Vagando pela noite, junto com Nelson Motta

Nelson Motta, um intelectual realmente multimídia

O jornalista, escritor, roteirista, produtor musical, poeta e compositor paulista Nelson Cândido Motta Filho expõe seu drama amoroso através de uma “Noite Vazia”, na qual vagou pelas ruas da cidade até o dia amanhecer. Esta música faz parte do LP da trilha sonora da novela O Grito, gravado em 1975, pela Som Livre.

NOITE VAZIA
Nelson Motta

Pela cidade deserta
Todas as portas fechadas
Pela rua que amanhece
Pelas luzes que se apagam
O que mais posso fazer
Com quem mais posso falar

E como posso viver, cantar
O que mais posso esperar
Se amanhã é outro dia
Sem manhã e sem você
               

(Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

One thought on “Vagando pela noite, junto com Nelson Motta

  1. Desajuste fiscal regando as flores do deserto, com chuvas de insetos.

    O Salto suicida do Brasil, a mentira e a canalhice seguem sen a dor, nada mais atual:

    O Salto

    Rappa

    As ondas de vaidades
    Inundaram os vilarejos
    E minha casa se foi
    Como fome e banquete
    Então sentei sobre as ruínas
    E as dores como o ferro
    A brasa e a pele ardiam
    Como o fogo dos novos tempos
    Ardiam
    Como o fogo dos novos tempos

    E regaram as flores no deserto
    E regaram as flores com chuva de insetos

    Mas se você ver
    Em seu filho
    Uma face sua
    E retinas de sorte
    E um punhal
    Reinar como o brilho do sol
    O que farias tu?
    Se espatifaria
    Ou viveria o espírito santo?
    Se espatifaria
    Ou viveria o espírito santo?

    Aos jornais
    Eu deixo meu sangue
    Como capital
    E às famílias
    Um punhal
    (à corte eu deixo um sinal)

    As ondas de vaidades
    Inundaram os vilarejos
    E minha casa se foi
    Como fome e banquete
    Então sentei sobre as ruínas
    E as dores como o ferro e
    A brasa e a pele ardiam
    Como o fogo dos novos tempos
    Ardiam
    Como o fogo dos novos tempos

    Mas se você ver
    Em seu filho
    Uma face sua
    E retinas de sorte
    E um punhal
    Reinar como o brilho do sol
    O que farias tu?
    Se espatifaria
    Ou viveria o espírito santo?
    Se espatifaria
    Ou viveria o espírito santo?

    Aos jornais
    Eu deixo meu sangue
    Como capital
    E às famílias
    Um punhal
    (a corte eu deixo um sinal)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *