Você quer saber se as pesquisas são confiáveis, então pergunte ao Silvio Santos 

Resultado de imagem para silvio santos com um carros no palco

Silvio oferecia carros em troca do Ibope

Carlos Newton

Há anos venho escrevendo contra as pesquisas eleitorais. A meu ver, deveriam ser proibidas. Começam a ser feitas um ano antes das eleições e podem ser manipuladas até a reta final, não há o menor controle nem fiscalização. A indução pode ser facilmente feita, dependendo da ordem em que as perguntas são apresentadas (se é que são…). Mas o fator mais negativo é que as pesquisam levam à polarização entre dois candidatos, pelo fenômeno social do chamado “voto útil”, pois muitos eleitores acabam mudando a preferência, quando percebem que seu candidato predileto deve perder a eleição.

Há quem acredite piamente nas pesquisas, eu respeito a opinião alheia, mas minha ironia não chega a tanto, devido aos múltiplos exemplos que nos levam ao descrédito, sem falar nas urnas eletrônicas “invioláveis”, numa época em que até os computadores do Pentágono podem ser pirateados.

MAIOR EXEMPLO – Se quer saber sobre confiabilidade das pesquisas, é só perguntar ao Silvio Santos. A pesquisa de audiência das televisões aqui no Brasil é monopólio do Ibope, que instala aparelhos de contagem na casa dos telespectadores, segundo as diferentes classes sociais, o que significa que a maioria dos equipamentos tem de estar instalada na camada mais pobre da população.

Certa vez, em São Paulo, a TV Record saiu do ar, por um problema técnico, mas continuou dando audiência. Mesmo fora do ar, o número de aparelhos ligados na Record foi aumentando, o Ibope foi subindo, sem explicação.

Silvio Santos ficou furioso, interpelou o Ibope e foi informado de que a Record continuou ganhando audiência por causa da “expectativa da volta”. Ou seja, os telespectadores ficavam ligados esperando para saber o motivo de a emissora ter saído do ar.    

SILVIO REAGE – A reação de Silvio Santos foi brilhante. Colocou um carro zero km no palco de seu programa e anunciou que seria entregue ao primeiro telespectador que tivesse em casa o aparelhinho do Ibope. E não apareceu ninguém…

No programa seguinte, Silvio Santos aumentou a oferta: se aparecessem duas pessoas que tivessem o aparelho do Ibope em casa, seriam entregues dois carros; se fossem 20 pessoas, cada uma ganharia um automóvel.

Mas as semanas se passaram e não apareceu nenhuma pessoa que tivesse o aparelhinho do Ibope, embora a maioria supostamente esteja instalada em casas de pessoas pobres, sem chance de ter um carro zero km. Silvio ameaçou criar seu próprio instituto de pesquisa, o Ibope do SBT aumentou expressivamente, ficou em segundo lugar, vencendo a Manchete e a Band (a Record ainda não era do bispo) e ficou tudo por isso mesmo.

MAIOR PREJUDICADO – O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) é um excelente candidato, mas é prejudicado pela pesquisas. Muitas pessoas que o consideram bem dotado para o cargo acabam não votando nele, pela teoria do voto útil, que beneficia quem está no alto das pesquisas.

Esta é a minha opinião. Posso estar errado, é claro, mas acompanhei de perto esse lance do Silvio Santos, porque na época eu trabalhava na TV Manchete. Fiquei impressionado, ao constatar que ninguém tinha o aparelhinho do Ibope em casa. Se alguém tivesse, é claro que apareceria lá no SBT para ganhar o carro zero km.

29 thoughts on “Você quer saber se as pesquisas são confiáveis, então pergunte ao Silvio Santos 

  1. Caro jornalista. A título de contribuição relembro um episódio que aconteceu aqui no RS numa eleição a governador. Era dada como certa, segundo as pesquisas, a ida para o segundo turno do então governador Germano Rigotto. Que disputaria o segundo turno contra o candidato do PT ou PSDB que segundo as pesquisas tinham uma diferença muito pequena. Com medo de o PT ir para o segundo turno e vencer as eleições, muitos eleitores do Rigotto optaram em votar na Yeda Crusius do PSDB. Não deu outra. A Yeda foi para o segundo turno contra o candidato petista. E ganhou a eleição. Sou radicalmente contra pesquisas eleitorais.

  2. Obs: A ideia do eleitor era uma disputa entre Rigotto e Yeda. Mas com a vitória do primeiro. Nesta época Rigotto disputava com Garotinho a indicação do PMDB a candidato a presidência da república

  3. Bom dia ! É isso mesmo prezado Carlos Newton, pesquisas furadas e urnas eletrônicas mais furadas ainda. Mesmo que fossem sérias e auditadas as pesquisas certamente levam ao voto útil o que é totalmente desnecessário no 1 turno para cargo majoritário.

    • sr. José Perez,
      perdoe a ousadia, mas é necessário esclarecer que,
      no Brasil, urnas eletrônicas não são furadas.
      A verdade deve ser p.r.o.c.l.a.m.a.d.a:
      no Brasil urnas eletrônicas SÃO FRAUDADAS !!!
      para quem não entendeu, não há problema, repito:
      no Brasil urnas eletrônicas SÃO F.R.A.U.D.A.D.A.S !!!
      Pelo pouco que conheço de Informática e mais pelo que JÁ VI,
      ainda vai nascer quem me convença de que, no momento, seja diferente!

  4. Em tese, como se sabe, as pesquisas são feitas por amostragem, sendo que a população pesquisada deve representar uma amostra, num universo micro, do conjunto do eleitorado. Para tanto deve ter o mesmo perfil deste, em termos de faixas etárias e de renda, graus de instrução, divisão por gênero, etc., respeitando a proporção numérica para cada item.

    Ocorre que os institutos de pesquisa já têm previamente mapeadas as diferentes áreas onde buscar as entrevistas para cada perfil desejado. Mas áreas de mesmo perfil têm tendências diferentes que também já são previamente conhecidas, por razões óbvias. Sendo assim, fica fácil escolher determinada população de amostra que corresponda ao perfil e apresente uma tendência que conduza a um resultado desejado, de acordo com a expectativa do cliente.

  5. Ao par das diferentes possibilidades de manipulação já na coleta dos dados, na interpretação e forma de divulgação, a polarização já referida, há um outro efeito nefasto produzido pelas tais pesquisas: é o fato de que a disputa eleitoral passa a ser encarada como uma espécie de corrida de cavalos no prado, fica uma discussão de quem está na dianteira, quem corre por fora, quem pode chegar ou não, e vai por aí…

    O verdadeiro debate político, sobre as propostas, o programa, o que de fato representa cada candidato, fica totalmente prejudicado, praticamente inexistente. E o verdadeiro sentido do primeiro turno, que seria o de escolher o melhor candidato, independente das suas possibilidades de sucesso, se perde completamente.

  6. Meu caro, Carlos Newton, toda essa introdução para se chegar no âmago deliberado militante eleitoreiro: “O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) é um excelente candidato, mas é prejudicado pela pesquisas. Muitas pessoas que o consideram bem dotado para o cargo acabam não votando nele, pela teoria do voto útil, que beneficia quem está no alto das pesquisas.”
    Faça-me um favor, Carlos Newton, esse psdbista de carteirinha (Podemos é uma ramificação esquerdista fabiana – sua matriz psdb) é mais um lobo vestido de ovelhinha para enganar a população com seu jeito manso enganoso, conduta falaz e padronizada de praticamente todos os psdbistas presidenciáveis, basta relembrarmos do amiguinho de guerrilha do barba (fhc), do atual “alquimia” (alckmin), do “o gestozinho” (doria), do “walking dead” (serra) e etc.
    Sejamos honestos, característica ausente do seu presidenciável predileto, esse senadozinho é mais um contido no conjunto dos sanguessugas da teta gorda do estado, vejamos por exemplo isto:
    “senador tucano (alvaro dias) pede salários retroativos por ter governado o Paraná” (https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,com-aposentadoria-dias-quase-dobra-patrimonio,668964)
    alvaro dias e sua aposentadoria vergonhosa – https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=11&cad=rja&uact=8&ved=2ahUKEwjW6OOJz7fcAhVIQ5AKHRZmDwA4ChC3AjAAegQIAxAB&url=https%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3D4dIkdPWep58&usg=AOvVaw2zceuodusdoKF-CxIUG1SK

    Retiremos essa corja antiga de políticos corruptos (desculpe-me pela redundância), caso não, ficaremos, no mínimo, na melhor das hipóteses, na mesmice situação suja e calamitosa.

  7. Não é possível prever a quantidade de abstenções, nulos e brancos nessa eleição.

    O que se sabe é que estarão na casa das dezenas de milhões.

    Muitos pessoas declaram o voto mas não comparecerão às urnas.

    Esse é o fato novo de 2018 que vai provocar grandes surpresas.

    Nenhuma pesquisa, por mais bem feita que seja, é confiável por causa disso.

    No máximo indica uma tendência e reflete a situação do momento em que foi realizada.

  8. Quando leio um texto deste nível escrito pelo jornalista Carlos Newton logo me vem à mente o porquê de tanto gostar deste Blog e tê-lo como meu favorito.
    Claro, além dos textos do citado jornalista têm-se também outros ótimos artigos escritos por outros articulistas e também ótimos comentários.

    Nos dias de hoje, com o avanço rápido das tecnologias da informação têm-se o WhatsApp, o Netflix e temos uma infinidade de coisas acontecendo no Mundo e sendo divulgadas nas Mídias. Assim sendo, boa parte do meu tempo útil é dedicado a esses meios de informação e que me leva a não ter o mesmo tempo de sobra que tinha a anos passados.
    Daí não tenho a mesma dedicação a esse Blog como há 6 anos.
    Mas, mesmo com atraso leio muito do que se publica aqui.

    Até deixei de escrever comentários, pois se não coopero também não participo com comentários.
    Ao menos posso ler as matérias.
    Dizem que Deus não dá asa a cobra. Se ele me desse um ótimo Prêmio em uma das Loterias eu daria uma grande contribuição à esse Grupo.

    Acho também que o bom daqui é a nossa liberdade de expressão que não é cerceada.

  9. ora, sr. Carlos Newton,
    citar esse tal de ibope como padrão é algo que fica bem esquisito.
    ibope não pode ser exemplo de nenhum exemplo, sim, de nenhum exemplo.
    faça-se uma pesquisa, mesmo sem aparelho ou sem aparelhinho,
    para constatar, entre a população nacional, o grau de confiabilidade nisso aí
    e a verdade sobressairá.

  10. Caro C. N,

    Infelizmente o pais perdeu o trem da historia a tempos quando a classe jornalistica optou por fechar os olhos ao desmando de uma politica destrutiva ao pais por parte de todos os politicus, e agora com mais de 4 anos de escândalos puliticus e jornalisticus diuturnamente, o pendulo foi foi foi e agora vai voltar, é a lei geral do universo, realmente quem vai ganhar a eleição vai ser quem é radicalmente o contrario de tudo que tá ai. não é culpa de ibop de voto ultil nem nada é a regra geral, tudo que vai volta.
    E sim a Janaína seria um enorme ganho para campanha d Bolsonaro pois agregaria o equilíbrio evitando os extremos que estão em seu entorno.

  11. Ótimo artigo, pondo os pingos nos iiiis. Fico com Confuncio que a 3 mil anos já pregava: “Uma Nação se faz com Escolas que ensinem”. Nosso povo semianalfabeto, não tem poder de avaliação, e é dominado pelos “espertos” que oferecem maçã e dão abacaxi”, com pão e circo:futebol,carnaval.
    Como dizia Gandhi: Todo governo é hipócrita, em nosso regime governamental, com “voto fraudável”, taxa a todos que vende sua consciência e voto por migalhas, e ficam sem futuro digno da Cidadania Consciente. Que Deus nos ajude a sair desse pantanal, mas…façamos nossa parte de Cidadania consciente.

  12. 1) Bom artigo, concordo plenamente.

    2) Por exemplo, no RJ, para governador estão tentando colocar Romário e Paes na frente.

    3) Acho que é fake, pois o blog onde li, cita Romário pertencendo ao PSB, ou seja, há muito tempo o senador já saiu do referido.

    4) Olho vivo eleitores.

  13. A mente da maioria dos brasileiros é um excelente conversor de algarismos em números; e de fezes em adubos. Coisa de maria-vai-com-as-mídias mesmo!
    Povinho sem miolo e destituído de discernimento: se algum compatrício se destaca por algo que faz de extraordinário, nós, tupiniquins, só vamos reconhecê-lo como tal, depois que uma gringo analfabeto assim proclamar.
    Gentinha infame, a qual se torna fumante porque o garoto-propaganda do cigarro é um galã. Ah, as depravações proliferadas pelas novelas acabam sendo adotadas como padrão de compormento: atrizes e atores compõem uma plêiade nota 10. Quem não segui-los é cafona, arcaico, ultrapassado, cavernal. Até o bandido hediondo, postumamente, tem direito a um merecidíssimo hino de exaltação, sob o ritmo de funk. O bacana tinha milhares de seguidores, qualé meu?

  14. Parabens pelo artigo. Há tempos esperava que algum iluminado escrevesse isso. Acrescento apenas um dado: As pesquisas não fornecem o coeficiente de variação. Este coeficiente que é a a porcentagem da relação entre o desvio padrão pela média, nos permite identificar o grau de confiabilidade da amostra. Isto a lei eleitoral não obriga a ser divulgado. Aquele desvio para mais e para menos não nos diz nada sobre a confiabilidade da amostra. Uma vergonha.

  15. Essas enquetes, travestidas de “pesquisas”, não passam de instrumento de manipulação na tentativa de distorcer a opinião pública. Com o advento da internet os datafraudes da vida ficaram ainda mais evidentes. Ninguém mais se deixar enganar por esses institutos que usam métodos nada científicos. Não acertam resultado de eleição nem quando fazem “pesquisas” de boca de urna.

  16. Em relação ao assunto urnas fraudadas, quem sabe um misto não resolveria o problema? Faça a urna eletrônica cuspir um ticket (tipo cupom fiscal). Na saída, o eleitor o deposita na urna. Se houver desconfiança, coteja-se o resultado eletrônico com os cupons impressos.

  17. Acerca de pesquisas, dou meu testemunho: Nunca fui entrevistado e não conheço ninguém que o tenha sido! Tenho a percepção de que todas tratam-se de embustes! E creio, se foram feitas, foram dirigidas! Não esqueçamos, estamos no Brasil! Num pais que empresários botam soda cáustica no leite e gesso substituindo conteúdo de comprimidos, pesquisas seriam honestas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *