Agenda oficial contradiz Wajngarten e não mostra registros de encontros com a Pfizer

Fabio Wajngarten caiu em várias contradições na CPI da Covid

Leandro Prazeres, Daniel Gullino e André de Souza
O Globo

A agenda oficial do ex-secretário de Comunicação da Presidência da República Fabio Wajngarten contradiz a versão dada por ele em seu depoimento à CPI da Covid nesta quarta-feira. Wajngarten disse que seus encontros com representantes da Pfizer foram registrados em sua agenda oficial, mas a agenda de Wajngarten disponível no site do governo federal não traz nenhum registro sobre as reuniões citadas por ele à CPI.

Wajngarten prestou depoimento à CPI nesta quarta-feira depois de ter dado uma entrevista à revista Veja na qual afirmou que houve “incompetência” da equipe do Ministério da Saúde para fechar um acordo para a compra de vacinas contra a Covid-19.

DOIS ENCONTROS – Em seu depoimento, Wajngarten detalhou as datas de dois encontros que, segundo ele, teriam ocorrido em seu gabinete no Palácio do Planalto, em Brasília.

Ao ser questionado pelo senador governista Eduardo Girão (Podemos-CE) sobre se os encontros haviam sido registrados em sua agenda, Wajngarten disse que sim.

— Registro da reunião eu não tenho. Não tenho ata. Mas as reuniões constaram da minha agenda oficial e a reunião sempre teve testemunha, inclusive de funcionários da Secom, outros entes políticos, as reuniões todas foram de portas abertas e com muitos participantes.

NADA NA AGENDA – Uma consulta à agenda oficial de Wajngarten nos dias em que, segundo ele, as reuniões aconteceram mostram que não há registro dos encontros.

O primeiro desses encontros, segundo Wajngarten, teria ocorrido no dia 17 de novembro de 2020. Nesse encontro, ele disse, estiveram presentes o próprio Wajngarten, um de seus assistentes, o então CEO da Pfizer no Brasil Carlos Murilo e uma diretora de comunicação da empresa. Na agenda oficial, porém, não há nenhuma menção à reunião.

Ainda segundo Wajngarten, um outro encontro teria ocorrido no dia 7 de dezembro de 2020, em que, segundo o ex-secretário, ele teria cobrado a Pfizer para aumentar a quantidade de vacinas a serem entregues ao país. Mas, na agenda oficial, no dia 7 de dezembro, os únicos compromissos listados são “despachos internos”. Um terceiro encontro teria ocorrido no dia 9 de dezembro. A agenda do então secretário nesse dia registra três compromissos, mas nenhum deles com representantes da Pfizer.

4 thoughts on “Agenda oficial contradiz Wajngarten e não mostra registros de encontros com a Pfizer

  1. Mentiras e contradições vem a rodo. Mas o que impressiona muito é a carta da Pfizer onde toda a cúpula do governo foi copiada Mourão, Braga Neto, Guedes, Pazzuelo et caterva. E Bozó, claro.

    Mais de 70 milhões de doses da Pfizer foram ofertadas para dezembro de 2020. É muita omissão e irresponsabilidade, com resultado trágico de milhares de vidas que seriam salvas.

  2. Li no oantagonista:

    “Imagina um cidadão honesto ser preso por um vagabundo como Renan Calheiros”, diz Flávio Bolsonaro

    Claro que não se referia a si mesmo – quem tem rabo longo precisa cuidar que não seja pisado.

  3. De o antagonista: “Braga Netto diz que orientou o Ministério da Defesa a não comprar bebidas alcoólicas.”

    Já pensou o perigo da mistura alcool – canhão?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *