A reabilitação de Lula é uma alternativa para derrotar Bolsonaro nas eleições de 2022

Charge do Amarildo (agazeta.com.br)

Pedro do Coutto

Analisando-se sob o ângulo político inevitável, as decisões do Supremo Tribunal Federal e a onda da opinião pública revoltada contra Jair Bolsonaro, são os fatores essenciais para que Luiz Inácio Lula da Silva retornasse ao panorama marcante do país hoje e representasse uma forma eficaz de impedir a reeleição do atual presidente da República.

O processo político é dinâmico, ao contrário do que alguns cientistas políticos acreditam ao não levar em conta o caráter mutante de um sistema que abrange tanto a ideia democrática de liberdade, quanto os interesses legítimos tanto das classes produtoras, quanto dos 100 milhões de assalariados que se encontram com os seus vencimentos perdendo para a inflação.

DESASTRE – A ressurreição de Lula significa um posicionamento voltado para impedir a continuidade do desastre que nasceu nas urnas de 2018. Foram episódios que ficarão na história. Desejo que sejam focalizados em toda plenitude pelos historiadores do futuro.

No momento em que Jair Bolsonaro desencadeou precocemente a sua campanha eleitoral, a sociedade brasileira percebeu o risco que o país corria, sobretudo em face da atuação do próprio presidente da República, ameaçando pessoas, ridicularizando a pandemia, promovendo aglomerações, não usando máscara em situações públicas, agredindo pessoas com palavras de baixo calão. Tudo isso criou a necessidade de se ter um candidato capaz de derrotá-lo nas urnas em 2022.

OPONENTE – Percorrendo-se os caminhos políticos, não se encontrou um nome sequer que fosse mais viável eleitoralmente do que Lula da Silva. Na época da comunicação veloz, ficou nítido que o prazo para as eleições seria pouco para uma nova liderança. Apareceu o governador João Doria, mas o seu nome despertou dúvidas quanto às possibilidade de enfrentar o atual chefe do Executivo. Mas Lula tem todas as condições para isso.

Basta ver, conforme já frisei anteriormente, que Lula transferiu a Fernando Haddad, um candidato inexpressivo , 43% dos votos que marcaram o último embate para Presidência da República. Assim, com a decisão do Senado em instaurar a CPI da Saúde e com as decisões da Corte Suprema, as correntes preocupadas com a manutenção da democracia e com a liberdade de expressão, concluíram que o ex-presidente tem condições para evitar a continuidade do desastre que se instalou no Brasil.

COMUNICAÇÃO DO GOVERNO – Reportagens de Jussara Soares e Daniel Gullino, no O Globo, e de Gustavo Uribe, na Folha de São Paulo, nas edições de ontem, destacaram a substituição estabelecida por Bolsonaro na área de Comunicação da Presidência da República.

Bolsonaro afirmou que o país está no limite e aguarda um sinal do povo. Sinal para quê ? Por uma imagem melhor, pode ser. É uma expressão que pode ter sentido duplo, como aquele que marcou a renúncia de Jânio Quadros em 25 de agosto de 1961. A área de Comunicação é disputada, mas a disputa não recai sobre nenhum jornalista profissional. Tem recaído ao longo dos anos, desde o primeiro governo Dilma Rousseff em técnicos em publicidade. A publicidade comercial nao e compativel com a  divulgação política e administrativa

O jornalismo é um teorema, que tem que ser comprovado na prática. A publicidade é um axioma, figura matemática que dispensa comprovações. As empresas estatais de uns tempos para cá, a exemplo de Furnas, não escalam jornalistas para o setor . Limitam-se a nomear pessoas que nada tem a ver com o jornalismo. Sei que agências de Comunicação e Relações Públicas estão por trás deste fenômeno. Claro, inclusive porque os contratos com empresas desse tipo rendem comissões.

ANÁLISE DOS FATOS –  Em matéria de salário não pode haver comissão. Trabalhei 15 anos em Furnas e posso citar o equívoco. Matéria de Comunicação só é eficiente através do jornalismo. Isso porque o jornalista tem sensibilidade para análise dos fatos que serão notícias e sabem dar o tratamento adequado aos conteúdos enviados aos veículos.

O jornalismo é composto também pela importância dos textos elaborados. No governo Bolsonaro não há texto positivo, pois não se conhece do Planalto um projeto sequer construtivo que se destine aos direitos coletivos da população. Não há obras, não se fala em rodovias, ferrovias. Em termos de petróleo, só se fala em aumentos de preços.

ALUGUÉIS DISPARAM – O Estado de São Paulo de quarta-feira coloca em destaque com bastante propriedade a crise social criada pelo reajuste dos aluguéis com base no IGPM da FGV. A matéria abrange tanto os aluguéis residenciais, quanto comerciais. Com o IGPM torna-se impossível os inquilinos pagarem os aluguéis. O IGPM de janeiro de 2020 a janeiro de 2021 acusa um reajuste de 21% e recai sobre as locações, mas o IPCA do IBGE aponta uma inflação de 5,4% no mesmo período.

Logo, com os salários congelados, os atuais inquilinos não conseguem pagar o aluguel, pois este pesa bastante na despesa da população.  A tese de congelar salários e elevar os preços é própria do ministro Paulo Guedes. Não tem cabimento e se tornou impossível.

CONFERÊNCIA DO CLIMA –  No O Globo de ontem, Renato Grandelle assinala que a reunião do clima convocada por Joe Biden começa no dia 22 de abril, encontro no qual Bolsonaro não deve se esquivar. No atual governo, o desmatamento e as queimadas apresentaram um grau de devastação maior do que aquele que existia antes de Bolsonaro assumir e Ricardo Salles ser nomeado para o Ministério do Meio Ambiente.

Na Folha de quinta-feira, Patrícia Campos Mello focaliza a posição do governo americano em relação ao setor, acentuando que a Cúpula dos Líderes, empenhada em conter o aquecimento global, está aguardando – afirmação da jornalista – seriedade por parte do presidente Bolsonaro e do governo brasileiro sobre a questão que aflige o universo.

Bolsonaro, a meu ver, ingressou em seu período final tendo pela frente uma montanha de gelo que necessita remover para cumprir a missão de governo, a qual não vem dando importância.

38 thoughts on “A reabilitação de Lula é uma alternativa para derrotar Bolsonaro nas eleições de 2022

  1. O Brasil perdeu uma enorme oportunidade de melhorar um pouco a sua péssima opção de escolha e acabar de vez com esta polarização ridícula em que nos encontramos , matando dois coelhos, digo jumentos com a mesma paulada…
    Bastava que o cachaceiro ladrão ,imundo e vagabundo continuasse inelegível, até o fim da sua existência fétida e “impichar” o Medonho miliciano e lunático que teríamos o melhor (será?) dos mundos para 2022.
    Simples !
    Mas estes juízes e políticos sem moral e de honestidade zero, corruptos por princípios e circunstâncias, tem muitas tretas tanto com o imundo, quanto com o (pessimamente) mau lavado…
    Credo !

    • Jornalista Pedro do Couto. Há tempos, que procuro uma análise profunda dos tempos atuais, sem sucesso. No entanto, esse texto seu, em comento está excepcional. Sintético, claro e racional. Está tudo aí, sem tirar nem por. Uma aula de política e do bom jornalismo. Todos os jornalistas deveriam se espelhar nos artigos de Pedro do Couto.
      Minha admiração pela sua clarividência só aumenta.
      Que alegria ler duas crônicas logo só raiar do dia. Um lenitivo, um alento em meio a tanto sofrimento.
      Você Pedro, é a esperança na humanidade, uma demonstração de que existe luz no fim do túnel.

  2. Esse homem rico, que mora na Barra, tem instrução assessores fanáticos, uma família fanática por ele e por suas ideias idiotas, vai ser derrotado por um pobre e humilde trabalhador braçal que tem uma popularidade e uma aceitação assombrosas por parte da sociedade. Isso tem uma explicação: ele é burro, arrogante, não tem o menor amor ao povo, principalmente aos humildes e mais necessitados. Seu vocabulário é o de um cabaré de terceira classe. Não tem a menor vocação para estadista.

  3. Morto por ter cão, morto por não tê-lo.
    Entre a cruz e a espada.
    Se ficar o bicho come, se correr o bicho pega.
    Casa da Mãe Joana.
    Mente vazia, oficina do diabo.
    Há males que vêm para o bem, para quem os comete, lógico.

    Pois os ditados populares que mencionei, de certa forma simbolizam a situação brasileira com relação às próximas eleições.
    Lula contra Bolsonaro ou vice-versa.
    Consequência de quem for o vencedor:
    Caos, crises, problemas infindáveis e insolúveis.

    Bolsonaro já nos comprovou à exaustão que não serve para ser inspetor de quarteirão;
    Lula demonstrou que o seu caráter e personalidade são unicamente voltados para roubar, explorar e manipular o País e povo.

    E SÃO ESTES DOIS CANALHAS QUE A OPINIÃO PÚBLICA SE ENCONTRA DIVIDIDA!!!

    Talvez o carma nacional não seja descoberto mediante análises tradicionais à base espiritual.
    O País não tem como ser penalizado, logo, quem se castiga contumaz e permanentemente é o cidadão!

    E gosta de padecer, sofrer, receber as injustiças cruéis de um sistema que o martiriza, rouba, explora e o manipula.
    Masoquismo?
    Autoflagelação?
    Resignação doentia pelos males que tem sido vítima, e nada faz para impedir que tais suplícios um dia terminem ou diminuam?

    Lula e Bolsonaro …
    Não haveria um nome neste país imenso, continental, com 210 milhões de cidadãos, um nome sequer que o povo poderia eleger para não continuar errando contra ele mesmo??!!

    Só temos mesmo Lula e Bolsonaro, mais nenhuma outra viva alma?
    Vou ser engraxate no Nepal!!

    • Aos poucos a verdade está se firmando.
      Ontem o STF declarou que: se Lula roubou, NÃO foi da Petrobrás!
      E Proximamente deverá julgar o justiceiro Moro.

      • Ah, Ronaldo, não sei como ainda tenho paciência contigo e teus “comentários”!

        Se Lula e sua quadrilha não roubaram a Petrobrás, aconteceu um fenômeno contábil, que a estatal teve um desvio de bilhões de reais durante a gestão de Lula, sem existir um responsável.

        Os computadores da empresa decidiram assassiná-la, então trataram de lhe ocasionar prejuízos incalculáveis porque a detestavam!

        Ronaldo, para de sonhar, acorda, che.

        Saúde e paz.

    • Prezado Bendl
      Recentemente escrevi no Blog sobre a possibilidade de uma Terceira via, para podermos construir um país melhor a partir de 2022. Todos os jornalistas escrevem sobre Isso nos jornais. É
      uma realidade.
      Os dois polos contrários: Bolsonaro &Lula podem nos arrastar para o despenhadeiro, independente tô resultado vidas eleições em 2022.
      Sobre o tema central do artigo do Editor, peço todas as venias e escusas para discordar e pontuar minha análise do julgamento, sem paixões e emoções, simplesmente sua excelência o fato:

      Trata-se de um Habeas corpus em favor do paciente, sob a alegação de prerrogativa de Foro. Os fatos imputados ao Réu na denúncia ocorreram em São Paulo. Sítio de Atibaia, Apartamento em Guarujá, Sede do Instituto Lula e Cobertura de São Bernardo. No entanto, um juiz federal encaminhou os Inquéritos para a 13 Vara Federal de Curitiba, única Vara especializada em Lavagem de Dinheiro, segundo os entendimentos da mais alta esfera Judiciária da época, como se os juízes federais de São Paulo fossem incompetentes para julgar. O incidente foi suscitado pelos advogados do paciente, porém, rejeitados pelo juiz singular (Moro), pelos três juízes do segundo grau e na Terceira Instância (STJ).
      Somente depois de perder nas instâncias recursais, o advogado recorreu ao STF (última instância). O caso foi sorteado para apreciação na Segunda Turma do STF, que decidiu por maioria 3&2, contrariando o entendimento do Relator, que também decidiu orla suspeição do juiz Sérgio Moro, somente nas decisões sobre o sítio e o apartamento do Guarujá, decisão que será julgada pelo plenário da Corte na próxima quinta-feira.
      O Relator dos processos da Lava Jato, ministro Edson Fachin, temendo a repercussão geral dos processos julgados em Curitiba, decidiu encaminhar a decisão da Segunda Turma para o Plenário e ainda decidiu, que o Foro do Juiz Natural dos processos julgados por Moro em Curitiba passariam para o Distrito Federal,vem razão do paciente Lula residir na época dos fatos em Brasília. Essa decisão de Fachin foi vitoriosa por 8 &. 2. No entanto, o ministro Alexandre de Morais advogou a tese do Fórum Natural ser a cidade de São Paulo, no que foi acompanhando por Gilmar Mendes Ricardo Levandovisk e Dias Toffoli.
      Essa decisão não significa, que Lula foi absolvido, que foi inocentado, está claro, que será julgado novamente, sem prejuízo das provas já coletadas, pelo novo juiz da causa, ou de Brasília ou de São Paulo. Essa questão de ordem ainda será decidida.
      Muitas opções ainda teremos pela frente.
      Acho, que não podemos analisar uma decisão judicial pela capa do processo, pelo paciente ou pelas circunstâncias políticas.
      Quando lá pelas 18:00 horas de ontem, quatro ministros votaram pela mudança do Foro, portanto, anulando as decisões prolatadas pelo juiz Sérgio Moro, o presidente da Corte, Ministro Luiz Fux, tentou adiar a decisão para a semana seguinte, alegando compromissos e a ausência por problemas médicos do Ministro Barroso. Os ministros não concordaram e passaram a votar rapidamente acompanhando o Relator. O ministro Barroso votou pelo celular, também acompanhando o Ministro Relator Edson Fachin.
      O ministro decano Marco Aurélio Mello, a meu ver, votou de maneira indelicada, sob a alegação que a decisão seria absurda e traria a sociedade contra o Tribunal, logo ele, que sempre decidiu contrariamente e solitariamente contra o entendimento da maioria dos seus pares. Foi, sem sombra de dúvidas, um ponto fora da curva.
      No fim, o presidente Fux votou acompanhando a divergência, suscitado pelo ministro Nunes Marques, o novato do Tribunal Superior.
      Gostem ou não das decisões do STF, mas, o pleno doTribunal revisor das decisões de instâncias inferiores erra ou acerta por último.
      O ministro aposentado do STF, Eros Grau sempre dizia.: Não existe justiça completa na terra, a justiça verdadeira só há no Paraíso.
      Eu completaria com a frase lapidar do nosso senhor e salvador Jesus Cristo: “Quem estiver livre do pecado, que atire a primeira pedra”.
      Desde que me entendo por gente, nunca vi um único governo, sem escândalos de corrupção. E acho que morrerei sem ver essa milagre. Será que milagres existem na Terra?

      • Insta salientar, que será julgado na próxima quinta-feira, a suspeição do juiz Sérgio Moro, em face dos diálogos interceptados pelo Site do Intercept.
        Se for declarada a suspeição do juíz Moro, será o fim da Lava Jato.
        Mas, tenho quase certeza, que a tese da não suspensão será acolhida por 6 & 5.
        A decisão favorável a Lula, não tem repercussão geral e ele não foi ainda considerado inocente,apenas está elegível, podendo concorrer as eleições de 2022.
        Em sentido contrário, se for julgada a suspeição na próxima semana, todos os julgamentos de Curitiba serão anulados.
        Infelizmente,o juiz Moro aceitou o convite de Boldonaro para o cargo de Ministro da Justica no final de 2018. Resultado: foi humilhado pelo presidente, praticamente defenestrado do cargo, a Lava Jato foi esvaziada pelo governo e pelo Procurador Geral culminando com o desfecho da anulação do julgamento de Lula sentenciado por Moro.
        A vida não é para amadores. A vida nos reserva muitas surpresas. Vamos aguardar os próximos acontecimentos.

        • Nascimento, meu caro,

          Obrigado pela deferência com que me tratas.

          A questão Lula sempre teve envolvidos outros componentes, e não somente aqueles que o processaram, julgaram e condenaram.

          Tratava-se de um ex-presidente;
          nomeou vários ministros para o STF;
          beneficiou muito as castas, elites e poder econômico;
          aparelhou muito bem o Estado;
          PROVOU para o Brasil, que este País só funciona e com falhas, se movido pela corrupção, turbinada, evidente.

          Se nenhum desses itens que mencionei não podem ser negados porque estritamente verdadeiros, convenhamos mas detalhes técnicos nessas alturas não soam justos, pelo contrário, transparecem exatamente a obediência ao sistema, a obrigação dos ministros escolhidos por Lula e Dilma, em forma de sentenças que demonstrem seus agradecimentos.

          Logo, temos uma Suprema Corte absolutamente tendenciosa e parcial.
          Há um vínculo poderoso e indestrutível com relação ao padrinho e seus afilhados.
          Enquanto esse processo de escolha dos ministros perdurar, JAMAIS qualquer julgamento egresso do STF será aceito sem pontas de úvidas e desconfianças.

          Por que não se muda o meio de escolher os ministros?
          Porque assim como está atende os interesses e conveniências dos presidentes e partidos políticos, simples.

          O STF está como guardião não da Constituição, isso é balela, conversa mole prá boi dormir, porém para manter o stablishment, o status quo, e ai de quem ousar alterar essa engrenagem.

          Moro tentou, e deu com os burros n’água.

          Agora, admito que o ex-juiz foi muito ingênuo, para eu não dizer idiota e imbecil!
          Acreditar em politico neste País é um absurdo, ainda mais se convidado para fazer parte do ministério, e renunciando à carreira da magistratura!

          Moro não tem condições de disputar 2022, a menos que seja para outro cargo:
          deputado estadual, federal, senador, mas para o Planalto deve esquecer.

          Suas chances serão para 2026, se restar algum pedaço deste Brasil, claro.
          Se Lula ou Bolsonaro, um dos dois vencer a eleição não sei se chegaremos nesta data, pois creio que esta nação será destruída literalmente, antes de 2026.

          Diante do meu entendimento, que a JUSTIÇA deve prevalecer sobre leis, códigos, normas, diretrizes, liturgias, ritos, sempre considerarei que Moro foi traído pelo próprio poder Judiciário.

          Paga, agora, o preço pela sua ingenuidade, repito, se tinha consciência do modo que se faz política neste País, e a forma como os corruptos são julgados, ou seja, como se livram das condenações, e saem impunes dos tribunais!

          Lamento, Nascimento, mas o Brasil não tem mais conserto.
          Não há mais poderes, instituições, que confiamos cegamente, pois todas, indistintamente, encontram-se à mercê da corrupção e interesses escusos.

          A minha grande mágoa, frustração, decepção, irresignação, devem-se a reconhecer que os culpados fomos nós, o povo, a população, o cidadão, que permitiu que bandidos tomassem conta do Brasil, que o destruíssem, que o implodissem.

          Agra, é cada um por si, haja vista que, para as autoridades, o cidadão é um alvo a ser abatido, o inimigo a ser eliminado, logo, o povo não tem a mínima chance de estipular reviravoltas ou novos processos, pois o Brasil já está programado sem o povo.

          Abração.
          Saúde e paz.

    • Me satisfaz imensamente ler uma contradita sua Bendl.
      O nosso inconsciente está profundamente abalado com as notícias de mortes diárias de familiares, de amigos, desconhecidos, personalidades das Artes, das Letras, da Cultura, etc…e as autoridades governamentais digladiando entre si por espaço político e Poder em 2022. Trágico isso. E a tristeza pela partida de Bortolloto aos 70 anos, cuja história de vida, li a pouco pelas palavras do seu filho aqui na Tribuna.
      Lembro a ti, que ministros indicados por Lula, como Joaquim Barbosa, que foi o Relator do Mensalão, puniu e encarcerou deputados e ministros do PT, como José Dirceu e companhia.
      Na mesma toada, Teori Zavasqui, Carmem Lúcia, Rosa Weber, Edson Fackin, Luiz Roberto Barroso, Luiz Fux e até Dias Toffoli também votaram contra o PT.
      Se nós não confiarmos, nos ministros da Suprema Corte, nas decisões emanadas de fundamentação jurídica, então, tudo estará perdido. São humanos e por isso erram. O remédio está nos Recursos.
      Dizem, que o STF Judicializa a política, que interfere no Executivo e no Legislativo. Balela e mentira. Esses poderes entram com liminares para que a Corte resolva seus problemas. O campeão de pedidos são os Partidos Políticos, mas, o Executivo também recorre aos ministros, através da AGU. Depois reclamam do ativismo judicial, como recentemente criticou o general vice presidente Hamilton Mourão e o presidente Jair Bolsonaro. Os ministros, não decidem, sem que haja provocação da parte. Acho, que a omissão, seria muito pior, no caso de devolver o pedido, sem uma solução. Acho, que o presidente Fux está nessa linha, de negar in limine qualquer pedido, para evitar o desgaste do Judiciário. A vida está difícil para todo mundo, mas, para os pobres está muito pior.
      Vamos sair desse labirinto, que o próprio povo entrou nele e assim, terá ou teremos juntos, que achar a saída.
      Espero que não encontremos uma fera na porta da saída, pronta para nos engolir, em direção as Trevas.
      Se cuida e abraços. Use a máscara e exija o distanciamento protocolar.

  4. Se Lula ainda pretende concorrer a uma eleição a presidente, dois cortes lhe serão imprescindíveis:
    -Eliminar, duma vez por toda, a bebedeira;
    -Extirpar essa ratazana, que orbitava em torno dele e se prevalecia do seu estado ébrio, para arrancar-lhe um SIM, com propósitos criminosos.

  5. Agradecemos aos comentários em memória de Flávio José Bortolotto.

    “empenhada em conter o aquecimento global”

    Essa daí não contém o fogo no coreto, como diria o negão.

  6. Então, típico de Lula!

    Esforços para que seus crimes nunca venham à tona!
    Só não me venha postar no teu próximo texto, Ronaldo, que sequer o prédio deste tríplex existiu!!!

    Só falta essa.

    • Caro Chicão,
      Você tem uma paciência de Jó!

      Argumentar com torcedores e não, eleitoresn é uma missão impossível!!
      Parabéns pela tua enorme resiliência.

      O que os torcedores do ladrão, cachaceiro e louco e do ladrão, miliciano e louco, não perdem por esperar… e que NENHUM DOS DOIS SERÃO ESCOLHIDOS pelos sofredores pagadores de impostos.

      Aparecerá uma terceira via com toda certeza, e não será o Ciro Gomes, um engomadinho metido a jagunço! Outro louco!
      Não podemos cometer este erro com outro destemperado.
      O Brasil precisa de tranquilidade, seu povo precisa trabalhar em paz e sem sobressaltos.
      Por mais que digam que o Moro está fora da corrida eleitoral, tenho minhas dúvidas, pois , ele tem milhões de admiradores pelos lavajatistas.
      Não creio que o povo de bem, rejeite Moro numa chapa bem costurada.
      O país necessita do Moro hoje, como JAMAIS precisou de um outro presidente desde às diretas.
      Estamos novamente sendo enganados e tirando o povo do jogo político, como você bem falou, pois, nos dão pra escolher entre a merda e a bosta e o Ciro seria o vômito.
      Assim não dá, o país não aguenta mais os ladrões de sempre. Ou partimos pra algo novo, diferente com perfil apropriado e equilibrado para o Planalto ou continuaremos nadando na merda, na bosta e no vômito!
      E o que é pior, nadando contra a corrente dessa mistura de excrescências.

      Vamos ter fé em Sérgio Moro!

      Todos sabemos que este homem foi o mais perseguido por todos os corruptos, com um jogo sujo jamais visto neste Brasil.
      Só faltou ser queimado em praça pública!

      Um forte abraço e muita lsaúde e paz pra aturar toda esta loucura.

      JL

  7. Vidal, meu conterrâneo,

    Segundo Francis Bacon “Saber é poder” e a ao mesmo tempo, critica os sábios gregos com os seguintes dizeres: “Os gregos, com efeito, possuem o que é próprio das crianças: estão sempre prontos para tagarelar, mas são incapazes de gerar, pois a sua sabedoria é farta em palavras, mas estéril em obras”.
    Como podemos entender essa aparente contradição?

    Bacon pensava que era preciso preparar a mente do homem, eliminando os ídolos que poderiam comprometer seu entendimento.
    Ora, Bacon queria simplesmente ignorar a natureza humana?
    Como eliminar de nossas mentes as referências, modelos, exemplos, comportamentos, conhecimentos, experiência (empirismo), os tais ídolos que ele mencionava?

    Bacon foi um sofista, tentando transformar a práxis comportamental humana, em teoria, e a sua teoria como a prática a ser aplicada!

    Duzentos anos depois, Kant com muita delicadeza e perspicácia, pôs fim à teoria de Bacon:
    Kant compreendia: “que todo o nosso conhecimento começa com a experiência, não há dúvida alguma, pois, do contrário, por meio do que a faculdade de conhecimento deveria ser despertada para o exercício senão através de objetos que tocam nossos sentidos e em parte produzem por si próprios representações, em parte põem em movimento a atividade do nosso entendimento para compará-las, conectá-las ou separá-las e, desse modo, assimilar a matéria bruta das impressões sensíveis a um conhecimento dos objetos que se chama experiência? Segundo o tempo, portanto, nenhum conhecimento em nós precede a experiência, e todo ele começa com ela. Mas embora todo o nosso conhecimento comece com a experiência, nem por isso todo ele se origina justamente da experiência. Pois, poderia bem acontecer que mesmo o nosso conhecimento de experiência seja um composto daquilo que recebemos por impressões e daquilo que a nossa própria faculdade de conhecimento (apenas provocada por impressões sensíveis) fornece de si mesma, cujo aditamento não distinguimos daquela matéria-prima antes que um longo exercício nos tenha tornado atentos a ele e nos tenha tornado aptos à sua abstração”.

    A mente não pode ser inflada e desinflada como um balão.
    Bacon queria que pudéssemos eliminar o que é inato no ser humano, que tem regido a nossa existência há centenas de milhares de anos, que mencionei acima.

    Se nada pode ser convicção, muito menos pode ser absoluto quem contesta esta mesma convicção, pois está se contradizendo frontalmente em estar convicto do que diz!
    Não há como desconsiderar o tempo, o meio, o local, a educação, as tradições, meios, costumes, de modo que a mente elimine seus ídolos, que Bacon os classificou.
    Impossível.

    Pois a partir de teorias que se mostram inverossímeis ou impraticáveis, o enunciado se perde em si mesmo, pois despojado de vínculo com a realidade da época, com o conhecimento do momento, ainda mais em se tratando de 500 anos atrás.

    Que devemos aceitar pensamentos contrários isso não seria sequer filosofia, mas respeito e educação.
    Agora, resta saber com quem está a razão;
    Resta saber com quem está com a verdade mas, resta saber, como que a Justiça será feita!
    E esta não pode ser escrava de normas, regras, leis, que a delimitem às circunstâncias.

    Pois seria nesta incongruência entre justiça e lei, que discutimos os processos de Lula.
    Moro deixou de cumprir com alguns detalhes na liturgia jurídica, conforme está sendo colocado como suspeito.
    No entanto, jamais alguém o acusou de ter sido INJUSTO!!

    E é esta a convicção que prevalece, a meu ver, entre os que foram lesados e prejudicados por Lula e sua quadrilha, travestida em partido político, o PT.

    Moro pode ter errado no curso dos processos sob sua autoridade, mas JAMAIS poderá ser acusado ou suspeito de não ter feito JUSTIÇA com o ladrão Lula!!!

    Abração, Vidal.
    Saúde e paz.

  8. No Brasil falam e escrevem em demasia, sem que solução alguma é apresentada. Esta Republica Celso de Melo (merda) já nasceu corrupta. (vejam no Google o ABC da Monarquia de Ruy Barbosa) Acredito que o Parlamentarismo seria a melhor solução.

    O Barroso (boca de veludo segundo Jeferson) já declarou que as urnas são confiáveis e não há necessidade do voto impresso. Vamos copiar a Venezuela.

  9. Caro Bendl,
    não vejo nenhuma contradição entre Bacon e Kant. Quais as origens de nossas convicções, senão as experiências vividas?
    São coisas que nem percebemos, pois não as podemos descartar.

    Por exemplo, tens as tuas convicções. Tenho as minhas. Elas são frutos de quê?

    Estaremos errados? Talvez, mas é da natureza humana. Por isso tantas diferenças entre nós todos.

    Os melhores pensadores são aqueles que tentam minimizar as suas próprias convicções para formular ideias, eliminá-las é impossível.

  10. Esta escolha é infinitamente pior que a de Sofia, reeleger um maluco incompetente ou um ladrão conhecido? Nem Pilatos precisou fazer uma escolha tão ruim assim.

  11. Eu ainda suspeito que tudo isso é artimanha do STF.

    Eu tenho pra mim que o STF vai barrar a candidatura de ambos: Bozo e Lularápio.

    Mas o STF não fará isso “pelo bem do Brasil”. Fará isso para salvar a si próprio.

  12. Senhor Pedro Couto, é um excelente jornalista,conhece como poucos,a história desse País.

    Seus textos, são um primor,que nos faz vivenciar e interagir como ator de uma peça…

    Dito isso,sem querer desmerecer a análise política, seu Couto,tem ojeriza do Ciro Gomes.
    Porquê?

    CIRO GOMES, só não foi pro segundo turno,e ganharia do Bolsonaro,diga se de passagem,Bolsonaro no período eleitoral ganhou dignamente SÓ… SÓ… com discurso da moralidade, agora, estamos no vale a pena ver de novo Jânio Quadros.

    Mas,o que interessa,Lula-o Barba,aprendeu com o MALUF,e jogou dinheiro e cargos nas estatais e desmanchou acordos políticos que CIRO GOMES, tinha costurado.

    Ora ora,Senhor Pedro Couto,com dinheiro da Petrobrás, Odebrecht,e os fundos de pensão da Varig,e outros. Obscuro Haddad não existiria,o poste Dilma, está aí para comprovar.

    Agora, porque insiste em querer Fla Flu na final.

    Quais os motivos ? São inconfessáveis..?

    Agora,a final é CIRO X Mercenários entreguistas..

    VC,vai ficar com quem ??
    Queridinho da Condessa..JB.

Deixe uma resposta para Espectro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *