Um pequeno grande poema de Flora Figueiredo, que nos ensina a não deixar portas entreabertas

Nó - Poema de Flora FigueiredoPaulo Peres
Poemas & Canções

A tradutora, cronista e poeta paulista Flora Figueiredo, em poucas palavras, faz um importante “Lembrete”, para nunca deixarmos portas entreabertas.

LEMBRETE
Flora Figueiredo

Não deixes portas entreabertas,
Escancare-as
Ou bata-as de vez.

Pelos vãos, brechas e fendas
Passam apenas semiventos,
Meias verdades
E muita insensatez.

2 thoughts on “Um pequeno grande poema de Flora Figueiredo, que nos ensina a não deixar portas entreabertas

  1. 1) Bela poesia de uma bela poetisa.

    2) Licença… Estrofe Odontologia
    Antonio Carlos Rocha

    “Buda é Pai
    e muito faz
    que Ele esteja comigo
    nesta segunda-feira
    na dentista
    cuidando dos meus ais.”

  2. Bater as portas de vez?! Não, não é o que a vida recomenda! Todo profissional sabe que nunca devemos fechar portas – o futuro é incerto e muitas vezes precisamos do passado para construir oportunidades. Assim acontece também com o amor, se posso ser poético – abra sempre as portas, mesmo que disso lhe sobrevenha a dor:

    Por favor, não feche a porta!
    =======================

    Antes amar, sonhar, sofrer,
    Mil amores perder,
    Do que ao fim da vida chegar,
    Olhar para o passado e não ter
    Um só amor para lembrar!

    Lembrar daqueles beijos molhados,
    Do lascivo prazer, dos momentos encantados,
    E da sede de um quê, que nos completa, nos inspira,
    E dá sentido ao nosso ser.
    Antes o amor, com toda a dor, ao vazio de não o ter.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.