Vendaval da corrupção no combate à pandemia passou pelo Rio e segue para a Amazônia

Ter um interino no comando da Saúde não é o melhor dos mundos ...

Mourão reconhece os erros cometidos pelo governo na Amazônia

Pedro do Coutto

O vendaval da corrupção sem dúvida alguma destruiu a administração de vários Estados, bastando acentuar que cinco governadores foram denunciados, com secretários de saúde e assessores presos e envolvidos seriamente nos processos que gravitam no espaço da Justiça. Incrível. No Estado do Rio de Janeiro já temos consequências políticas, com o pedido de abertura de impeachment de Wilson Witzel aprovado pela Assembléia por 69 a zero.

O governador anuncia recurso a Justiça, alegando que estaria havendo cerceamento de defesa. Na minha opinião, é extremamente difícil que Witzel possa superar a reação contra ele.

ATÉ EM BRASÍLIA – Mas o vendaval da corrupção, talvez até um ciclone, já passou por Brasília e começa nos dias atuais a se aproximar e penetrar na Amazônia. O vice presidente Mourão em uma entrevista a Eliane Cantanhede, O Estado de São Paulo, reconheceu que houve omissão contra o desmatamento sucessivo e o recurso das queimadas para ocupação ilegal de terras.

Reportagem de Leandro Prazeres, Paula Ferreira e Gustavo Maia, O Globo de hoje, revela que o governo exonerou Lubia Vinhas que apontou no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais o avanço do desmatamento na região. Especialistas na matéria, como Ricardo Galvão, condenaram o afastamento e disseram que o Ministro Ricardo Salles pratica uma administração desastrosa. Lubia foi exonerada pelo ministro Marcos Pontes, titular da pasta da Ciência e Tecnologia. 

DESMENTIDO – André Trigueiro, da Rede Globo, recebeu informação de Marcos Pontes: Lubia Vinhas foi quem pediu demissão, o que foi desmentido por ela. Há poucos dias Hamilton Mourão revelou que investidores estrangeiros condicionam suas aplicações no Brasil à preservação da Amazônia.

O Estado de São Paulo, matéria de Giovana Girardi, ressalta com grande destaque a demissão de Lúbia Vinhas frisando que o desmatamento na Amazônia, nos últimos 11 meses subiu 65% em relação ao período também de 11 meses de agosto de 19 a junho deste ano. Até o Ministro Paulo Guedes, de acordo com reportagem de Eduardo Rodrigues e Lorema Rodrihues, O Estado de São Paulo de hoje, defende mais compreensão para preservar a Amazônia através de correção de erros. A não preservação bloqueia investimentos estrangeiros no país.

FUTEBOL NA TV– Tomara que amanhã não chova, para que o FlaxFlu decisivo seja disputado com bom tempo no Maracanã. A confusão quanto ao televisIonamento continua. Matéria de Igor Siqueira, O Globo de hoje, focaliza o assunto e destaca o problema entre o Flamengo e a TV Globo, reflexo a seu ver da medida provisória 984 do presidente Bolsonaro, que alterou as normas para o pagamento de direitos autorais.

Como amanhã o mando de campo é do Flamengo, o clube pretende negociar os direitos de transmissão com o SBT e não com a Globo. As partidas anteriores foram transmitidas através dos canais FLU TV e FLA TV. No caso do FLA TV apenas a partida final da Taça Rio. Amanhã vamos ver o que acontece e se a Globo permite a transmissão pelo SBT como permitiu as transmissões pelo Youtube.

Depois volto ao assunto.

2 thoughts on “Vendaval da corrupção no combate à pandemia passou pelo Rio e segue para a Amazônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *