Variadas, sobre o assassinato de Mário Alves e o depoimento da desembargadora Tania Heine, que julgou o processo em primeira instância

Na Primeira, o “Jornal da ABI” homenageia Mario Alves, uma das inúmeras vítimas da ditadura. Foi morto nos porões do DOI-Codi, a “grande” criação do general Orlando Geisel. Sua mulher e filha reivindicam a localização do corpo para que tenha sepultura digna. *** Parece surpreendente: mas no Rio se ASSASSINOU muito mais do que em São Paulo, com uma população muito maior. *** Os “governadores” de lá, Abreu Sodré, e o daqui, Chagas Freitas, sabiam de tudo, colaboraram “dedicadamente” ou perderiam o Poder e as facilidades que ele proporciona. *** Está para sair uma biografia de Marighela, com esclarecimentos importantíssimos sobre aquela época terrível. O autor dessa biografia, o grande repórter Mário Magalhães, dá os últimos “retoques” no trabalho, que terá enorme repercussão. *** Os filhos do embaixador Jaime Rodrigues. participaram da homenagem ao pai. *** Depoimento importante: Tania Albernaz de Mello Bastos Heine, conta para a ABI, sua emoção quando juíza de primeira instância, recebeu para julgar o processo do ASSASSINATO de Mário Alves. *** Dilema terrível, Seu pai estava exilado durante anos no Uruguai. *** Sua irmã também havia sido presa e TORTURADA no CODI-Doi, a central de todas as indignidades praticadas contra seres humanos. Julgou o processo, e agora a ABI ajuda a desvendar e esclarecer aqueles tempos que devem ser resgatados.
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *