Um mau começo para o governo e o PT

De cabelos implantados, Cunha é o Renan da Câmara

Carlos Chagas

Prepara-se o PT para correr um risco dos diabos. Terça-feira sua bancada na Câmara escolherá seu candidato à presidência da casa, possivelmente Arlindo Chinaglia, para concorrer com Eduardo Cunha, lançado pelo PMDB.Tudo indica que os companheiros serão derrotados. No caso, pela conta de somar, porque junto com os peemedebistas estarão os partidos de oposição. A presidente Dilma andou ensaiando um antídoto contra o parlamentar carioca, de quem não gosta nem um pouco, mas parece haver desistido. Está informada do potencial do ex-futuro adversário. Ainda dias atrás, numa reunião com os líderes da base oficial, arriscou um sorriso para Eduardo Cunha, que retribuiu com efusão.

Fica evidente que o governo perde com a escolha, dada a intensidade com que o candidato do PMDB fala em independência do Legislativo. Isso de público, porque em particular avança mais. Sustenta que seu partido vem sendo humilhado, não dispõe dos espaços que merecia no ministério e que Dilma não perde por esperar quando começarem as votações.

Não se trata de um bom começo para o governo e para o PT, em termos de nova Legislatura. A oposição não apenas cresceu, mas tomou coragem. A maioria, de seu turno, já não se apresenta tão sólida e subserviente. Evidência é a corrida por ministérios desenvolvida pelos partidos menores, até agora numa chantagem explícita a que Dilma se tem curvado. Vai perdendo a oportunidade de compor a sua equipe, acima e além dos interesses das bancadas, como se imaginou que faria depois de reeleita. Mesmo vitoriosa na escandalosa transformação de déficit em superávit, em votação desta semana no Congresso, a presidente terá percebido os obstáculos que a aguardam este ano.

VERSO E REVERSO

Enquanto Aécio Neves contesta a vitória da presidente Dilma e chama o PT de organização criminosa, Geraldo Alckmin exalta o governo federal e dirige-se à sua chefe dizendo “conte conosco”. Não se trata mais de duas faces da mesma moeda, senão de pólos antagônicos de um mesmo partido. No fundo, com quatro anos de antecipação, está a escolha do candidato tucano ao palácio do Planalto, em 2018.

2 thoughts on “Um mau começo para o governo e o PT

  1. Acho que o parlamento deve ser independente, não é possível que o governo continue a mandar neste poder importantíssimo para o país, espero que mude imediatamente, o PT tem feito do parlamento um covil de asseclas que logo vão sendo beneficiados com cargos importantes, veja o caso do sr. Vital do Rego da PB, foi indicado para o TCU, o sujeito atrapalhou a CPI do Cachoeira e tentou melar a CPI do Lava Jato, ganhou de presente cargo no TCU, isto precisa mudar e já.

  2. O PT que fala tanto em golpe, golpismo e golpistas, já poderia começar a desconfiar, que por trás da candida-
    tura do Eduardo Cunha, a algo mais do que a simples ocupação da presidência da câmara.
    Com a titularidade do cargo, passa a ser o terceiro na sucessão presidencial. Porem numa eventualidade do
    Michel Temer passar a ser o primeiro, ele será o segundo .
    Na venalidade que se tornou a política brasileira, já não duvido de mais nada. Até mesmo de um golpe
    político, ou estarei vendo “FANTASMAS”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *