Zico: “Morreu no meu coração esse Flamengo de hoje”. Fragilizada, Patrícia Amorim não agiu como presidente, envergonhou a NAÇÃO RUBRONEGRA. Hoje, VOTEM com amor e devoção para não envergonhar a NAÇÃO BRASILEIRA

Helio Fernandes

Se o Congresso, que aprovou o projeto ficha-limpa, e o TSE que o referendou e legitimou por 6 a 1, pudessem estender sua atuação aos campos de futebol, nenhuma dúvida: o Flamengo estaria cheio de fichas-sujas, pouquíssimas fichas-limpas, raros seriam elegíveis.

O episódio Zico, quando o clube perdeu a colaboração do maior ídolo da sua história, não começou agora. A explosão foi provocada (isso mesmo, P-R-O-V-O-C-A-D-A) no momento, mas veio de longe.

Na tentativa de renovação, reformulação ou verdadeira REVOLUÇÃO no clube, os que conhecem a politicalha dominante na NAÇÃO RUBRONEGRA, sabiam que iam assustar e preocupar os que agem e vivem nos subterrâneos, se manifestam com subterfúgios. E aconteceu.

Só não contavam com a pasmaceira, a omissão, a displicência e até a imprudência da presidente Patrícia Amorim. Sua entrevista (?) é melancólica, pensando-se nela como campeã do clube, também gloriosa, embora num esporte infinitamente menos popular. Flutuando maravilhosamente nas piscinas, mergulhou e desapareceu, quando exibiram rascunho (ou cópia sem autenticidade) de contrato que não estava mais em vigor desde 31 de julho. Foi ela, a presidente (ainda pode ser chamada assim?) que junto com o próprio Zico, assinou a dissolução do que haviam acertado. Como então não ficar assombrado ouvindo ela dizer sobre o “Capitão Leo”, do Conselho Fiscal: “Não tenho nada contra a denúncia, a obrigação do Conselho Fiscal é fiscalizar”.

Acontece que NÃO FISCALIZAVAM, apenas INTRIGRAVAM, mostravam papéis que não valiam nada, estavam desfeitos há muito. Patrícia Amorim não podia ficar S-O-L-I-D-Á-R-I-A como ficou. Se como disse muito bem, “CONSELHO FISCAL É PARA FISCALIZAR”, vingança torpe, ressentimento, tentativa de tumultuar não é parte dessa obrigação. Dona Amorim devia e deve criar uma Comissão de Investigação, terá que ser composta por INIMIGOS, para ela não sobrou um só AMIGO. Toda a compreensão e apoio a Zico e ao seu vice de Futebol, Vinicius França, que saiu imediatamente, nem imaginou continuar sem ele.

Escrevo como jornalista e talvez o mais antigo sócio-proprietário, Membro do Conselho Deliberativo. E tendo a certeza de que nada está ACABANDO, tudo COMEÇANDO.

Fiz questão de juntar os fatos acontecidos na NAÇÃO RUBRONEGRA e o que acontecerá a partir da 9 horas da manhã de hoje, na NAÇÃO BRASILEIRA. O traço comum dos dois fatos: a participação popular, a interferência popular mesmo, na escolha dos presidentes.

Na NAÇAO RUBRONEGRA, todos os sócios votam, diretamente. O mesmo que hoje, na escolha não só do Presidente da República, mas dos Governadores (Poder Executivo) e dos parlamentares federais e estaduais (Poder Legislativo), que ajudarão a compor o que a Constituição (todas elas) chama de “GOVERNO DO POVO, PELO POVO, PARA O POVO”, baseado na famosa Doutrina Monroe.

(Embora raramente seja cumprido o que está escrito, votado e determinado. Que maravilha, se cumprissem. Mas POVO, para quase todos, é apenas uma palavra, pronunciada mas não respeitada, glorificada, exaltada).

De qualquer maneira, votem hoje orgulhosamente, cada um dizendo para si mesmo, na alma, na mente e no coração: “O futuro do Brasil, do meu país, do meu povo, depende de mim, sou eu que decido. E só decidirei se VOTAR com amor, responsabilidade e independência”.

Se fizerem isso hoje, e preciso insistir, não apenas para presidente, terão o direito de se sentirem satisfeitos e decididos a participar a partir de 1º de janeiro. Começa 2011, vocês precisam impor e fiscalizar o NASCIMENTO DE UM NOVO TEMPO.

E participar, presenciar, denunciar, protestar, apoiar, se for essa a sua intenção. Este dia 3 de outubro é o mais importante da nossa História. A República começou (toda errada) num 15 de novembro. Tentando consolidá-la, mudaram para o 3 de outubro revolucionário, que também de forma golpista, passou novamente a 15 de novembro. Esperemos que outra vez num 3 de outubro, o VOTO VALHA A RECUPERAÇÃO DA REPÚBLICA.

Embora o próprio TSE (Tribunal Superior Eleitoral) não saiba, estarrecedoramente, qual o voto que vale e o que não vale (por causa dos ficha-limpa e os ficha-suja), decida você mesmo, cidadão-contribuinte-eleitor, e diga: “MEU VOTO VALE, E VALE MUITO, POIS NÃO VOTAREI EM FICHA-SUJA”. Assim, o dia 3 de outubro, HOJE, começará e terminará, GLORIOSAMENTE.

***

PS – Patrícia Amorim devia RESPONSABILIZAR os que deixaram uma dívida de 333 milhões, a juros espantosamente altos. Não fez nada até agora, não fará nada daqui para a frente.

PS2 – O novo presidente, (só não digo a primeira mulher a ser eleita, para não pensarem que acredito 100 por cento nas pesquisas) deveria tomar providências também sobre as DÍVIDAS. Se continuar essa POLÍTICA SUICIDA, o Brasil não resistirá.

PS3 – E é IMPERIOSO, URGENTE, NECESSÁRIO E IMPRORROGÁVEL, a decisão de LIQUIDAR AS DOAÇÕES- PRIVATIZAÇÕES, cujos cálculos já atingem um total entre 10 e 17 TRILHÕES.

PS4 – Lula se omitiu v-e-r-g-o-n-h-o-s-a-m-e-n-t-e, aceitou, assumiu e se descuidou do CRIME HEDIONDO praticado por FHC, desprezado e praticamente desconhecido por ele.

PS5 – A partir de 1 º de janeiro, estamos obrigados a REASSUMIR O PATRIMÔNIO NACIONAL, miseravelmente, GLOBALIZADO.

PS6 – Para começo das PROVIDÊNCIAS, podem criar uma CPI para investigar os CRIMES DA COMISSÃO DE DESESTATIZAÇÃO. Os que autorizavam, (por ordem do PSDB) a troca de um patrimônio muito bom, por um dinheiro ruim.

PS7 – Estão todos vivos, (sempre foram “muito vivos”) riquíssimos com as MOEDAS PODRES que aceitaram, DOANDO as riquezas do País. Este é um crime que não prescreve, e pode estar REVIVENDO HOJE.

PS8 – Para que o Brasil recupere sua FABULOSA RIQUEZA e a tão desprezada e tão imprudentemente desdenhada INDEPENDÊNCIA.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *