Uma verdade: custo da dívida é 20 vezes maior que o déficit da Previdência

Resultado de imagem para divida pública charges

Charge do Paixão (Gazeta do Povo)

Pedro do Coutto

Dentro da indispensável relatividade dos fatos, tese com a qual Einstein conquistou o Prêmio Nobel de 1931, vale sempre a pena comparar os números para que se possa chegar a conclusões efetivas e concretas. Dito isso, a situação do presidente Michel Temer se agrava a todos os instantes. Principalmente, com a prisão de Rocha Loures  no fim de semana que antecede de perto o julgamento do dia 6 pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Mas não é só este o fato que se adiciona à tempestade que está atingindo o Palácio do Planalto. Na edição deste domingo de O Estado de São Paulo, reportagem de Pedro Venceslau revela declarações do publicitário Elsinho Mouco que informa ter recebido dinheiro de Joesley Batista para atuar na campanha pelo impeachment de Dilma Rousseff. Elsinho Mouco é o marqueteiro oficial de Michel Temer desde 2002, atua também para o PMDB e é o autor do programa Ponte Para O Futuro.

ATUAÇÃO DIRETA – Esta informação traz consigo a realidade da participação do vice Michel Temer na queda de Dilma Rousseff. Não que a queda de Dilma Rousseff não tivesse sido causada por uma sequência enorme de erros porque o marketing não constrói milagres, não pode inverter a vontade coletiva, registrada nas ruas, e só é forte quando vai ao encontro de um desejo coletivo. É incapaz de fazer milagres como está sendo comprovado agora, já que os esforços de Elsinho Mouco se mostram inócuos para reverter a impopularidade crescente do Presidente da República.

###
DÍVIDA INTERNA E PREVIDÊNCIA

Em meio ao caos político, é importante destacar          que o custo da dívida interna é praticamente 20 vezes maior do que o déficit da Previdência. Basta aplicar a taxa SELIC sobre os 3 trilhões de reais da dívida, cujo total já representa cerca de 50% do PIB. Assim, de verdade em verdade vão desabando os mitos que se criaram ao longo do tempo. Este processo tem sua base na simples comparação entre os números que regem a economia.

Em reportagem também publicada no Estado de São Paulo no domingo, Alexa Salomão destaca que só a revogação das desonerações fiscais criadas no período Dilma Rousseff totalizam uma receita perdida de 170 bilhões de reais por ano. Mas em um levantamento paralelo de especialistas o total de favorecimentos concedidos é muito maior: atinge 260 bilhões de reais.

Pesquisas realizadas pelo economista Vilma da Conceição Pinto, da Fundação Getúlio Vargas destacam que as desonerações vão expirar só em 2036, sendo que uma parte foi concedida por tempo indeterminado.

MENTIRAS OFICIAIS – A comparação ilumina o conhecimento concreto da fenomenologia que está envolvendo o país. Fala-se costumeiramente de coisas que não se ajustam à realidade dos fatos. Esta realidade ingressa a partir de agora numa fase absolutamente crítica, como na véspera de um desfecho.

Michel Temer tenta escapar de Rocha Loures e da  verdade. Tanto assim que, numa entrevista a Isto É, destaca qualidades que identifica no comportamento do fugitivo da noite paulista. Loures será eternamente o homem da mala com 500 mil reais entregues por Ricardo Saud, executivo da JBS.

A JBS está perdendo os propagandistas da Seara e da Friboi. A revista Veja diz que Tony Ramos e Fátima Bernardes resolveram romper seus contratos. Só resta agora a ruptura do contrato social de Michel Temer.

7 thoughts on “Uma verdade: custo da dívida é 20 vezes maior que o déficit da Previdência

  1. Pedro do Couto
    Deficit da Previdencia? De acordo com a Lei 4320/64, existem três balanços para justificaren esta afirmação. ORCAMENTARIO, FINANCEIRO E PATRIMONIAL. Além da contribuição individual de cada trabalhador, existem também a Cofins, a contribuição sobre o Lucro Líquido das empresas e uma infinidade de penduricalhos. Para se ter uma idéia, as loterias da Caixa deixaram, no ano passado, mais de 2 bilhões à Previdência. Não esquecer que a DRU, retira 30% para o tal de superavit primário .
    O Brasil é uma desorganização contábil completa. Não existem Contadores suficientes para dar assistência a 5570 municipios. Cada cidade é um Brasil em miniatura

  2. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO, nesta boa análise, entre outras coisas alerta que o Custo da Dívida Pública é múltiplas vezes maior que o Deficit da Previdência Social.

    Os alimentadores da Dívida Pública são o Deficit Fiscal ( Governo gastar mais do que Arrecada), e o não pagamento anual dos Juros da Dívida Pública por falta ou insuficiência de Superavits Primários.
    As Desonerações Fiscais criadas no Governo DILMA foram medidas anti-cíclicas e tinham objetivo de atenuar a Crise, portanto justificadas.
    Sendo nosso maior problema a Dívida Pública, a solução passa por ZERAR nosso Deficit Público e criar crescentes Superavits Primários. Mas isso implica em Zerar todos os Deficits Fiscais do Governo, começando com o da Previdência, na verdade Seguridade Social ( Previdência – Saúde – Assistência Social), e criar crescentes Superavits Primários. Isso é Aritmética pura e ninguém discute.

    O que sim temos que discutir/dialogar muito, é a maneira de fazer isso de forma mais JUSTA possível, fazendo com que o sacrifício exigido caia mais nas costas dos que tem maior capacidade de pagar.
    Isso tem que ser feito com calma e tranquilidade, e leva um certo tempo. É errado querer fazer isso “a toque de caixa”.

    Só depois de solucionado o problema da Dívida Pública e sua SOLVÊNCIA (Capacidade do Governo girar/pagar), recuperaremos a CONFIANÇA, e poderemos crescer forte sem Inflação.

    • Sr. Flávio, bom dia,

      A solução é justamente o contrário, alongar o perfil da dívida, diminuir os juros drasticamente, estamos numa recessão sem data para acabar.

      Segue um vídeo de um auditor fiscal explicando detalhadamente como foram retirados bilhões da seguridade social para pagar esta dívida pública.

      https://www.youtube.com/watch?v=5tFDMT1h-yQ

      Ele ainda comenta que se é deficitária como pode tirar dinheiro dela.

      Então é assim: tira da previdência para pagar juros e depois pega empréstimo para pagar a previdência??????

      Explica isso por favor.

      Haverá um dia em que quase todo orçamento será para pagar divida pública?????

  3. A constituição de 1988 preve uma auditoria desta divida que com certeza é outro assalto cometidos contra a nação e de proporções infinitamentes maiores que os demais . Não se ve e nem se ouve da imprensa e muito menos dos poderes públicos alguma denúncia sobre tal fato , sera por porque ? O verdadeiro detentor do poder neste pais é e continuará sendo o sistema financeiro , os ” PODERES ” constituidos são meramente figurantes , servis vendidos que por uma parcela dos assaltos à nação e a sociedade tutelam e alimentam este virus , através de suas politicas dadas como econômicas , financeira e outras tramóias .

  4. Pior é que não se pode esperar desse governo, Temer e Meirelles uma auditoria dessa dívida pública, tendo em vista, que é um governo pró banqueiros.

  5. Prezado Sr. OBSERVANDO, Bom Dia.

    Nossa proposta: Zerar o Deficit Público e ir criando crescente Superavit Primário, para melhorar o Crédito do Governo obter ABATIMENTOS.
    Dentro dessa situação é fácil alongar o perfil da Dívida e baixar os Juros.

    Mas deixando Deficit Público alto e até aumentando-o ainda mais, aí não dá de aplicar a tua solução. Nenhum Credor vai concordar em alongar o perfil da Dívida e baixar os Juros, enquanto o RISCO aumenta do Governo dar Calote, como fez a Argentina em 2001.

    Muito Obrigado pelo Link da Palestra do Perito em Previdência Social, entrevista na Rádio de Araraquara-SP. Concordo com tudo o que ele disse, mas veja que ele também admite que o Sistema de Assistência Social do Brasil necessita AJUSTES. É uma questão de Bom Senso.

    Não há perigo de todo o Orçamento Federal chegar a um dia não ser necessário para pagar os Juros/Amortização da Dívida Pública, porque então os CREDORES teriam matado a sua “galinha dos ovos de Ouro”.

    Mas veja, a meu ver a culpa maior não é dos CREDORES ( Banqueiros), mas do Governo que administra mal os Negócios Públicos.
    De mim, os CREDORES ( Banqueiros) não tiram nada, nem Cartão de Crédito eu tenho de tanto medo dos Juros altos que tenho.
    Abração.

    • Sr. Flávio, bom dia novamente,

      Ele admite que o sistema de Assistência social necessita de ajuste, mas diz também que já foi feita uma reforma da previdência:

      1-O fator 85/95 que está valendo atualmente chegará a 90/100 dentro de poucos anos.

      2-Nenhum funcionário público federal que foi admitido a partir de 2003 se aposentará acima do teto do INSS, um pouco mais de 5 mil reais.

      Voltando ao fator 90/100, dando um exemplo de um trabalhador que completar 35 anos de contribuição e quiser se aposentar terá que ter 65 anos de idade, 35 + 65 = 100

      Ou 40 de contribuição + 60 de idade.

      Essa neo-reforma, 2017,FERE o artigo 1º da CF/1988 no seu inciso III

      III – a dignidade da pessoa humana.

      Quando ela (a reforma) reduz a pensão de um cônjuge a 50%.

      Quando ela coloca um teto de 2 salários mínimos para acúmulo de aposentadoria e pensão.

      Porque esse teto não pode ser o teto do INSS um pouco mais de 5 mil reais?

      E outras coisas mais…….

      Com relação a assistência social, eu acho muito justo a aposentadoria dos rurais que nunca contribuíram, mas esse benefício teria de sair dos impostos.

      Esse seria o ajuste citado acima.

      Finalizando, como bem disse o especialista em previdência, média é média, milhões não chegarão a se aposentar.

      Um abraço e desculpa a “quadréplica” se é que existe esta palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *