Você sabe qual é a maior diferença entre o Flamengo e o Ceará, que o eliminou na Copa do Brasil?

Carlos Newton

Há situações inexplicáveis no Brasil. Um bom exemplo são os principais clubes do futebol carioca. Suas dívidas são astronômicas, mas eles continuam resistindo e existindo. No Rio, os quatro grandes têm dívidas que ultrapassam a casa do R$ 300 milhões cada. Atrasam os salários dos funcionários, jamais depositam a contribuição de INSS e as obrigações sociais, as atividades sociais nas sedes são cada vez mais precárias. Ao mesmo tempo, os craques, técnicos e dirigentes estão cada vez mais ricos.

Na Europa a situação já é semelhante. O ex-craque e atual dirigente francês Michel Platini têm feito sucessivas declarações alertando para a gravidade do endividamento dos principais clubes de seu país. Mas ninguém parece lhe dar ouvidos. O panorama é idêntico em outras nações.

Nas últimas décadas, muitos clubes foram se transformando em gigantescas lavanderias de dinheiro sujo, em benefício das mais diferentes instituições mafiosas, inclusive (e sobretudo) da extinta Cortina de Ferro. Não por coincidência, o ainda primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi é “dono” de um grande clube em seu país, o Milan.

Com as raras exceções, dirigente de clube (o antigo cartola, lembram?) hoje é sinônimo de aproveitador, corrupto e mau caráter. E as dívidas vão crescendo, progressiva e inexoravelmente, enquanto os salários de jogadores e técnicos aumentam cada vez mais, numa contradição inexplicável.

Nesse panorama, qual seriam as diferenças entre o Flamengo e o Ceará, que o eliminou na Copa do Brasil e começa a disputar hoje a semifinal contra o Curitiba. Segundo o comentarista Luiz Mesquita, uma das diferenças é que o Ceará sabe pagar suas contas, como podemos ver numa pequena reportagem da jornalista cearense Monique Oliveira, que Mesquita enviou à Tribuna da Imprensa, quando surgiu o debate sobre as dívidas dos clubes:

“Na tarde desta segunda (31 de janeiro de 2011), o presidente Evandro Leitão e o Departamento Jurídico do Ceará Sporting Club, através de seu diretor Jocélio Alves, anunciaram uma notícia importante para o futuro do clube.

Trata-se do acordo dos últimos processos trabalhistas contra o Ceará Sporting Club que estavam nas mãos do advogado Alexandre Borges. Com esse acordo, a partir do próximo jogo, haverá somente um desconto referente a dois processos vinculados ao salário mínimo. Por conta disso, no final de 2011, a dívida que inicialmente era de R$ 9 milhões ficará somente R$ 400 mil a serem pagos em 2012.

“Essa é a maior conquista que a nossa gestão obteve nesses três anos. Hoje mostramos que, com trabalho e organização, podemos chegar aos resultados esperados. Após várias negociações, chegamos ao denominador e as dívidas do Ceará estão totalmente equacionadas. Findando nosso mandato, não deveremos nada”, disse Evandro”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *