Uma familia empresarial

Sebastião Nery

SÃO PAULO – Agamenon Magalhães, governador, ministro, patriarca de Pernambuco, era um político sábio: – “O homem público no poder não compra, não vende, não troca”. Outro sábio, Ortega y Gasset, filósofo espanhol, em 1921, perplexo diante do desfibramento da política e da sociedade espanhola, escreveu “Espanha Invertebrada”, sobre os rumos e o futuro da Nação: – “Uma sociedade míope agrava a enfermidade pública, prestigiando políticos sem virtudes que impõem as suas vontades e interesses em detrimento dos verdadeiros valores nacionais”.

Roberto D’Ávila com seu talento e competência profissional, entrevistando Lula na Globo News, tentou tirar leite das pedras, extrair alguma luz de uma cabeça de bagre. A entrevista com Lula foi um descalabro. Uma aula torta de como mentir, mentir sempre. Roberto podia ter encerrado a conversa relendo a página 4 da “Folha de S. Paulo” de 27 de outubro último onde está a lista das 15 empresas da família Lula.

O Brasil teve durante 300 anos uma família imperial. Agora sabe-se que tem uma “família empresarial”, que fez o milagre de chegar a São Paulo carregando uma trouxa e meio século depois ser proprietária destas 15 empresas: “1 – BR4 Participações Ltda /Capital R$4milhões. 2 – FFK Participações Ltda / Capital R$ 150.000,00. 3 – G4 Entretenimento e Tecnologia Digital / Capital R$ 150.000,00. 4 – LFT Marketing Esp. Ltda / Capital R$ 100.000,00. 5 – LKT Marketing Eireli / Capital R$ 100.000,00. 6 – Flex BRT Tecnologia S.A. / Capital R$ 20.000,00. 7 – Flex BRT Ltda / Capital R$ 20.000,00. 8 – LLCS Participações Ltda / Capital R$ 1.000,00. 9 – LLF Participação Eireli / Capital R$ 80.000,00. 10 – Gamecop S.A. / Capital R$ 10.000,00. 11 – LLCS Participações Eireli / Capital R$ 1.000,00. 12 – Touchdowm Prom. de Eventos Esportivos Ltda / Capital R$ 1.000,00. 13 – Gasbom Cursino Ltda / Capital R$ 2.000,00. 14 – Gisam Comércio de Roupas Ltda / Capital R$ 5.000,00. 15 – L.I.L.S. Palestras Eventos e Publicidade / Capital R$ 100.000,00”.

É com essa L.I.L.S. que Lula assina os recibos das fajutas conferências.

SAYAD

O saudoso mestre Florestan Fernandes ensinou que o problema do Brasil é que somos um povo atrasado. E continuamos assim:

1 – O ex-ministro e professor João Sayad da USP confirma:

– “A democracia ameaça a República se for dominada pela demagogia, por eleitores mal informados. Não há república sem homens virtuosos: honestos defensores do interesse público e corajosos. A República pode se tornar tirania. República e democracia procuram um equilíbrio delicado. A República vai mal. Falta virtude. Como tornar os homens públicos virtuosos? Deveriam ler os clássicos – Cícero, Catão, Platão, Aristóteles. Só assim homens virtuosos poderiam se candidatar sem ter que jantar escondido com financiadores de currículo duvidosos”. (Valor Econômico 15/09/15)

NOGUEIRA

2 – Professor e diretor do Instituto de Políticas Públicas da UNESP, Marco Aurélio Nogueira:

– “A política ficou submetida ao mercado e a representação perdeu substância. A fragmentação e a falta de operacionalidade do sistema político fazem com que a democracia, em alguns países, fique bloqueada e, em outros, passe a ser alimentada por doses expressivas de corrupção e ilicitude. Neste ambiente, os governos e a classe política pioram dramaticamente seu desempenho e deixam suas comunidades sem muitas saídas.” (O Estado de São Paulo 26/09/15)

ALVARO MOISES

3 – Professor José Álvaro Moisés, diretor do núcleo de pesquisas de políticas públicas da USP:

– “O sistema partidário brasileiro tem algo de paradoxal: além de sua perturbadora fragmentação e da constante troca de legendas por parlamentares, os partidos são chamados a garantir a governabilidade do País no Congresso, mas dão pouca ou nenhuma importância à sua conexão com os eleitores, que desconfiam deles, não têm preferência e não querem filiar-se. O que conta não é o que os partidos significam para a sociedade, mas como seus arranjos facilitam que os dirigentes – que em muitos casos se perpetuam na direção das legendas – conquistem ou mantenham posições de poder.” (O Estado de São Paulo, 24/08/15)

O PT nasceu para ajudar a iluminar a vida política da Nação. Só fez apagar a luz. O Brasil jamais havia descido a um nível político tão invertebrado. Ortega y Gasset não viu nada.

9 thoughts on “Uma familia empresarial

  1. Não satisfeito com o que conseguiu para o país, Lula atingiu o “Estado da Arte”!
    Formou uma “Quadrilha Familiar”!

    É tamanho o vínculo visceral estabelecido com o crime organizado, que, tendo conquistado status na hierarquia do poder, precisava criar seu próprio núcleo familiar, para sentir a presença sempre próxima de seu cheiro nas suas próprias crias!

    A delinquência é tão arraigada que é parte da sua cultura! Impressionante! A psicologia explica quase tudo!

  2. Ví parte da entrevista dele ao Roberto DÁvila, enquanto aguardava a reprise do noticiário matutino. Jamais assistí algo tão irreal e mistificador. Repetiu tudo como quem segue um script e nada de útil acrescentou. Verdadeiro exemplo de tempo perdido para todos.

  3. Com o sucesso alcançado por esta família, não sei porque a dilma não escolheu algum deles para ministro da fazenda. Se tivesse feito isto já teríamos ultrapassado a China em crescimento.

  4. Daqui a 200 anos, o Brasil continuará sentindo os efeitos nefastos dos desgovernos do PT e de Lulla, em particular.
    Ele suplantou o tal do Collor, outro de atuação macabra à frente da nação.
    Collor e Lulla têm como ídolo piratas do Caribe.

  5. Deixei de ver o tal Roberto Dávila por causa do Lulla. O entrevistador é, digamos, meio fraco e se deixou levar pelo papo inconsistente do ex-presidente, que deveria estar morando na Venezuela.
    Ou em Cuba.
    Pra nunca mais voltar.

Deixe uma resposta para Virgilio tamberlini Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *