Wajngarten dirá que insistiu para que governo comprasse Sputnik V e Covaxin em 2020

Chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten

Fábio Wajngarten se locupletou no governo e agora faz denúncias

Mônica Bergamo
Folha

O ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, deve relatar à CPI da Covid que insistiu para que o governo de Jair Bolsonaro comprasse também a vacina russa Sputnik V e a indiana Covaxin já em 2020 —além de defender a aquisição do imunizante desenvolvido pela norte-americana Pfizer em parceria com a alemã Biontech.

Wajngarten será sabatinado na próxima quarta-feira (dia12). Em uma entrevista à revista Veja, em abril, ele afirmou que houve incompetência e ineficiência do Ministério da Saúde, então comandado pelo general Eduardo Pazuello, na aquisição de vacinas.

TENTOU EM VÃO – De acordo com o relato de autoridades de Brasília, o ex-secretário procurou dezenas de pessoas na tentativa de convencer o governo a adquirir as três vacinas.

Entre as autoridades buscadas por ele estão o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), de oposição ao governo, e os ministros Gilmar Mendes e Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Mas Wajngarten isenta Bolsonaro de responsabilidade. À Veja, ele disse que o presidente era mal assessorado e coloca a culpa pelo fracasso no Ministério da Saúde.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O publicitário Fabio Wajngarten não é flor que se cheire, como se dizia antigamente. Ele jamais revelou quais eram os clientes de sua agência FW. Mas reportagem da Folha mostrou que a FW, fornecedora de pesquisas de mídia para o mercado, recebe dinheiro de agências e de TVs contratadas pela própria Secom, ministérios e estatais do governo Jair Bolsonaro, entre elas a Band e a Record, cujas participações na verba publicitária da Secom vêm aumentando. Wajngarten foi um assessor que se locupletou. (C.N.)

2 thoughts on “Wajngarten dirá que insistiu para que governo comprasse Sputnik V e Covaxin em 2020

  1. Essa decisão de compra ou não de vacina, nao tem nada a ver com ele. A Anvisa não aprovou essas vacinas. Se disser isso na CPI, será mais um a mentir, como fez o Mandetta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *