Vergonha Nacional! 680 mil servidores receberam indevidamente o auxílio emergencial

Charge do Milton César (Arquivo Google

Nathalia Toledo
GloboNews — Brasília

Dados da Controladoria-Geral da União (CGU) apontam que 680.564 servidores públicos foram cadastrados como beneficiários do auxílio emergencial de R$ 600 até meados de julho. Os pagamentos indevidos geraram prejuízo de quase R$ 1 bilhão aos cofres públicos, segundo o órgão.

No balanço anterior, referente ao mês de maio, a CGU tinha identificado 396.316 servidores cadastrados e um prejuízo de R$ 279,6 milhões. Agora, com uma análise desde o primeiro pagamento, em abril, até o dia 19 de julho, o valor pago indevidamente mais que triplicou.

VEJA O BALANÇO – Os números reúnem funcionários públicos da União, de governos estaduais e municipais. Ao todo, segundo o balanço obtido em primeira mão pela GloboNews, foram identificados:

613.431 agentes públicos, ativos, inativos ou pensionistas de governos estaduais, municipais e do governo do Distrito Federal recebendo o auxílio;

14.182 pagamentos a beneficiários que constam como agentes públicos federais, ou pensionistas;

52.001 pagamentos a CPF que constam como servidores militares da União, ativos ou inativos, ou pensionistas;

950 beneficiários que constam como funcionários de empresas estatais federais.

CRUZAMENTOS – Segundo a CGU, os cruzamentos foram enviados aos órgãos estaduais e municipais que forneceram os dados para análise. O Ministério da Cidadania, responsável pela gestão do auxílio emergencial, também recebeu as informações para decidir se bloqueia ou suspende os benefícios sob suspeita.

Ainda em meados de julho, o ministro da CGU, Wagner Rosário, informou que o governo tinha recuperado R$ 78 milhões em auxílios pagos indevidamente. O valor era referente a 82 mil beneficiários irregulares, servidores públicos ou não.

“É pouco perto do valor que se foi, mas temos várias pessoas realizando a devolução desse valor”, afirmou Rosário naquele momento.

PROBLEMA RECORRENTE – Em junho, CGU já havia identificado pagamento irregular de auxílio emergencial a milhares de servidores

Ao identificar a primeira leva de servidores recebendo o benefício, a CGU informou que muitos tinham sido cadastrados de forma “automática”, por estarem legalmente cadastrados no Bolsa Família ou no Cadastro Único do governo federal (CadÚnico).

Como a atualização desses cadastros não é feita em tempo real, beneficiários que conseguem emprego continuam nas tabelas até que haja uma conferência nacional.

VÍNCULO FORMAL – “O critério é de não ter o vínculo formal de emprego. Não era o caso deles. A partir desse cruzamento que a gente fez com a CGU, foi que o governo federal, então a gente repassou esses dados para eles, eles conseguiram cruzar para ter essa informação e fazer esse ajuste no hall dos beneficiários”, explicou, na época, a superintendente de Controle Externo do Tribunal de Contas de Minas Gerais, Flávia Alice Dias Lopes.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Na Era da Informática, a administração pública brasileira continua a ser uma esculhambação. O total de recebimentos indevidos é muito alto. São 680 mil pessoas beneficiadas indevidamente, inclusive 52 mil servidores militares, vejam a que ponto chegamos. Nada vai lhes acontecer nem vão devolver o dinheiro, podem apostar. (C.N.)

11 thoughts on “Vergonha Nacional! 680 mil servidores receberam indevidamente o auxílio emergencial

  1. Radical, procuro não ser.
    Mas esses tipos de procedimentos, deviriam serem punidos com a perda do emprego, e em alguns casos, prisão mesmo.

    Mas como vivemos neste circo eterno, perdemos a força de reação e até mesmo um pouco de vergonha mesmo……

  2. Ultrajante e vergonhoso. Como cidadão e servidor público, estou triste, indignado e constrangido com a canalhice. além de devolver o que roubaram, sim, roubaram, de quem precisa, deveriam ser severamente punidos.

  3. Só um extra terrestre chegado recentemente ao Brasil, não imaginaria que haveria fraudes.
    Tudo no Brasil descamba para a galhofa, então nenhuma surpresa.
    Ao criar um programa deste, e não se prevenir contra as fraudes, já demonstra o grau competência da turma que o criou.
    Apostaram na “honestidade” dos brasileiros, e veja no que deu.
    Depois reclamam que os políticos não prestam.

  4. O boçal poderia fazer um favor à sociedade, demitir toda esta gente que não merece ser chamada de servidora pública. Aqueles que dizem ser inocentes, que seus dados foram usados fraudulentamente, provem isto. Quem não provar continua demitido . Como o combate à corrupção saiu da pauta do boçal vamos continuar como sempre, escandalizados diante de mais um escândalo.

  5. Assim que criaram esse auxílio emergencial, logo começaram a cobrar que o dinheiro tinha que ser depositado o mais rápido possível.
    Aí pensei: vai dar problema.

    A confecção de um sistema que envolve milhões de usuários precisaria de mais tempo para a sua preparação.

    Se isto acontecesse, com certeza não chegaria a este caos.
    Tanto é que, rodando com todos os CPFs necessários na análise, como está acontecendo agora, deu para descobrir os furos.

    Em tempo: não entendi por que o Banco do Brasil, que tem o controle acionário nas mãos do governo, não foi acionado para um trabalho duplo BB-Caixa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *