Uma mensagem de amor em meio à podridão do mundo

A professora titular de Língua e Literaturas Francesas e poeta carioca Eda Carneiro da Rocha, no poema “Cântico de Amor ao Vento”, lança uma mensagem de amor em meio à podridão do mundo moderno.

MEU CÂNTICO DE AMOR AO VENTO!

Eda Carneiro

Vento, passa depressa,
leva todas as maldades
das almas comezinhas,
das terras áridas
que não podem ser adubadas,
nem com o melhor adubo do mundo!

A putrefação é tanta
que não se vêem mais as ribeirinhas
cantando, na lavagem de suas roupas!

O mundo recrudesceu de tal maneira
que espero um alento,
uma brisa suave
que me pegue inteira!..

Que me fale de amor, do mar,
dos barcos visionários
que esperam a primeira Estrela,
para falar de amor!..

Não me deixes sofrer nessa escuridão!..
Quero me impregnar com o sol de tua alma,
que, a procura da minha, chora!

E, como inundações de poentes,
traze-me palavras lindas,
para encantar minh’alma,
encontrarmos juntos
tudo o que ansiamos
pelo muito que amamos!..

                (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

4 thoughts on “Uma mensagem de amor em meio à podridão do mundo

  1. Eda Carneiro da Rocha escreveu: “Querido amigo, escritor e poeta Paulo Peres.Obrigada por ter publicado meu poema: ” Cântico de Amor ao Vento”.Fiquei muito feliz e lisongeada com a sua atenção.Que Deus o conserve sempre nesta figura humana com que nos brinda .Beijo afetuoso.” – Responde a este e-mail para comentares esta publicação.

    Facebook

    Eda Carneiro da Rocha comentou a tua publicação.

    Eda Carneiro da Rocha
    19/5 às 20:47

    Querido amigo, jornalista e poeta Paulo Peres. Obrigada por ter publicado meu poema: ” Cântico de Amor ao Vento”. Fiquei muito feliz e lisongeada com a sua atenção. Que Deus o conserve sempre nesta figura humana com que nos brinda .
    Beijo afetuoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *