Weintraub diz que pode se retratar por “imbecilidade” se a China vender mil respiradores para o MEC

Na falta do que fazer, Weintraub cria embaraços internacionais

Paulo Saldaña
Folha

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse nesta segunda-feira, dia 6, que pode pedir perdão por uma postagem considerada racista pela embaixada da China no Brasil caso o país se comprometa a fornecer respiradores ao Brasil.

Em postagem numa rede social no sábado, dia 4,  o ministro usou o personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, para fazer chacota da China e associar a pandemia de coronavírus a interesses do país asiático. Na mensagem, ele trocou a letra “r” por “l”, assim como na criação de Mauricio de Sousa, ridicularizando o sotaque de muitos chineses ao falar português.

“ACORDO” – Apesar da postagem, Weintraub negou nesta segunda-feira, em entrevista à Rádio Bandeirantes, que seja racista, disse que já esteve no país e que até tem amigos chineses. “Eu sou brasileiro. Então, vou fazer o seguinte, meu acordo aqui: vou lá, peço desculpa, falo ‘por favor, me perdoem pela minha imbecilidade’, e a única condição que tenho é que, dos 60 mil respiradores que estão disponíveis, eles vendam mil respiradores para o MEC, para salvar a vida dos brasileiros, pelo preço de custo”, disse na entrevista ao jornalista José Luiz Datena.

O ministro cita que há necessidade de mil respiradores na rede de hospitais universitários ligada ao MEC, que também atende pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde).

RECUO – Weintraub apagou a mensagem publicada no Twitter, no sábado, que tinha o seguinte conteúdo: “Geopolíticamente, quem podeLá saiL foLtalecido, em teLmos Lelativos, dessa cLise mundial? PodeLia seL o Cebolinha? Quem são os aliados no BLasil do plano infalível do Cebolinha paLa dominaL o mundo? SeLia o Cascão ou há mais amiguinhos?”, escreveu o membro do gabinete do presidente Jair Bolsonaro.

A embaixada da China reagiu à manifestação do ministro no início da madrugada desta segunda-feira, dia 6, por meio de uma nota publicada no Twitter, na qual classifica as declarações do ministro de “absurdas e desprezíveis”, com “cunho fortemente racista e objetivos indizíveis, tendo causado influências negativas no desenvolvimento saudável das relações bilaterais China-Brasil”.

REPÚDIO – “O lado chinês manifesta forte indignação e repúdio a esse tipo de atitude”, completou. Weintraub minimizou a mensagem e disse que a apagou a postagem a pedido de um amigo, e não do presidente Bolsonaro. “Falar que eu sou racista é uma acusação que, se fosse um brasileiro, ia ter que provar na Justiça.”

Na entrevista, o titular da Educação ainda acusou a China de negligenciar informações sobre a doença e agora quer lucrar “com a tragédia”. “O governo da república chinesa, onde começou o coronavírus, poderia ter alertado o mundo inteiro que ia faltar respirador. Que nós teríamos três meses para fazer respirador. Isso não foi feito”, disse.

LEILÃO – “Agora que estamos desesperados correndo atrás de respirador, o que é que acontece? Aparecem 60 mil respiradores na China, e eles estão leiloando. Aparece um monte de equipamento, de proteção, de máscara, e eles estão leiloando. Então, assim, teve tempo de eles se prepararem para vender para o mundo, pelo preço mais alto, respirador e máscara.”

Esse não é o primeiro ataque de uma pessoa ligada ao presidente Jair Bolsonaro contra a China, país onde foi registrado o começo da pandemia e que, por isso, é acusado de ter gerado a crise mundial da Covid-19.

CRÍTICAS  – A embaixada já havia feito duras críticas ao deputado federal Eduardo Bolsonaro após o filho do presidente, também em rede social, comparar a pandemia do coronavírus ao acidente nuclear de Tchernóbil, na Ucrânia, em 1986, quando a antiga União Soviética ocultou a dimensão do desastre.

Membros do governo, como o vice-presidente Hamilton Mourão e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tentaram colocaram panos quentes na crise diplomática. Depois, Bolsonaro telefonou para o dirigente da China, Xi Jinping, para aparar as arestas criadas pelo filho.

LAÇOS DE AMIZADE – Ao comentar a ligação, o presidente disse que ele e o líder chinês reafirmaram “nossos laços de amizade, troca de informações e ações sobre a Covid-19 e ampliação de nossos laços comerciais”.

A China é o maior parceiro comercial do Brasil. Em 2018, 26,7% das exportações brasileiras tiveram o país asiático como destino —Pequim lidera o ranking de compradores dos produtos brasileiros, segundo o Ministério da Economia. Entre 2003 e 2019, investiu US$ 79 bilhões no Brasil.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
 – Enquanto Bolsonaro tenta fritar e limar de vez o ministro Mandetta que até o momento tem dado conta do recado, se omite diante das trapalhadas de Weintraub que, na falta do que fazer durante o isolamento social, tem se dedicado a criar embaraços internacionais. Ou seja, quem trabalha vira alvo, quem brinca em serviço, fica livre, leve e solto. (Marcelo Copelli)

18 thoughts on “Weintraub diz que pode se retratar por “imbecilidade” se a China vender mil respiradores para o MEC

  1. Eu mandaria vir para o ministro da (Des) educação um escafandro.
    Weintraub seria designado para o fundo mar ensinar a escrita cuneiforme para os peixes, e nos deixaria livres de suas asneiras;

    Para o Mário Jr., um Acelerador de Partículas Mentais, para sair da obsessão contra a esquerda, a TI e seu Editor.

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkk xD

    Weintraub, o taradinho ideológico analfabeto da Nova Era, gosta de atirar capim pra tchurminha da cangalha ideológica ficar alvoroçada e apludir com seus casquinhos….

    O agronegócio deve estar felicíssimo pelas jumentices dele…

    Alô, Weintraub! Manda mais que a jegada gosta!

    E o agronegócio agradece!!!

    “Deus Vult! Deus Vult! Deus Vult! Deus Vult! Deus Vult! Deus Vult! ”

    “Ainnnn, eu só uma borxonete templária que combate us cumunixta!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

      • EM TEMPO:

        O Trump, que não é bobo nem nada, tá passando a mão em tudo que é carga chinesa de materiais médicos pelo mundo…Por aqui a jegada consegue partidarizar e ideologizar até coronavírus e cloroquina…

        Brasileiro é muito jumento mesmo……

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk x

  3. Quando alguém cita as redes sociais como fontes confiáveis, fico na dúvida se é desconhecimento, se é cretinice ou se é babaquice. As fontes mais confiáveis sempre serão aquelas que partem do jornalismo sério.

    Hoje em dia, a mídia tradicional sofre ataques ensandecidos e na grande maioria injustificados.

    As mídias sociais com suas fakes news, parecem estar ditando uma direção perigosa para aquelas pessoas cujo discernimento e bom senso é escasso.

    Neste dia que se comemora o dia do jornalismo, parabenizo os jornalistas deste site, especialmente Carlos Newton, seu criador, que está nesse ramo há décadas e que na sua labuta não esmorece nunca. Também parabenizo o comentarista Marcelo Copelli. E, claro, aos demais jornalistas que frequentam este espaço.

    Não desanimem com as críticas destrutivas. Seu trabalho é muito importante para ajudar a população. Um abraço.

  4. Que os chineses fazem leilão com equipamentos médicos disponíveis, não é novidade, até os europeus reclamam, quem não acredita, ou é muito trouxa, ou portador de deficiência mental.A diplomacia das máscaras, o maior e único responsável, apresenta-se como salvador, humanitário, “o planeta depende de nossa capacidade industrial para salvar seus doentes”.Engole essa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *