Um poema humanista de Jorge de Lima, em louvor mulher operria

Resultado de imagem para jorge de lima

Jorge de Lima, na viso do amigo Portinari

Paulo Peres

Site Poemas & Canes

O alagoano Jorge Mateus de Lima (1893-1953) foi poltico, mdico, poeta, romancista, bigrafo, ensasta, tradutor e pintor. O poema Mulher Proletria uma reflexo sobre a cultura patriarcal vigente na sociedade no prembulo do Sculo XX. Consequentemente, critica o capitalismo por explorar trabalhadores e transform-los em mquinas e, neste contexto, a mulher a prpria sociedade que fabrica filhos em grande nmero, mquinas humanas que sero transformadas em braos para manter a burguesia.

MULHER PROLETRIA
Jorge de Lima

Mulher proletria nica fbrica
que o operrio tem, (fabrica filhos)
tu
na tua superproduo de mquina humana
forneces anjos para o Senhor Jesus,
forneces braos para o senhor burgus.

Mulher proletria,
o operrio, teu proprietrio
h de ver, h de ver:
a tua produo,
a tua superproduo,
ao contrrio das mquinas burguesas
salvar o teu proprietrio.

3 thoughts on “Um poema humanista de Jorge de Lima, em louvor mulher operria

  1. De Jorge de Lima, gosto muito do poema O Acendedor de Lampies de rua, um vulto histrico que tinha como principal funo , imitar o sol, trazendo luz para a cidade, associando-se lua.

    O Acendedor de Lampies – Jorge de Lima
    L vem o acendedor de lampies da rua!
    Este mesmo que vem infatigavelmente,
    Parodiar o sol e associar-se lua
    Quando a sombra da noite enegrece o poente!

    Um, dois, trs lampies, acende e continua
    Outros mais a acender imperturbavelmente,
    medida que a noite aos poucos se acentua
    E a palidez da lua apenas se pressente.

    Triste ironia atroz que o senso humano irrita:
    Ele que doira a noite e ilumina a cidade,
    Talvez no tenha luz na choupana em que habita.

    Tanta gente tambm nos outros insinua
    Crenas, religies, amor, felicidade,
    Como este acendedor de lampies da rua!

  2. Mulher proletria, Jorge de Lima faz uma autntica critica ao capitalismo que explora o trabalhador, Compara a mulher a uma fbrica de produzir filhos. O ser humano no uma familia, constituida de pai, me, filhos e filhas. A mulher a sociedade que fabrica filhos, como se mquinas fossem. ” teu proprietrio/h de ver/a tua produo/a tua superproduo/ao contrrio das mquinas burguesas “salvando o teu proprietrio.

  3. Os sinos dobram por Luiz Melodia que partiu para o outro lado, hoje, dia 4 de agosto de 2016;

    John Donne escreveu: nenhum homem uma ilha, que se basta a si mesma. Somos parte de um continente; se um simples pedao de terra levado pelo mar, a Europa inteira fica menor. A morte de cada ser humano me diminui, porque sou parte da humanidade. Portanto, no me perguntem por quem os sinos dobram: eles dobram por ti.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.