Witzel diz que Bolsonaro ‘passou dos limites’ e que vai à Justiça: ‘Quem não deve não teme’.

Resultado de imagem para witzel"

Witzel afirma que Bolsonaro está mentindo a seu respeito

Bela Megale
O Globo

Wilson Witzel (PSC), afirmou que vai acionar Jair Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF) devido às afirmações do presidente no lançamento do seu partido, nesta quinta-feira, em Brasília. O governador do Rio também disse que “quem não deve não teme”.

Em seu discurso na convenção da “Aliança pelo Brasil”, Bolsonaro acusou Witzel de manipular as investigações da Polícia Civil sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco, que aconteceu em 2018. O presidente também disse que sua “vida virou um inferno” depois que Witzel foi eleito.

SEM LIMITES  — “Ele (Bolsonaro) está acusando um governador de manipular a polícia do seu Estado. A polícia do Rio é independente. Infelizmente, o senhor Jair Bolsonaro passou dos limites. Eu vou tomar providencias judiciais contra ele, vou iniciar uma ação penal para que ele responda pelos seus atos tentando me acusar de fatos que eu não pratiquei”,    assinalou.

O governador do Rio também disse que “tem a consciência tranquila” e que não poderia manipular a polícia para impedir que investigações fossem realizadas.

“Se o Flávio Bolsonaro está sendo investigado, se esse processo da Marielle tem um fato que envolve a casa do presidente, isso não compete a mim, e sim ao Ministério Público, que tem independência, à Polícia Civil, que no nosso governo ganhou independência. Quem não deve não teme” — emendou o governador.

CRÍTICAS A MORO – Witzel também criticou o ministro da Justiça, Sergio Moro, que defendeu a federalização do caso Marielle e classificou a citação de Bolsonaro na investigação como “disparate”.

“[É indevido] o próprio ministro da Justiça fazer afirmações levianas de que há indícios de fraude (na condução da investigação sobre o assassinato de Marielle). O processo está em segredo de Justiça, eu não tive acesso. Acredito que o ministro também não tenha tido acesso. Se ele teve, está falando além daquilo que deveria falar. Não podemos admitir a interferência do governo federal, do presidente da República, no Estado do Rio. Não podemos ser penalizados por quem quer que seja, por questões pessoais” — disse.

O governador também classificou como “indevido” o inquérito instaurado, por ordem de Moro, para apurar a citação de Bolsonaro na investigação do assassinato de Marielle e disse que a “federalização do caso não é necessária”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Mais uma vez o presidente Bolsonaro vai se desculpar na Justiça, e tudo ficará por isso mesmo, como se dizia antigamente. A Justiça brasileira, aliás, está passando a pior fase de sua história e envergonha o país. (C.N.)
.

13 thoughts on “Witzel diz que Bolsonaro ‘passou dos limites’ e que vai à Justiça: ‘Quem não deve não teme’.

  1. Porque a hesitação em responder e processar o Presidente? É evidente que o Witzel sabe que Bolsonaro esta dizendo a verdade. Taí o motivo do porque o Governador não quer a federalização do caso Marielle, não só ele, o Psol também não quer, a verdade virá a tona!

    • Que verdade? Que ele está interferindo na polícia Civil?

      O próprio Bolsonaro não interferiu no STF, com o pacto do 3 poderes, para proteger o filho Flávio e o Queiroz?

      E quanto ao novo depoimento do porteiro, você acha que houve interferência do Bolsonaro?

      • Se federalizar já sabemos qual será o resultado. Ficará tudo como está.

        Crime é crime e tem que ser investigado, doa a quem doer.

        Proteger bandido não é coisa de governo algum. A não ser que quem comanda o governo queira se blindar e blindar os seus.

  2. Witzel foi um dos “outsiders” eleitos ano passado. Ninguém o conhece, não tem passado político e é cria da mal afamada Justiça carioca. Se a segurança do Rio está como está, não se pode culpar a outros senão seus “gerentes”. Bolsonaro pode ter este temperamento, mas acionado, pode ter de mostrar o que sabe e como soube. Witzel teve êxito para o governo do estado, mas para presidência o jogo é mais pesado e outros atores vão atuar. Soube acertar a época e com quem se ligar para ser alçado de completo desconhecido a governador de estado. Via de regra, não teria nenhuma necessidade de começar uma briga diretamente com o governo federal, a três anos da próxima eleição a presidente e ainda podendo concorrer a reeleição do estado. Cabe saber quem é o “sujeito oculto” por trás de Witzel.

  3. Há menos de dois meses Witzel trocou seu secretário da casa Civil. Estranhamente colocou o ex-deputado e candidato a senador derrotado por “Sergipe”, André Moura, no cargo. Aliado de Eduardo Cunha, investigado na lava-jato foi também líder de Temer…
    O que um político do NE entende de RJ para ser alçado a um cargo que organiza politicamente o governo? Mistério…
    Witzel também passou a usar como papagaio de pirata o político Max Lemos, padrinho de casamento de…Picciani.
    O principal suspeito da morte de Marielle é o miliciano Domingos Brazão, coincidentemente da máfia dos Picciani, que o apadrinhou para ministro do TCE.
    E mais curioso ainda é que a rede globo “parou” de bater no Witzel exatamente após ele “mudar” seus políticos. Reparem que quando tem alguma falha da PM ou até morte por bala perdida, ele não é mais citado. “Esqueceram” do careca no RJTV e no JN.

    • Faltou lembrar que o tal porteiro mora na Gardênia azul, área da milicia do…Brazão.
      E aonde um de seus capos ficou jantando em uma churrascaria das 14 às 24 hs no dia do assassinato da Marielle. E nesta mesma fatídica noite o companheiro da sua ex-mulher foi assassinado com tiros de fuzil.
      Falta muito para alcançar o caso Celso Daniel, mas desse jeito chega lá.

      • Aos poucos, as coisas vão aparecendo. Eu sempre achei que havia algo estranho nesse porteiro; Agora, surge o nome do que parece ser o patrão dele e chefe da milícia que mandou fazer o estrago. Pena que nesse país só tenha pena de morte para mocinho. Bandido, no máximo, passa um tempinho curto na cadeia. Enquanto isso, presidente e governadores perdem um tempo precioso batendo boca, totalmente esquecidos de governar. Que esperar de um país de eleitores analfabetos e mal informados? NADA !

  4. Talvez, no caso da Marielle o governador do RJ tenha razão.
    Como governador está mostrando que não é diferente da política de privatização do Bolsonaro. Sem a preocupação com as necessidades da população já falou em privatizar a CEDAE, empresa lucrativa. Água é o principal bem da vida. A iniciativa privada, não tem compromisso com o social, seu compromisso é o lucro. Água não não é mercadoria.

  5. A lei é clara, com a citação do PR o processo segue para o STF, quando o MPF e a PF assume as investigações; mas, se é para enlamear o PR e sua família, quem se importa com o que diz a lei?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *