Brasil reencontra seu futebol livre e vistoso sem os esquemas táticos de Tite

Richarlison fez três gols no primeiro tempo contra a Alemanha

Pedro do Coutto

Foi uma bela vitória a da seleção olímpica masculina na manhã de hoje sobre a Alemanha, uma das equipes mais credenciadas do futebol mundial, em uma importante partida. A seleção olímpica do treinador André Jardine, é preciso acentuar, livrou-se dos esquemas táticos, gelificadamente rígidos, traçados por Tite que terminavam ampliando o tempo que a seleção de ouro levava para chegar à área adversária.

Além disso, o esquema de Jardine liberta os jogadores da perda de tempo com dribles repetidos, como é o caso de Neymar, expondo-se a marcações rígidas dos adversários pelo pouco espaço entre ele, os seus marcadores e a bola rolando. Com isso, Neymar sofre mais violência, consequência dele prender demasiadamente as jogadas, facilitando a marcação do time contrário. Mas esta é outra questão.

ARMAÇÃO LÓGICA – Há um ponto essencial na manhã de hoje: a armação lógica e simples de Jardine. Linha de três zagueiros, meio-campo com quatro, ofensiva de mais três, sendo Richarlison o mais adiantado de todos. Com isso, o autor dos três gols de hoje, que ficam na bela história do futebol brasileiro, encontrou o seu próprio estilo de atuar; na frente, revivendo o ponta de lança, exatamente onde se sente melhor e mais desenvolto.

Lembro da recente partida da seleção, sob o comando de Tite, se não me falha a memória na Copa América, em que identifiquei Richarlison defendendo muito próximo da bandeira de corner. Determinando que ele recuasse tanto, Tite esquece que a lógica indica que Richarlison não volte tanto, pois assim quando a defesa tomar a bola ele sairá em desvantagem na corrida para o contra-ataque.

OPORTUNIDADES – Na manhã de hoje, poderíamos ter vencido por margem maior de gols. Oportunidades não faltaram para o próprio Richarlison e para os seus companheiros de ataque. Entre as oportunidades, o pênalti perdido. Mas como dizia o meu saudoso amigo Nelson Rodrigues “todas as vitórias são santas” e esta de hoje propiciará mais confiança à nossa seleção olímpica.

Foi importante e com ela reencontramos o futebol de conquistas heróicas de 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002. No sábado, às 5h da manhã, a seleção feminina enfrenta a Holanda. Estarei diante da TV assistindo a mais um capítulo da história da bola.

2 thoughts on “Brasil reencontra seu futebol livre e vistoso sem os esquemas táticos de Tite

  1. Brasil reencontra seu futebol livre e vistoso sem os esquemas táticos de Tite

    Sr. Coutto

    Os supostos “treineiros” ,Tite, Filipão, Mano Menezes, Celso Roth, Parreira, Zégalo, são os túmulos do futebol brasileiro.
    Deixaram o futebol na mão desses “inteligentes” que inventaram a ‘bola” deu no que deu.
    A verdadeira Seleção Brasileira teve a morte decretada em 1.986, junto com ela morreu também o futebol arte, espetaculo, a magia, o drible, a a genialidade do jogador brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *