Vergonha mundial: Dos 30 países pesquisados, Brasil continua em último no ranking do retorno de tributos à população

Wellton Máximo 
Agência Brasil 

Pelo quinto ano seguido, o Brasil ficou na última posição do ranking de retorno de tributos à população. Segundo estudo divulgado hoje (3) pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), o país é o que menos retorna serviços públicos de qualidade em relação a impostos, contribuições e taxas arrecadadas.

O levantamento comparou 30 países e verificou o bem-estar da população, medido pelo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), em relação à carga tributária – proporção dos tributos sobre o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país). O Brasil ficou em 30º, atrás de vizinhos como Uruguai (13º) e Argentina (24º).

Os dados sobre a carga tributária são da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), e o ranking do IDH é das Nações Unidas, que trabalharam, nos dois casos, sobre números de 2012, que são os mais recentes.

Estados Unidos, Austrália e Coreia do Sul ocuparam as primeiras colocações, sem mudança em relação ao ranking anterior. As maiores variações foram registradas pelo Japão, que caiu de quarto para sexto, e Bélgica, que saltou de 25º para oitavo, porque reduziu a carga tributária de 44% para 30% do PIB e manteve a qualidade dos serviços públicos.

No Brasil, a carga tributária correspondeu a 36,27% do PIB em 2012, segundo o IBPT. O número é superior aos dados oficiais da Receita Federal – 35,85% em 2012 – porque o IBPT considera o pagamento de juros, multas, correções e custas judiciais de dívidas de contribuintes com o setor público. A carga tributária de 2013 só será divulgada no fim de 2014.

De acordo com o IBPT, o indicador de retorno equivale à média ponderada entre a carga tributária e o IDH de cada país. O instituto atribuiu peso de 15% para a carga tributária e 85% para o IDH. Para o instituto, o Brasil só melhorará no ranking se aplicar os recursos pagos pelos contribuintes com mais eficiência. Por meio da assessoria de imprensa, a Receita Federal informou que não comentará o estudo.

12 thoughts on “Vergonha mundial: Dos 30 países pesquisados, Brasil continua em último no ranking do retorno de tributos à população

  1. Todo ano o IBPT faz o levantamento e a posição do Brasil em relação aos outros países não muda nunca. É impressionante.

    Há uma novidade em relação às notas fiscais emitidas em solo brasileiro.

    A novidade que conta com a ajuda do IBPT é a veiculação da informação a respeito da carga tributária total embutida na comercialização do produto na nota fiscal.

    É bom o brasileiro se habituar a buscar informação. Tanto na nota fiscal eletrônica quanto no ECF – emissor de cupom fiscal-, os respectivos documentos já trazem tal informação.

    Na nota fiscal eletrônica, basta ler a informação disponível no campo: informações complementares.

    Por uma questão de curiosidade, a carga tributária em relação à comercialização de veículos é de 34,42% do valor do faturamento. Num exemplo, em um carro popular de R$35.000,00, o imposto embutido no preço é de R$12.047,00. Portanto, sem a carga tributária o veículo sairia por R$22.953,00.

    A informação da carga tributária embutida nos produtos que adquirimos é um direito já positivado em nosso ordenamento e passará a ser fiscalizado a partir do próximo dia 08.

    Informe-se e acompanhe.

  2. Pesquisa do IBPT revela que os produtos da páscoa podem ter mais de 50% de tributos

    “Se não houvesse excesso de tributação, brasileiros poderiam desfrutar de uma mesa mais farta na Semana Santa”, afirma o presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike

    Quanto custaria fazer o almoço do domingo de Páscoa se não fossem os impostos? Sem dúvida, a confraternização sairia bem mais em conta. O bacalhau, por exemplo, um dos produtos mais tradicionais da mesa do brasileiro na Semana Santa, já não custa barato. Todavia a culpa não é somente do período, já que a carga tributária deste produto é de 43,78%. Para aqueles que gostam de apreciar o prato degustando vinho, um alerta: a bebida tem 54,73% de seu valor em impostos. Sobre o preço da tradicional colomba pascal, 38,68% é de tributos.

    Os dados são do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT, que divulga, em um estudo, a carga tributária de várias produtos relacionados com a Páscoa 2014. Quem é fã de reunir a família e almoçar no restaurante também não escapará da carga tributária, uma vez que pagará 32,31% de impostos. O chocolate em barra e os bombons também têm tributos elevados: 38,60% e 37,61%, respectivamente.

    O presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, afirma que a maioria dos brasileiros poderia desfrutar de mesas mais fartas se não houvesse o excesso de tributação. “Os produtos da Páscoa normalmente são superonerados de tributos. Com menos carga tributária, maior seria a demanda de emprego e renda em todos os setores”, relata Olenike.

    Confira a lista de produtos da Páscoa com suas respectivas cargas tributárias:

    Produtos Páscoa – Carga tributária

    Almoço em restaurante: 32,31%

    Bacalhau importado: 43,78%

    Batata: 11,22%

    Bombons: 37,61%

    Cartão de Páscoa: 37,48%

    Chocolate: 38,60%

    Coelho de Pelúcia: 29,92%

    Colomba pascoal Chocolate: 38,68%

    Hospedagem em hotel: 29,56%

    Coelho de Pelúcia: 29,92%

    Hospedagem em hotel

    29,56%

    Ovo de Páscoa: 38,53%

    Peixes:34,48%

    Refrigerante (lata):46,47%

    Refrigerante garrafa:44,55%

    Vinho: 54,73%

    (Transcrito do IBPT)

  3. O artigo do Sr. Wellton Máximo , mereceu abordagem realista do Sr. Wagner Pires, perfeita sob todos os aspectos que o assunto merecia.
    Mas o que fica claro em tudo que foi analisado, é a prova- provada de que no Brasil não há o planejamento conciliado com a execução séria dos projetos governamentais.
    Tornou-se lugar comum, que nenhum orçamento projetado , consegue dar conta financeiramente, dos custos calculados. Vivemos e convivemos com os aditivos como coisa normal… Daí, não é complicado imaginar que por trás desse processo recorrente, existe, com certeza , esquemas corruptos, os já batizados “malfeitos”.
    Em suma, não há órgão que consiga fiscalizar projetos à partir do início, meio e fim ; todos eles chegam e chegarão sempre atrasados.
    Logo, não haverá margem de arrecadação de tributos que atenda tamanha desorganização ( que eles apregoam gestão).
    Estamos chegando lá… a qualquer momento o brasileiro estará trabalhando meio ano só para pagar impostos.
    Impostos que, infelizmente, como sempre, irão para o ralo…

    • Já falamos muito deste assunto aqui na Tribuna da Internet, Sr. Andrade. Existem muitos fatores complicadores relacionados ao orçamento anual dos entes federados.

      Em relação ao orçamento federal, um dos fatores, é o montante do orçamento direcionado à rolagem da dívida pública e ao pagamento dos juros, num total de 42,24% de todo o orçamento. Este é o total de recursos comprometido com a dívida. Soma-se a isso, mais, 20% consumidos com a previdência social, e teremos consumido 62,24% do orçamento.

      É por isso que para a saúde, sobram apenas 4%, para a educação apenas 3,5%, para saneamento básico apenas 0,14%, para defesa nacional apenas 1,62%… e por aí vai!

      Em relação aos orçamentos dos 26 Estados e Distrito Federal e os 5.570 municípios, são orçamentos prejudicados pela baixa participação na arrecadação, já que a União fica com 70% da arrecadação, os Estados com apenas 25% e os Municípios, incríveis e míseros 5%.

      Está tudo errado!

  4. Por isso que mais pessoas sonegam impostos a cada dia.
    Quem tem contato com o comércio diariamente como este cidadão brasileiro aqui que vos escreve sabe do que está falando.
    Pequenos, médios, e grandes comerciantes são os maiores sonegadores de impostos neste Páis, devido essa carga tributária que alcança cifras extraordinárias, sem o devido retorno, se você for no Hospital aqui perto de manhã, vai bater com a cara na porta, porque dia sim e outro também ha falta de médicos.
    Compram e vendem produtos sem nota com a maior facilidade do mundo..eh1eh!eh!eh
    Quando pergunto o do porque disso, me dizem, “e como vou pagar minhas contas” se não sonegar..???
    Como vou poder pagar todos os funcionários que tenho.????
    Alguém sabe quanto custo um funcionário para uma empresa hoje em dia???
    Segundo meu amigo empresário me disse que um funcionário no meês se torna mais de dois, devido a carga tributária que incide sobre ele……exatamente 104% sobre o cada funcionário.
    E entra governo e sai governo e nenhum tem aquilo roxo para mudar essa situação, quando das campanhas dizem que a primeira coisa que vão mexer é na CARGA TRIBUTÀRIA, mas quando passam as eleições e são eleitos, varrem tudo para debaixo do tapete…….

    • Está certa a afirmação do seu amigo empresário.

      Quanto à sonegação ela alcança R$425,0 bilhões por ano, segundo o Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda. É muito elevada!

      Só para se ter uma ideia do que isso representa, equivale a 18,50% de toda a arrecadação tributária federal. O orçamento federal estima este ano uma arrecadação de R$2,3 trilhões.

      Outra comparação: é de R$650,0 bilhões o total da arrecadação destinada à Seguridade Social. Desse total, R$430,0 bilhões é para a Previdência, e o restante para a Saúde e Assistência Social. Veja que os R$425,0 bilhões, por si sós, cobriria, praticamente, o volume de custo da Previdência.

      É por isso que falamos sempre em reforma tributária e previdenciária. Para que, com ela, a carga tributária seja diminuída, melhor distribuída e desestimule a sonegação.

  5. Os nobres trabalhadores brasileiros, aqueles que ganham os supersalários entre 3 e 5 mini salários mínimos e que sonham em ter um veículo tem duas opções; 1ª poupar por vários anos para o principal , “R$ 22.953,00” mais 52% sobre esse valor ou “R$ 12.047,00” para os tributos totalizando os “R$ 35.000,00”.
    2ª opção: financiar os “35 mil” em até 72 parcelas pagando mais “22.953,00” de juros para a financeira.
    Por isso e por aquilo, décadas passarão e ainda seremos os ultímos colocados em matemática, idh, e blá,blá,blá.

  6. ahahah
    Gerações de inteiras de analfabetos funcionais sendo formadas…Todas destinadas a engrossar as legiões de imbecis que elegem vagabundos da laia de maluf, jader, arruda, dilma, sarney e cia….

    Esse país de merda tem que melhorar muito pra chegar a ser um rascunho de republiqueta….

    • Só discordo da última linha, porque aqui ainda dá para se dormir na rua na maioria das regiões e se virar com restos de feira nas grandes cidades. No hemisfério norte o desgraçado morre de frio nas ruas, se não chega cedo aos lotados albergues, e nem feira livre tem para se catar restos. Além do mais, o índice de suicídios por falta de perspectivas é alarmante. Basta constatar o da Itália atualmente e o dos veteranos de guerra norte americanos.

  7. Tudo é possível. O que necessita saber quem fez a pesquisa. Se foi um da oposição tem um resultado. Se foi do governo tem outro. Veja no caso das mulheres de pouca roupa. trocaram 25 por 65%.

  8. Tudo isso com o agravante de um salário mínimo aviltante inferior até ao do Paraguai no sul do continente e bem menos que a metade do de Portugal sob grave crise econômica nos últimos 2 anos. So ganha aqui na área da Bolivia e Peru, mesmo assim por escassa diferença. Detalhe ainda mais agravante. 80% dos aposentados pelo Regime Geral da Previdência Social ganham salário mínimo, outro percentual segue a passos largos pelo fator previdenciário em direção também a esse miserável salário mínimo e há 11 anos Lula e Dilma ainda têm a cara de pau de se dizerem do partido dos TRABALHADORES. Abusam do direito de serem cínicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *