileiro. Se fosse, já teria exterminado com esta zona do baixo meretrício político.

  3. Enquanto Dilma vive no País da Fantasia com seus aliados e com seus 39 ministérios o povão que mais uma vez vai sair perdendo e ganhando apenas as migalhas do grande bolo vai se arrepender de ter votado nela novamente. Os aposentados brasileiros estão morrendo a minguá há mais de 12 anos. Ela e seu antecessor o mula do lula só deram migalhas para os aposentados brasileiros. Criticaram tanto o governo do senhor FHC mas fizeram a mesma coisa ou pior com os aposentados brasileiros. ELa agora ganha 30.000,00 Reais e os deputados e senadores mais Ministros do Supremo ganham agora 33.700,00 mil reais. Enquanto o Povão vai ganhar apenas 788,00 Reais de Salário Mínimo. O reajuste dos salários deles foi de mais de 26 % ( em 4 anos a inflação bateu 20% ). Enquanto isto o reajuste do salário mínimo foi de 9%. Votaram nela e na continuação do PT no poder agora aguentemmmmmm…o ano de 2015 será muito dificil para os brasileiros. DEUS tenha piedade de todos nós.

Deixe uma resposta para José Paulo de Resende Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *