Afinal, quais serão os adversários de Dilma nas urnas de 2014?

Pedro do Coutto

Reportagem de Ranier Bragon e Marina Dias, Folha de São Paulo, revela que Aécio Neves mostra-se favorável a que o PSDB antecipe para já o lançamento da candidatura ao Planalto, alterando portanto seu posicionamento anterior quando acertou com José Serra que a escolha definitiva do nome só ocorresse em março de 2014. Mas Serra está percorrendo o país para se colocar entre as opções (duas) para a sucessão presidencial. Dúvidas no ar, sobretudo porque o ex-governador paulista está na frente do senador mineiro nas pesquisas do datafolha e do Ibope. Entretanto ambos perderiam por larga margem para Dilma Rousseff. Isso no lado tucano.

No lado do PSB, o enigma será entre Eduardo campos e Marina Silva, outra fonte de dúvida, também em função dos resultados das pesquisas que apontam Marina com o dobro das intenções de voto registradas para o governador de Pernambuco. Segunda dúvida, que somada à primeira, induz à pergunta que está no título: afinal, quais os candidatos que vão enfrentar Dilma Rousseff nas urnas de 2014? As oscilações sinalizam para a falta de unidade entre as correntes de oposição e este tornar-se um fator que acrescenta no sentido da reeleição da atual presidente.

Estarão faltando temas para os adversários do Planalto ou interpretação para suas colocações no palco sucessório? Esta perspectiva a mim parece mais realista, já que Dilma, como é natural, encontra-se em plena campanha. Tem a seu favor, sem fazer força, as indecisões entre os que lhe são contrários. Isso de um lado. De outro, a caneta e as inaugurações de obras e realizações de eventos.

A dúvida, no momento, é mais acentuada entre os tucanos, na medida em que Aécio é favorável à antecipação da escolha, mas deseja o apoio de Serra através da integração deste à sua campanha. Logo, no momento, em termos de convenção partidária, hoje, o senador está mais forte do que o ex-governador. Fica nítido. Porém nítido fica, também, o temor de Aécio relativo a um crescimento de Serra no Datafolha e no Ibope que supere novamente os índices que vai registrar daqui em diante.

Este é mais um complicador para ambos, já que Serra está muito mais forte que Aécio em São Paulo, enquanto     Aécio está muito mais forte que Serra em Minas Gerais. Os dois maiores colégios eleitorais do país. Se os dois não se acertarem em torno de um só, dividido, o PSDB partirá para mais uma derrota. Da mesma forma que o PSB se lançar a candidatura de Eduardo Campos preferindo-o a Marina Silva.

ENTUSIASMO

Pois uma coisa é essencial em matéria de voto: o entusiasmo no decorrer da campanha, em entusiasmo autêntico capaz de irradiá-lo junto aos eleitores. Não o entusiasmo fraco, resultado do cumprimento de uma obrigação partidária. Seb tal disposição não se verificar nos setores da oposição, não haverá nenhuma novidade nas urnas. Pois se as oposições reunidas atingiram 44% dos votos no segundo turno de 2010, ficando 12 pontos atrás de Dilma, sem a mesma unidade a tendência é a de que seu índice seja menor no próximo ano.

Assim, o primeiro passo a ser dado tanto pelo PSDB quanto pelo PSB é estabelecerem o consenso e decidirem logo quais serão, de fato, seus candidatos. É inclusive a única forma de conduzir o desfecho final para o segundo turno. Caso contrário, Dilma Rousseff vence no primeiro.

2 thoughts on “Afinal, quais serão os adversários de Dilma nas urnas de 2014?

  1. Como sempre brilhante análise do grande Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO. Como ninguém das Oposições não desperta “Entusiasmo autêntico capaz de irradiá-lo junto aos Eleitores”, podemos ter certeza de uma coisa: Forças Políticas poderosas, as mesmas que atuaram na AP-470, e que agora rapidamente em 15 Novembro, mandaram para a Cadeia grandes Líderes Políticos, aprontarão “alguma” para a Presidenta DILMA ROUSSEFF. Haverá novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *