Uma estrela afoita, no céu das criações de Nando Cordel

Resultado de imagem para nando cordel

Nando Cordel, destaque da música nordestina

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

O cantor, instrumentista e compositor pernambucano Fernando Manoel Correia, nome artístico Nando Cordel, faz versos para diversos estilos musicais: xotes, forrós, frevos etc. A bonita letra de “Estrela Afoita” fala de uma mulher, cujas práticas amorosas e suas consequências Nando Cordel afirma já conhecer. A música deu título ao LP Estrela Afoita gravado por Nando Cordel, em 1983, pela Barclay/Ariola.

ESTRELA AFOITA
Nando Cordel

Sai, sai de mim
Conheço sua intenção
Não pense que eu vou deixar
Você plantar saudade no meu coração

Estrela afoita
Sai do meu céu
Vai refazer-se de mel
Minha pureza já percebeu
Pega o desvio
Adeus

Deixa de comer meu tempo
Deixa meu verde florir
Meu sorriso ficar doce
Quando eu quiser dividir

6 thoughts on “Uma estrela afoita, no céu das criações de Nando Cordel

  1. Pernambucano de Ipojuca , conhecido também internacionalamente,. Seu nomeFernando Manoel Correia deu origem a Nando Cordel – junção do nome Correia e Manoel. Musicas de sucesso de Nando Cordel De volta pro meu aconchego, em parceria com Dominguinhos; Você endoidou meu coração; Estrela afoita; Agarradinho com você; Teu lugar é no meu verão; Dedicado a você, em parceria com Dominguinhos; Amor imenso, em homenagem ao Ano Internacional da Paz.

    É de endoidecer esta que Fagner tão bem interpreta

    Você Endoideceu Meu Coração
    Nando Cordel

    Você endoideceu meu coração
    Endoideceu
    Agora o que é que eu faço sem o teu amor
    Agora o que é que eu faço sem um beijo teu

    Eu nem pensei já estava te amando
    Meu corpo derretia de paixão
    Queria estar contigo todo instante
    Te abraçando, te beijando
    Te afogando de emoção
    Ficar na tua vida eu quero muito
    Grudar pra nunca mais eu te perder
    Você é como água de cacimba
    Limpa, doce, saborosa
    Todo mundo quer beber

    Você endoideceu …

  2. Como pernambucano agradeço sempre ao Carlos e ao Paulo por divulgar nossa Poesia Nordestina. Nando Cordel é de uma genialidade sem fim, e, quando juntou-se a outro Gênio Pernambucano de Garanhuns chamado Dominguinhos compuseram uma das Músicas mais lindas que conheço…

    DE VOLTA PRO MEU ACONCHEGO !

    DOMINGUINHOS E NANDO CORDEL

    Estou de volta pro meu aconchego
    Trazendo na mala bastante saudade
    Querendo
    Um sorriso sincero, um abraço,
    Para aliviar meu cansaço
    E toda essa minha vontade
    Que bom,
    Poder tá contigo de novo,
    Roçando o teu corpo e beijando você,
    Prá mim tu és a estrela mais linda
    Seus olhos me prendem, fascinam,
    A paz que eu gosto de ter.
    É duro, ficar sem você
    Vez em quando
    Parece que falta um pedaço de mim
    Me alegro na hora de regressar
    Parece que eu vou mergulhar
    Na felicidade sem fim.

  3. Sugiro que vocês pesquisem a Poesia e o Canto de Petrucio Amorim, pernambucano de Caruaru, onde a Filosofia do “Poeta Rurbano(Gilberto Freyre dizia do homem rural e urbano)” brota contundente contrastando com os problemas de nosso Brasil !

    FILHO DO DONO !

    PETRUCIO AMORIM

    Não sou profeta
    Nem tão pouco visionário
    Mas o diário desse mundo
    Tá na cara
    Um viajante na boleia do destino
    Sou mais um fio
    Da tesoura e da navalha.

    Levando a vida
    Tiro versos da cartola
    Chora viola
    Nesse mundo sem amor
    Desigualdade
    Rima com hipocrisia
    Não tem verso nem poesia
    Que console o cantador
    A natureza na fumaça se mistura
    Morre a criatura
    E o planeta sente a dor.

    O desespero
    No olhar de uma criança
    A humanidade
    Fecha os olhos pra não ver
    Televisão: fantasia e violência
    aumenta o crime e cresce a fome do poder

    Boi com sede (bis)
    Bebe lama
    Barriga seca
    Não da sono
    Eu não sou dono do mundo
    Mas tenho culpa
    Porque sou Filho do Dono !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *