VARIADAS, com Wellington Salgado e Helio Costa, Ana Cristina Kubitschek e Paulo Otavio, Roriz, Paim e Salvati, Eduardo Jorge e a Receita

Com a mãe, DONA de universidades em vários pontos de Minas, (no Rio tinha uma “portinha” de ensino, nada mais) o suplente de Helio Costa pôde dar a ele, 4 milhões. O importante é saber se ele e mãe DECLARARAM.  XXX  E como o suplente “mandou” o efetivo “ficar de boca calada”, pelo jeito as coisas estão incertas.  XXX  A propósito: Wellington Salgado, mais de 5 anos suplente de senador, queria ser suplente para governador. Não conseguiu. Para senador, basta FINANCIAR. Para governador, tem que ter voto, não basta a conta bancária alta.  XXX  Ana Cristina Kubitschek, queria seguir a vocação de suplente, do marido Paulo Otavio. Alertada que “mesmo” eleita, poderia não tomar posse, desistiu. O marido renunciou depois, ela renunciou antes.  XXX  Joaquim Roriz pelo menos acertou uma: está dizendo na campanha para governador, “tenho o apoio de Deus”. Precisa mesmo. Ser eleito sem ser candidato, tem um certo tom de milagre.  XXX  O PT é tão destrambelhado (ou seria mesmo aloprado?) que festeja a possível derrota dos senadores Paulo Paim e Ideli Salvati. Por quê?  XXX  Ele, durante 8 anos, serviu obstinadamente à coletividade. Ela, liderou o partido no Senado, com dedicação, desassombro e até devoção.  XXX  Além da baixaria, da indignidade, da destruição da credibilidade da vida pública, dois fatos sobre a quebra do sigilo da Receita Federal.  XXX  1 – Nunca pensei que fosse tão fácil “penetrar na Receita, são centenas de constatações.   XXX  2 – Por que a insistência contra Eduardo Jorge, vice do PSDB. No passado tentaram desmoralizá-lo, nunca vi ninguém defender tanto a própria dignidade, conseguiu. Agora, “quebram seu sigilo”, para quê? O que fazem com o que obtêm com esse VAZAMENTO?  xxx

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *