Wassef diz ser vítima de “armação” e que investigações querem incriminar Bolsonaro

Wassef só faltou perguntar: “Afinal, quem é esse tal de Queiroz?”

Catia Seabra
Folha

Dono do escritório em Atibaia (SP) onde Fabrício Queiroz foi preso na última quinta-feira, dia 18, o advogado Frederick Wassef se diz vítima de uma armação para incriminar o presidente Jair Bolsonaro, de quem é amigo. “Não sou o Anjo”, afirmou à Folha, referindo-se ao apelido dado a ele pela família do presidente e que deu nome à operação desta semana do Ministério Público do Rio de Janeiro. Essa foi a primeira manifestação de Wassef desde a prisão de Queiroz.

Defensor do presidente Bolsonaro (sem partido) e do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Wassef nega que tenha abrigado Queiroz e que tenha mantido contatos com sua família. “Nunca telefonei para Queiroz, nunca troquei mensagem com Queiroz nem com ninguém de sua família. Isso é uma armação para incriminar o presidente”, afirmou.

SEM JUSTIFICATIVAS – Queiroz, policial militar aposentado, ex-assessor de Flávio e amigo do presidente Bolsonaro, foi preso em Atibaia, no interior de São Paulo. O mandado de prisão foi expedido pela Justiça do Rio de Janeiro —ele não era considerado foragido. Queiroz estava em um imóvel de Wassef, figura constante no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, e em eventos no Palácio do Planalto.Questionado sobre o motivo pelo qual Queiroz estava, então, em seu escritório, Wassef disse que, em breve, daria mais detalhes sobre o caso.

Segundo o advogado da família Bolsonaro, Queiroz, em tratamento contra um câncer, foi submetido a duas cirurgias na Santa Casa de Bragança Paulista (SP). “Não é verdade que tenha passado um ano no meu escritório.” Procurada pela reportagem, a Santa Casa de Bragança não se manifestou sobre o caso.

EM OBRAS – Wassef diz ainda que seu escritório em Atibaia estava em obras e que plantaram um malote lá, em uma referência a policiais civis de São Paulo que coordenaram a prisão de Queiroz. “Meu escritório estava em obras. Os móveis estavam do lado de fora. Não tinha nada lá. Vi na TV que encontraram um malote. Isso foi plantado.”

“Não escondi ninguém”, acrescentou Wassef. “Estão me atribuindo coisas que não fiz. O escritório estava vazio. Os móveis estavam do lado de fora da casa. Tudo estava fora do lugar.” Em nota, o Ministério Público de São Paulo, que prendeu Queiroz em operação conjunta com a Polícia Civil paulista, afirmou que a operação da última quinta-feira “transcorreu nos estritos limites da lei. Filmada, a ação dos promotores e dos policiais contou com o acompanhamento de três representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, observando-se, assim, todas as formalidades legais”.

PROCURAÇÕES – Wassef tem pelo menos nove procurações para advogar em nome do clã Bolsonaro. São três de Bolsonaro, três de Flávio e outras três assinadas pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Sua relação com os Bolsonaros extrapola, porém, o campo jurídico. Amigo do presidente há seis anos, Wassef deixa marca de sua influência até na estrutura do governo, já que foi ele quem apresentou o secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fábio Wajngarten, ao então deputado Jair Bolsonaro.

Wassef orgulha-se de ter sido, em sua versão, o primeiro a incentivar a candidatura de Bolsonaro à Presidência. O criminalista, que tomou a iniciativa de se aproximar de Bolsonaro em 2014, declara amor ao presidente —segundo ele, um homem puro, até ingênuo.

Internado para o tratamento de um câncer, o advogado assistiu a um vídeo de Bolsonaro em favor do controle da natalidade e decidiu telefonar para o gabinete do deputado. À secretária insistiu para que fosse atendido. Os dois marcaram um encontro que aconteceria meses depois.

RECOMENDAÇÃO – O advogado é, por exemplo, apontado como o responsável pela opção de Bolsonaro pelo Hospital Albert Eistein quando o então candidato à Presidência foi esfaqueado em atividade de campanha em Juiz de Fora (MG), rejeitando oferta para que fosse transferido para o Hospital Sírio-Libanês.

Foi ele também quem ditou a estratégia jurídica de Flávio, vencendo uma queda de braço com o então presidente do PSL e também advogado Gustavo Bebianno, morto em março de 2020.Queiroz é apontado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como operador financeiro da suposta “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio na Assembleia, onde ele exerceu mandato de deputado estadual entre fevereiro de 2003 e janeiro de 2019.

RACHADINHA –  A “rachadinha” é a prática de recolhimento de parte dos salários de assessores de um gabinete para fins diversos. No caso do filho do presidente, a suspeita é de que o senador era o beneficiário final da maior parte dos valores.

Tanto Wassef como a família Bolsonaro afirmavam que não tinham contato com Queiroz desde que o suposto esquema de “rachadinha” no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio veio à tona, no final de 2018.

Em recente entrevista à Folha, no início de maio, questionado se havia se reunido com advogados de Queiroz ou com alguém ligado a ele, Wassef respondeu que não. Em seguida, indagado se Flávio havia rompido com Queiroz, advogado disse: “Nunca mais. Desde o fim de 2018, nunca mais ninguém da família Bolsonaro teve qualquer contato o senhor Queiroz.”

11 thoughts on “Wassef diz ser vítima de “armação” e que investigações querem incriminar Bolsonaro

  1. Bom dia ! Mais um “mala“ travestido de advogado! Hoje faz 50 anos do tri campeonato mundial de futebol no México mas a data será ofuscada pelas 50 mil vidas ceifadas pela COVID 19 tendo como pano de fundo a omissão, o descaso e a incompetência dos governantes brasileiros com relação a essa epidemia. Não há clima para comemorações! Agora que Wassef está queimado devido a prisão de Queiroz em seu imóvel, Flavio Bolsonaro pode contratar o Roberto Jefferson como seu novo advogado pois ele é muito bom de júri (a Globo perdeu um grande ator na verdade). Flavio vai mesmo precisar de um bom advogado !!! Famiglia rachadinhas!!! Espero que Queiroz abra o bico e entregue todo o esquema. Servidores de gabinetes parlamentares deveriam ser contratados diretamente pelos respectivos RHs dos órgãos legislativos em regime de CLT. Um ou dois servidores no máximo por parlamentar. Tá tudo errado! Desejo um ótimo domingo a todos! PEREZ

    • Chamei o Wassef de “mala” porque tem pinta de mala, jeito de mala, cara de mala, se veste como um mala, fala como um mala, gesticula e age como um mala. Mesmo assim poderia até ser que não fosse um mala mas como é amigo íntimo da famiglia Bolsonaro, então CERTAMENTE É UM MALA SEM ALÇA!! 171 de primeira!! A esposa tem contratos MILIONÁRIOS com o governo federal. Ainda coloca um gel no cabelo na hora do de jogar o “H“ pra cima dos incautos!!! Fica parecendo um Dom Vito falante! Pelo nível da casa de Atibaia percebe-se logo se tratar de mais um alpinista social. Pelos trejeitos acho até que joga na linha de frente do time do Maradona. Aquela entrevista ontem na porta da farmácia ou padaria foi patética, para dizer o mínimo!

  2. Ah coitado! Autêntico advogado de “porta de cadeia”. Se associa à criminosos pq sabe que pagam bem. Não interessa de onde virá a grana. Será que agora a PF, o MPF, e a justiça em geral vai atuar de verdade, já que tem provas? Ou vai continuar investigando e não condenando só pq não são do PT?

  3. O boçal está muito bem assessorado: Olavo, Queiróz, Wassef, et caterva. Tenho pena da população do Brasília. O Planalto deve estar infestando toda a cidade com o cheiro de merda.

    • Não preocupa não, Antonio, quem já aguentou A Nova República toda, com Sarnei, Collor, FHC, Lula, Dilma, Temer e agora isso aí, já estamos nos acostumando os aromas do Lixão.

  4. Só não entendo como esse inocente proprietário ainda não apresentou denúncia contra o Fabrício por invasão de domicílio, onde já se viu, um advogado que não conhece seus direitos. Tadinho, e o Perez ainda chama ele de “mala” pode?

  5. Não comento a capacidade do profissional de Direito Wassef, até porque eu não poderia.

    Mas, posso afirmar, que o cara é de uma idiotice e imbecilidade que, lá pelas tantas, desconfio do diploma que obteve como Bacharel, se foi mesmo frequentando a faculdade!

    O que ele respondeu à repórter, que por estarem conversando em frente a uma padaria ou edifício e que alguém poderia imaginar que morassem nas imediações, dando a entender que, se Queiroz estava no seu sítio, poderia ser de passagem ou visita, só mesmo muito estúpido, pensando que alguém iria crer no que estava dizendo!

    Alguns advogados imaginam que estão representando um filme de Hollywood, e são atores especiais.
    Suas mentes querem nos conduzir para seus flertes com a ficção, porém seus pés estão enterrados nos excrementos que a cada declaração evacuam.

    E dizer que é esse tipo de profissional que não serviria para resolver uma disputa de jogo de botão ou de uma pelada jogada com bola de meia e na rua, que é contratado!

  6. Desde o colorido etcaverna o Brazilzão virou um gigantesco cabaré. A cada 4 anos muda a (des)administração mas as periguetes são as mesmas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *