Uma pergunta ao IBGE: como são calculados os preços dos supermercados?

Resultado de imagem para inflação charges

Charge do Nani (nanihumor.com)

Pedro do Coutto

Excelente reportagem de Daniela Amorim, edição de ontem de O Estado de São Paulo, destacou a surpresa causada pelo IBGE ao divulgar que a inflação relativa ao mês de março só avançou milimetricamente na escala de 0,09%. O IPCA do mês passado foi o menor registrado desde 1994, quando o Presidente Itamar Franco implantou o Plano Real. A surpresa pode parecer agradável aos consumidores, especialmente no que se refere ao setor de alimentação. O avanço nos alimentos foi ainda menor do que o índice mensal geral de 0,09%. Com isso a inflação acumulada ao longo de 12 meses ficou em 2,7%.

A reportagem de Daniela Amorim registra que o aumento médio dos produtos alimentícios cresceu somente 0,07 em março último. Para identificar o acréscimo pode-se dizer é necessário usar uma lente de aumento.

DANÇA DOS PREÇOS – Entretanto, na dança de preços existem os valores mínimos e médios, além dos valores máximos de cada produto. Explico: Se a pesquisa se basear nos preços mínimos, então podemos chegar a um resultado igual ao que o IBGE apresentou. Todos os consumidores podem praticar os preços mínimos, sem dúvida. Mas, para isso vão precisar percorrer, a cada vez, de três a quatro supermercados. Isso porque se existe uma estratégia de compra, à base dos menores preços oferecidos, existe também uma estratégia de venda para atrair o consumidor ou a consumidora.

Tomei conhecimento desse fato há muitos anos, quando, repórter do Correio da Manhã, fui cobrir uma exposição que reunia dirigentes e controladores dos maiores supermercados da época. Eram então as Casas da Banha, o Disco, Gaio Marti além de algum outro que não me ocorre no momento. Cada controlador falou sobre seus programas, entre eles Venâncio Veloso, das Casas da Banha.

ESQUEMA – Quando o tema deslocou-se para o plano da publicidade, Veloso deixou claro o seguinte: as compras de atacado eram feitas por lances que variavam de acordo com as propostas. Assim, quando um supermercado vencia o lance de comprar grande estoque de um produto, reduzia o preço no varejo.

Vamos a exemplos concretos.Quando um supermercado reduz o preço do feijão, eleva o do arroz, da batata, do tomate. Outro supermercado que apostou no arroz, passa a oferecer o preço mais baixo que os concorrentes, porém em contrapartida majora o preço do feijão. Estou me cingindo a uma simplificação para dar ideia da sofisticação de tal comportamento no conjunto dos preços divididos pelos supermercados.

É UMA ILUSÃO – Não há dúvida de que existem preços mínimos. Mas os consumidores não vão poder ir a três ou quatro supermercados em cada compra. O pesquisador do IBGE pode, pois este é seu trabalho. Então, quando um grupo de pesquisadores se reúne, há possibilidade de predominar a escala dos mínimos e não o estabelecimento de uma média. Além disso, tem que se considerar o esquema de preços primeiro com base na média algébrica, para depois chegar-se a média aritmética. Vários supermercados destacam-se no Rio de Janeiro e investem fortemente em publicidade.

Não quero dizer que o sistema que proponho não seja o utilizado pelo IBGE. Estou apenas perguntando, uma vez que estou entre a multidão de pessoas surpreendidas pela inflação mínima registrada em março.

Gostaria de receber a opinião de Flávio José Bortoloto, inclusive sobre a distinção entre a cesta básica e os produtos considerados supérfluos.

###
O MUNDO DEVE  237 TRILHÕES DE DÓLARES      

O jornalista Sérgio Talhata publicou no Valor de ontem que as dívidas acumuladas no mundo se elevam a 237 trilhões de dólares. A informação é do Instituto de Finanças Internacionais. Esse valor é 11 vezes maior que o Produto Bruto do universo.

Escrevo sobre isso amanhã.  

14 thoughts on “Uma pergunta ao IBGE: como são calculados os preços dos supermercados?

  1. Farinha que era comida de pobre, muitos, faziam pirão, para enganar o estomago, está a preços elevados, bem como o feijão. IBGE, está sendo manipulado? para servir ao time governamental, entrando no reino da hipocrisia, como dizia Gandhi. Pobre Brasil!!

  2. Sou eu, na minha casa, que faço compras, e digo: os preços dos alimentos estão estabilizados, os que variam são os produtos de época, conforme a safra. Quanto aos preços dos supermercados, há variações, como não poderia deixar de ser, mas em geral são variações mínimas, salvo quando há promoções, ai sim a diferença de preço é grande..

  3. “Esse sujeito fala com Deus?” bravou o bagre Gilmar…

    De que Deus ele está falando? Itau? Bradesco? Santander? BB? HSBC? City?

    Pois, “as dívidas acumuladas no mundo se elevam a 237 trilhões de dólares”.

    Há muito, muito tempo é sabido que esse modelo econômico extrapolou, explodiu, a conta não fecha, ciranda, os zeros impossíveis viraram a moeda…
    Não é sustentável, nao há como sustentar, é uma mentira.
    Por esse motivo vivemos vidas falsas, mosquitos voando em volta do poste de lu$…

    O pior: tudo isso provém da avareza de meia dúzia de sobrenomes….

    Ademã, que amanhã tem mais…

  4. .O grande e experiente Jornalista Político/Econômico Sr. PEDRO DO COUTTO, preocupado com a aparente pequeníssima variação da Inflação/2017 dada pelo IPCA-IBGE de 2,7%aa, com Índice parcial de Mar/2018 de 0,009%am o que significa forte viés de Baixa futura, especialmente com a baixa variação no Preço da Cesta Básica ( Alimentos, Mat. Higiene e Limpeza) calculadas pelo DIEESE, e que balizam indiretamente o futuro aumento do Salário Mínimo.
    Sente o experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO que o Custo de Vida é bem mais alto do que esses Índices apontados acima.

    E tem toda razão, é que esses Índices ( IPCA-IBGE, Cesta Básica – DIEESE), medem a Core-Inflation, que traduzimos por “Inflação no osso” ( Mínima dos Mínimos).

    Os Economistas, para traçar a chamada Linha de Pobreza imaginaram uma Cesta Básica de Produtos essenciais de Alimentos/mat. de Higiene e Limpeza, e fixaram 2 Cestas Básicas perCapita como a Linha de Pobreza. Houve muita discussão na época ( II Guerra Mundial) se deveriam ser 2 ou 3 Cestas Básicas perCapita. Acabaram se fixando em 2 Cestas Básicas perCapita. Vemos que é o mínimo dos mínimos. A Pessoa tem que ser bem magrinha para viver com isso.

    No Brasil, dados de 31 Dez 2017, o DIEESE calculou para as principais Regiões Metropolitanas e achou:
    São Paulo-SP…………………………..R$ 424,36
    Rio de Janeiro-RJ…………………….R$ 418,71
    Porto Alegre-RS……………………….R$ 426,74
    Florianópolis-SC……………………….R$ 418,61
    ……………………………………………………………..

    O Salário Mínimo para uma Família de 4 Pessoas deveria então ser de:
    2 X Cestas Básicas x 4
    Toma-se a maior Cesta Básica do Brasil que é a de Porto Alegre-RS ( R$ 426,74) e calcula-se:
    2 x ( R$ 426,74) x 4 = “R$ 3.413,92 “. Isso é o mínimo de Salário Mínimo para o que está escrito na Constituição Federal de 1988.
    Na prática estamos com Salário Mínimo de R$ 954,00.

    Mas não vivemos só de Cesta Básica, temos despesas com Impostos, remédios, combustíveis, energia elétrica, gás, tlfs, planos de saúde, seguros, e principalmente serviços médicos, dentários, GERAIS, etc, etc.
    Do ponto de vista da Core-Inflation essas despesas são consideradas praticamente “supérfluas”, mas não são.

    O grande problema que a Economia Política estuda é porque a PRODUTIVIDADE do Trabalhador Brasileiro é tão baixa que só pode operar com um Salário Mínimo de R$ 954,00 ( e assim mesmo temos enorme Desemprego de +- 13% da Força de Trabalho), quando no mínimo deveria ser R$ 3.413,92.

    Para nós, que aprendemos desde 1776 ( A Riqueza das Nações – ADAM SMITH ) que numa Economia existem dois tipos de Trabalho, o ÚTIL que acrescenta RIQUEZA, e o INÚTIL ( Trabalho Doméstico, guardas, vigias, fiscais, segurança, etc, etc, que embora NECESSÁRIO, devem ser reduzido ao mínimo.
    Sem dúvida o Brasil tem enorme produção de Trabalho Inútil. “Tem que diminuir isso”.

    Minha Saudação também ao nosso Decano Sr, THÉO FERNANDES e Sr. NÉLIO JACOB, Homens de muito Bom-Senso e experiência de Vida, que Comentaram acima.

  5. O IBGE E UM INSTITUIÇÃO DO GOVERNO FEDERAL .QUE INFLUIR DIRETAMENTE NOS PREÇOS EM GERAL DOS ALIMENTOS , CESTAS BÁSICAS , VESTUÁRIO , PADRÃO DE VIDA DO MAIS POBRE , ETC… COM ESSA PESQUISA E QUE TIRA O NÍVEL DO SALÁRIO MINIMO . TINHA QUE CHAMAR DE SALÁRIO JUSTO .

  6. Não acredito em manipulação. A inflação é baixa porque não tem consumo, não tem demanda. A população está endividada, além do que certos serviços aumentaram muito acima da inflação como escolas particulares. Sem consumo não tem crescimento do PIB. Nos EUA, o índice oficial não tem alimentos devido a sazonalidade. O problema brasileiro, no meu entendimento, é a possibilidade de estagnação completa do consumo devido a estrangulação dos salários.

  7. O preço do botijão de gás, que custava em media R$45 em 2015, varia de R$ 45 a R$ 115 no país (Publicado em 2 fev 2018, revista Veja), portanto media de R$80,00.

    Todas as pessoas que entram nesses cálculos de inflação consomem gás, invariavelmente.
    Menos de 3 anos e a inflação no botijão de gás é de 80%…

    Já o crescimento da inércia e da burrice do Brasileiro e incontável!
    Basta lembrar uns 8 aumentos de combustíveis nos últimos meses…
    Pagar para ouvir um bando de marionetes repetindo a missa de índices como esse de 2,7% é o fim da picada.
    Mas muito pior e aceitar a ciranda de juros acima de 300% tomado pelos bancos…

    Um LULA é uma casquinha, perto do problema que é viver numa economia como a Brasileira, onde o salário mínimo de R$3.000,00 é sonho; onde os preços, inclusive dos produtos da cesta básica, são iguais ( se nao mais altos) que os preços da cesta básica de países onde o salário mínimo e de R$5600,00.

    Onde esses pilantras que usam os meios de comunicação para anestesiar o povo e aplicam o golpe mais lucrativo do mercado financeiro MUNDIAL, e ainda ‘saem bonitos’ na fita todos os dias, sob holofotes, falando em serem Presidentes do Brasil…

    Tro-lo-ló, este é um assunto que daria um grande evento com toda a população nas ruas, mas a única coisa que se ouve são as turbinas dos helicópteros pousando nas torres dos centros financeiros do Brasil, e o povo tudo olhando pra cima, pra ver….
    Mariposada rondando a luz, pra morrer.

    Quando lembro do tal CPF na nota…
    quanta mediocridade….

  8. Se tem um setor que salva o Brasil é o rural, cujos representantes no congresso receberam da esquerda, inimiga do Brasil desde sempre, a pecha de “bancada ruralista”.
    Os supermercados que comercializam seus produtos sofrem uma concorrência exemplar entre eles, o que é a essência do capitalismo. Portanto, é muito difícil entre eles combinarem preços.
    Todo e qualquer controle a partir do estado tem provocado efeitos danosos na produção e no comércio e com isso quem paga caro mesmo sãos os consumidores e seus trabalhadores.

  9. R$1,6968 real por litro…
    Este tipo de dinheiro sequer existe!!!

    Veja – Economia 12 abr 2018,

    “Gasolina da Petrobras atinge o maior preço da era de reajustes diários
    A partir desta quinta-feira, a gasolina nas refinarias custa 1,6968 real por litro, superando a máxima anterior, de 1,6917 real observada no início de janeiro.”

  10. Supermercado Disco, que aceitava cascos de cerveja e refrigerante era bem mais barato que o exorbitante Princesa….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *