Verdades lamentáveis sobre religião, sem querer ofender quem quer que seja

01

Ilustração do Duke (O Tempo)

José Reis Chaves
O Tempo

Os cristãos interpretam a Bíblia de dois modos: um de acordo com os dogmas e outro não dogmático. Há, pois, dois cristianismos: um de dogmas e outro sem dogmas. Quando uma doutrina cristã era declarada como dogma, ai de quem fosse publicamente contra ele! E toda doutrina que foi declarada dogma era justamente porque ela era polêmica. E era polêmica porque ela não tinha fundamento bíblico correto e, às vezes, era até contra a Bíblia. Os dogmas foram também causa de muitos conflitos entre a ciência e o cristianismo.

A ciência avançou, deixando para trás muitas ideias erradas como a questão do geocentrismo, que ensinava que o planeta Terra era o centro do mundo e que o Sol e demais astros do universo giravam em torno do nosso planeta Terra, o que estava de acordo com um texto do Velho Testamento da Bíblia interpretado literalmente e, pois, de modo errado (Josué 10: 13).

FALSAS VERDADES – Com as descobertas físicas e astronômicas pelos cientistas, entre eles Copérnico, Kepler, Newton e Galileu, ficou provado que o geocentrismo estava errado e que o certo é o heliocentrismo. O Sol é que é o centro de nosso sistema e que são a Terra, os demais planetas nossos vizinhos com seus satélites que giram em torno dele.

Isso chamou a atenção dos teólogos e biblistas que passaram a perceber muitos erros de interpretações da Bíblia como causa de falsas verdades científicas e religiosas aceitas até àquela época.

E, por incrível que pareça, com a chegada da chamada Era do Espírito, as religiões cristãs, em vez de se exultarem com mais uma grande vitória do espiritualismo contra o materialismo, elas têm dado as mãos ao materialismo!

DIVISÕES CRISTÃS – Com a genética e a física quântica, o espiritualismo fortalece-se, também, na ciência. Mas fica prejudicado com os dogmas cristãos. Daí que ele, o espiritualismo, inclinou-se mais para a filosofia e as religiões orientais. E o pior é que os dogmas são proclamados constantemente como sendo a base do cristianismo, mesmo eles não tendo o respaldo bíblico, o que provoca ainda mais divisões entre os próprios cristãos, muitos dos quais até se odeiam entre si, enveredando eles, pois, por caminhos totalmente contrários ao verdadeiro cristianismo.

Sim, pois, foi o Mestre dos mestres que ensinou que seus discípulos seriam conhecidos por eles se amarem uns aos outros (João 13: 35). E o evangelista João diz também que quem fala que ama a Deus, mas odeia seu irmão, é mentiroso (1 João 4: 20).

PESQUISAS – A parapsicologia espiritualista (uns preferem denominá-la, hoje, de radiônica e psicotrônica), a qual teve como pioneiro o norte-americano Rhine, da Duke University, foi apoiada pelas pesquisas de vários outros renomados parapsicólogos, entre eles sua própria esposa professora e escritora Louise Rhine, além de Bateman, Soal, Carrigton, Pratt, Tischner, Ehrenwald e outros. Mas essa teoria teve como adversários parapsicólogos católicos, como o francês Robert Amadou e o brasileiro padre Óscar Quevedo, os quais, sem serem materialistas, ficaram mais ligados à parapsicologia materialista do que à espiritualista, exatamente porque a espiritualista estaria em desacordo com os dogmas cristãos.

É realmente lamentável que alguns dogmas cristãos têm provocado tantas divisões entre os cristãos! E mais lamentável, ainda, é o fato de que as religiões cristãs dogmáticas preferirem apoiar a ciência materialista a apoiarem a ciência espiritualista não dogmática! Até quando isso vai continuar assim?

16 thoughts on “Verdades lamentáveis sobre religião, sem querer ofender quem quer que seja

  1. É pedreira discutir religião e a Bíblia, pois são tantas as religiões e muitos os livros sagrados feitos pelo homem!
    Só achei estranho o Deus cristão criar a luz no primeiro dia e as estrelas somente no quarto…

    Abraços.

  2. Meu caro amigo e professor Rocha,

    Vivemos em um mundo de incertezas, de quanto mais avançamos na ciência e tecnologia, mais o homem recua em termos espirituais, negando-se a aceitar a realidade que o prime, em consequência as fugas mediante uma vida instável, de vícios, dependências, de procuras incessantes por novas companhias amorosas, por seguir as tendências da moda!

    Volta e meia é a religião muçulmana a que mais cresce;
    Em outras épocas, as neopentecostais;
    De vez em quando o Espiritismo;
    Pois agora tu me apresentas o Budismo, como a religião que se destaca nesse momento.

    Correndo de um lado para outro, sem ter a fé devida em qualquer uma dessas filosofias religiosas, também se detém na Umbanda, no sincretismo, pois o homem está insatisfeito consigo mesmo, razão pela qual não serão nas religiões que encontrará a sua paz, o seu conforto espiritual.

    Nesse meio tempo, de crescimentos ou não de seitas as mais diversas e exóticas – lembras as americanas e seus shows mirabolantes, como Jimmy Swaggartt? Os cantores fantásticos que compunham a sua equipe? -, creio que a falta de confiança em si mesmo, na sua própria capacidade de resolver os problemas e não esperar por magias ou milagres, o ser humano se embrutece, perde a sua solidariedade com o próximo, preocupa-se somente consigo mesmo e seu bem-estar, atendendo somente aos apelos de seu egocentrismo!

    Exemplo?
    Os parlamentares!
    Os grandes empresários.
    Os banqueiros.
    Os donos dessas religiões, tais como Edir Macedo, Valdemiro, RR Soares, Malafaia, Agenor, um pessoal que será vítima ainda de suas eloquências.

    Observa que todas essas religiões querem do homem a sua contribuição pecuniária, as doações, o vil metal, assim como o governo com os impostos, os bancos com os juros, o grande empresário que também alimenta a corrupção e exige de seus funcionários que se submetam às tentações, as propagandas na TV que nos levam ao sonho e consumo desenfreado, mais dinheiro, portanto, que fomos transformados naquilo que recebemos, valemos apenas o nosso salário, que nos apresenta à sociedade mediante o carro e a casa que moramos.

    Não bastassem tanta confusão e incertezas, a comunicação age ao inverso:
    Não mais nos aproxima, mas nos distancia, através de uma objeto retangular, que nos deixa obcecados para teclar, e não mais falar, dizer, ouvir a voz do interlocutor, apenas ler as respostas!

    Não existe religião hoje capaz de nos tirar dessa frustração, infelicidade, decepção, resignação, dessa constatação que somos fracos, frágeis, medrosos, covardes, muitas vezes.

    O homem precisa voltar a se descobrir, a se encontrar, a saber de suas potencialidades, da sua capacidade de realização mas, principalmente, ter em mente que ele é o agente de felicidade do outro!

    Enquanto eu me preocupar com os outros, em melhorar as suas vidas, em proporcionar-lhes chances de desenvolvimento, progresso, um dia aquela pessoa será alvo de uma outra, que o atenderá nas suas necessidades e anseios, então poderemos de novo encontrar a felicidade perdida, a razão de se viver, a vida na sua essência!

    E vou mais longe, muito mais longe, e sei que obterei severas críticas, lamento, porém devo ser verdadeiro comigo, em princípio, e depois com os meus colegas:

    TAMBÉM NÃO SERÁ PROCURANDO DEUS OU MUDANDO DE RELIGIÃO QUE CONSEGUIREI O EQUILÍBRIO E A PAZ TÃO NECESSÁRIOS!!!

    Somente as pessoas serão felizes através de outras pessoas, ali é que está o meu tesouro, a minha sorte, a minha riqueza!

    Somente serei alguém, se eu tiver um lar onde reine a harmonia, o respeito, o amor;
    Se eu amar a minha esposa e filhos, se eu tiver como obrigação e me concentrar nesse aspecto, fazê-los felizes, realizados, que gostem da minha companhia;
    Se eu manter o casamento de todas as maneiras e formas que o caracterizem como sólido, bem constituído, havendo fidelidade, sinceridade, amizade, carinho e afeto;
    Se eu não for casado, a minha preocupação com os pais, irmãos, primos, parentes e amigos;
    E, mesmo sendo casado ou solteiro, devo ser atencioso e educado com meus superiores, com meus chefes, com as autoridades.

    Não preciso comentar a falta de ética e moral de nossas autoridades constituídas, em consequência, a falta de respeito que angariaram pelo comportamento nocivo e nefasto que lhes é peculiar!

    Muito antes de a religião servir de alicerce para o homem, a base é a sua fé em si mesmo, na sua vontade, disposição, ânimo, persistência, luta, coragem, garra, enfrentar os desafios diários. Ter ao seu lado a sua mulher, o respeito e amor dos filhos, o reconhecimento da sociedade que se é uma boa pessoa, mesmo sendo anônimo, mas a sua vida não tem máculas, passagens pela polícia, processos criminais.
    Depois, então, a religião, a fé estimulada, os caminhos de uma vida espiritual também necessária, que somente será atingida após a conciliação entre a realidade e a existência, de modo que não se precise esperar pelos tais milagres, que somente acontecem na razão direta do valor do óbulo, da doação, no mínimo uma afronta ao próprio Deus!

    Enfim, até mesmo o Budismo tem aspectos que dificultam a sua crença para quem não é oriental, para quem vive nesse caldeirão ocidental, de competitividade pessoal exacerbada, de princípios e valores um tanto voláteis, a começar com a reencarnação, e a reencarnação em qualquer forma de vida, desde um rato, uma pulga, uma formiga, para um cavalo, baleia, hipopótamo, um elefante – certamente em vidas pregressas fui um paquiderme!

    Não posso crer nesta involução, de um ser humano, portanto, racional, por mais modestas que sejam as minhas luzes, para um irracional, por mais memória ou capacidade que eu tenha de ser adestrado e domesticado!

    Sendo assim, os egípcios tinham razão em ter o gato como divindade, pois o bichano é simplesmente impossível de ser adestrado, de obedecer ordens ou, por acaso, alguém já viu espetáculos de gatos nos circos?!

    Existem até os grandes felinos treinados, leões, tigres, onças, jaguares, mas, gato, não mesmo!

    Das duas uma:
    Ou os gatos jamais reencarnaram ou se torna uma forma de vida mantida na sua originalidade pelo Buda, diante da rebeldia desses animais domésticos, surpreendentemente, então a reencarnação tem suas exceções!

    Bom, é muito melhor a gente discutir e debater religião que nos matarmos por ela.

  3. As primeiras religiões foram criadas, com leis e regras para impor ordem à população, quem não cumprisse as leis seriam punidos por Deus e em nome de Deus. Com o passar do tempo percebeu-se que a religião dava poder político e riqueza a cúpula religiosa..
    Hoje, além da religião católica existem inúmeras religiões chamadas de evangélicas., todas materialistas. Fazem propaganda nas televisões como se fosse um produto qualquer, para aumentar.o número de fiéis e o dízimo. O mais importante é que quanto mais fiéis mais poder político. É aí, que mora o perigo, para qualquer nação.
    O antigo testamento foi escrito pelos “chamados” de profetas, que nada mais era, senão intimidar o povo e ser temente a Deus, caso contrário seriam vítimas da ira de Deus.
    Moisés deu nome a Deus, que o chamou de jeová, era o Deus dos Judeus, que os defendia, jogando pragas em seu inimigos etc.
    O novo evangelho, nos trás ensinamentos de Cristo, de suma importância para o ser humano e a sociedade, assim como os ensinamentos de Buda, Confúcio, Platão e tantos outros filósofos.
    Sem dúvida o espiritismo será a ciência do futuro.
    .
    .

    • 1) Muito bom Nélio !

      2) Está circulando nas redes um aviso:

      3) “Não se esqueça que a bancada evangélica votou nas Reformas Trabalhistas do Temer prejudicando os trabalhadores”.

      4) Desempregados e dizimistas ficarão em situação difícil. Mesmo assim, será que votarão na bancada da fé?

  4. Já no Concílio de Nicéia havia mais bispos na sala do que mosquito em lixão. Hoje esse número se equivale.
    Nesse Concílio de Nicaea, o pastor Arius, que defendia não ser Jesus um Deus, feito da mesma matéria do Pai, se ferrou. Foi, por assim dizer, um Francenildo pallocciano: sofreu na carne pelo crime de defender o que é racional.

  5. Penso que, sobre o assunto, não seja necessário tanto palavrório; há duas situações a que se examinar:

    1 – Disse o mestre: “Acaso não sabeis que sois templos do Divino e que o Espírito de Deus habita em vós? Não buscai Deus fora de vós! Ele está dentro de vós!”. Assim, ficam no escanteio, as religiões, com seus dogmas e interpretações, pelos chamados “Doutores da Lei”, apontando para um Deus, “lá no céu”, cercado de anjinhos tocando vuvuzelas e liras, vigiando o povaréu aqui em baixo, tal qual um chefe de polícia, ameaçando todo mundo com o paraíso ou a danação eterna… O sagas Shakespeare, diante disso, deixou o famoso aforismo: “Ser ou não ser, eis a questão”. Ora, afinal, o que é “O Ser” e o que é o “não ser”? É exatamente o que o dogma oculta…

    2 – Segundo Zecharia Sitchin, no livro “O Décimo Segundo Planeta”, fundamentado em dados arqueológicos da Antiga Civilização Suméria e tradução de línguas extintas, o ser humano é resultado de experiências genéticas de seres extraterrestres procedentes do planeta Nibiru, a partir do emprego de componentes genéticos nibiruanos aplicados em hominídeos aqui encontrados… Paralelamente, em notícias da NASA e de outras fontes envolvidas, há constatação de existência de seres inteligentes fora do nosso sistema solar. Os governos ocultam essas informações com o objetivo de preservar a estrutura mental em que se encontra a humanidade e impedir o seu desmonte…

  6. Pô, Anunnaki, depois de eu saber a minha origem, perdi a graça, quero retornar para Nibiru, pois lá sou amigo do rei, tenho a mulher que quero e dormirei na cama que escolherei!

    Quer dizer que os antigos sumérios, que não entendiam bulhufas do Universo, sabiam que não somos terráqueos, mas uma mescla de dna’s os mais variados e exóticos?!

    E o nosso planeta é o Nibiru?!

    Quer dizer, nem o Huble, o telescópio mais gigantesco e perfeito já criado pela mão do homem o descobriu, os sumérios não só sabiam a sua colocação – na nossa galáxia ou em outra muito mais distante? – como o nome do planeta de onde viemos ou seria uma estrela ou cometa ou asteroide ou até mesmo uma lua?!

    Bom, a crença é livre, e a mente … inimaginável!

    • Meu caro Bendl! Grato pela contestação, mas citei o livro em que baseei meu comentário bem como o seu autor que foi, também, “Consultor da NASA”. Além disso, tradutor de línguas extintas. Formado na “London University”, com graduação em História, um dos poucos acadêmicos capazes de interpretar as tabuletas cuneiformes de argila, escritas em sumeriano antigo e acadiano. Sua obra principal, “Crônicas da Terra”, fundamenta-se em documentos e pesquisas arqueológicas, da qual o livro citado é uma das peças. Assim, minha colocação não foi obra do simples achismo. Suponho que mereça um aprofundamento nas conclusões do autor.
      De minha parte, cruzando outros dados posso deduzir que as colocações de Sitchin tenham estimulado o próprio papa, com o apoio do Observatório do Vaticano, a “admitir que existam seres inteligentes em outros mundos e que, os mesmos seriam todos nossos irmãos”… (Há dados sobre isso na Internet)
      Abçs

      • Anunnaki,

        Por favor, não estou zombando ou brincando com as tuas afirmações.

        Eu apenas quis dar à discussão uma “aliviada”, ser mais ameno, então a forma como comentei as tuas informações.

        Hás de convir comigo que, em termos de teorias, estamos à mercê das mais criativas quanto àquelas mais inverossímeis, basta que alguém creia em uma delas e saia dizendo que descobriu de onde viemos, para concluir sobre o que fazemos aqui e para onde vamos, e dentro de uma simplicidade surpreendente!

        Um abraço.
        Saúde e paz.

        • Entendo sua posição, caro Bendl, porém, até agora, ninguém contestou “as provas” levantadas por Sitchin! Além do mais, há passagens, na Bíblia, que dão estofo a essa posição. Sitchin investigou quem eram “os filhos de Deus, que desceram dos céus, acharam belas as filhas dos homens e com elas coabitaram, gerando filhos que foram os grandes varões de fama”. Afinal, esses tais, que vieram dos céus, sejam “anjos” ou não, se não eram originários daqui, eram extraterrestres! E os filhos desses com “as filhas dos homens”? Os Doutores da Lei adequaram essa passagem aos interesses da religião aliada ao Estado… Isso é inconteste!

  7. O bom seria que todos respeitassem a fé alheia e cada um escolhesse a sua ou nenhuma.
    Sou católico e prefiro olhar para a minha Igreja e ter a comprovação de que ela é a maior instituição de caridade do mundo.
    Não será difícil encontrar voluntários católicos (freiras e padres) em hospitais de campanha ou lugares inóspitos, em guerras ou áreas de risco, assim como vão encontrar os Médicos Sem Fronteiras, também uma instituição séria, que eu tenho o prazer de colaborar, e presente nos locais mais adversos do planeta.

    As pessoas consideradas santas na minha Igreja são grandes exemplos de fé, dedicação ao próximo, humanidade, lealdade.
    Tento repetir seus atos, mas sei que é muitíssimo difícil. Contento-me em admirá-los.

    Sobre Igreja x Ciência, só pra citar um exemplo, a teoria mais importante que existe na Terra, o Big Bang, foi desenvolvida por um padre católico, Georges Lemaître, astrônomo, cosmólogo e físico belga.

    Defendo a teoria da evolução, por exemplo, e isto não me faz menos católico. Parto da premissa (bem resumida) de que se evolui algo existente, menos o nada, e esse algo existente faz parte da criação. é a obra do Criador. Isso é uma coisa pessoal e cada um fique com as suas verdades.

    Vou usar a inteligente frase do nosso amigo por consideração e companheiro de T.I., Francisco Bendl: “a crença é livre e a mente … inimaginável!”
    Um abraço do Jared, católico e ex-ateu.

  8. Jared, meu caro amigo também,

    Olha, a questão é se estar em paz consigo mesmo, calmo, tranquilo, sabendo que faz o que pode sem prejudicar a terceiros.

    Acreditando em Deus ou não, temos de considerar o próximo, valorizá-lo, respeitá-lo, de modo que este tenha por nós a mesma consideração.

    De nada adiante professarmos uma religião fervorosamente e nos tornarmos ferrenhos inimigos, e querendo nos matar por causa de um Deus, que já nos limitou a existência, afora nos ter deixado atrelado a um planeta nos confins do Universo e no final de uma galáxia inferior!

    E como suprema ironia ou castigo, entenda quem quiser, Deus nos deu uma inteligência ILIMITADA dentro de um corpo LIMITADO!!!

    Te equilibra nisso, agora, te equilibra!!!

    Um grande abraço, Jared.
    Saúde e paz!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *