“Capitalismo social” de Guedes é mais uma farsa em sua fracassada agenda neoliberal

Charge do Nani (nanihumor.com)

Roberto Nascimento

O ainda superpoderoso economista Paulo Guedes, que estava no ostracismo até ser apelidado de ”posto Ipiranga” pelo então candidato Jair Bolsonaro, começou o governo adotando anacrônicas medidas ultraliberais. Fez promessas mil, na casa dos trilhões de economia com reformas malignas, nunca entregues até agora, e somente houve perda de direitos sociais e trabalhistas dos assalariados.

Sob seu comando, a economia brasileira afunda, o desemprego cresce e a carestia bate nas casas das gentes humildes, com a inflação para maio (IPCA) atingindo o maior patamar dos últimos 25 anos.

EXTERMINADOR DO FUTURO – Mitômano contumaz, a falsidade acompanha seus trejeitos, suas falas, suas conversas com empresários, tudo enfim. Demonstra uma fobia antológica aos servidores públicos e aos empregados das empresas estatais, não consegue esconder suas intenções de acabar com essas categorias do Estado.

Trata-se de um homem rico e indiferente aos problemas dos brasileiros, age contra o SUS e o INSS como se fosse um exterminador do futuro social ou um representante do escravismo velado do século XXI.

Pois bem, ao perceber que o Bolsonaro vem despencando nas pesquisas eleitorais, com alta rejeição, na casa dos 59%, ameaçando o projeto da reeleição em 2022, Guedes deu um cavalo de pau, girando 180 graus nas suas ideias liberais, e passou a anunciar camaleonicamente um estranho ”capitalismo social”.

MEDIDAS ILUSÓRIAS – Ao invés de ampliar as medidas sociais, o que Guedes pretende é aumento de gastos públicos, redução do IPI para estimulo ao consumo, perdão fiscal para dividas do empresariado e desistência da reforma tributária, que são medidas para impulsionar o consumo, como se fosse um Pacote do Bem, para beneficiar o povo com mais empregos, depois de quase três anos de maldades sem fim.

Não se enganem, se a farsa der resultado, no segundo mandato virá um massacre dos já reduzidos direitos dos trabalhadores, comandado pelo Guedes, com seu emprego garantido de ministro, para se livrar das acusações de gestão temerária e irregularidades em aplicações de fundos de pensão, uma blindagem que ele realmente necessita e sonha.

Para o espertalhão Guedes, o presidente Bolsonaro é apenas um detalhe, que ele usa e abusa para continuar mandando no governo.

11 thoughts on ““Capitalismo social” de Guedes é mais uma farsa em sua fracassada agenda neoliberal

  1. Já escrevi aqui na TI que o posto Ypiranga tem validade. Ou melhor dizendo, utilidade.
    Como no segundo semestre se confirmará a absoluta falta de rumo da economia como um todo, Bolsonaro para justificar se colocará toda culpa em P Guedes. Pensa que com isso lavará sua culpa em não saber nada de economia e se preparar para 2022.

  2. Segundo o IBGE, metade da população brasileira -110 milhões- sobrevive com 15,00 contos por dia.,
    Logo, o Paulinho Paulada vai transferir esses 15,00 contos do povão para seus amigos Banqueiros. esse é o Capitalismo Social.. do Paulinho.

  3. A – Não foi o Guedes que inventou o “fique em casa, a economia a gente vê depois”.
    Percebi a sua ideia: “Fique em casa, a economia, a gente põe a culpa Guedes”

    B – Metades dessas mortes foram nos estados do PSDB (Doria, Leite); eles fizeram o que quiseram com apoio do STF, fecharam tudo e quebraram o comercio e a indústria; o Guedes não teve nada há ver com isso.

  4. Prezado Nascimento,

    Não sei como Paulo Guedes ainda deva ser conhecido como ministro da Fazenda, se a sua ignorância com relação à Economia é gritante, escandalosa, explícita!

    Não existe nada, absolutamente nada, de alguma medida ser levada a efeito para melhoria das condições do povo e do País.
    Pelo contrário, Paulo Chicago Guedes Boi (assim mesmo, sem o y), tem afundado o Brasil justamente por falta de planejamento, ocasionando desemprego cada vez maior, pobreza e miséria no mesmo patamar!

    Talvez o tendencioso e corrupto ministro esteja defendendo a sua classe dos abastados, as castas, elites e poder econômico, pois a população e o País estão cada dia pior!

    Não entendo, Nascimento, como que um governo se instale sem planejamento, organização, direção e controle.
    Guedes e Bolsonaro jamais pensaram em algo que diminuísse o desemprego, jamais.
    As reformas necessárias não são feitas e, a da Previdência, foi o maior engodo contra o trabalhador!

    O dinheiro jogado fora com o Bolsa Família e auxílios emergenciais, provam a incompetência e insensibilidade da dupla do mal, Bolsonaro e Guedes, que estão se lixando para os desvalidos e desempregados.

    Por que não abrirem postos de trabalho?
    Por que não construírem rodovias?
    Por que não ampliam a pífia rede ferroviária que temos?
    Por que não constroem pontes, elevadas, viadutos, túneis, metrôs … ?
    Por que não erguem novas escolas?
    Por que não instalam esgotos nas cidades?
    Por que não limpam as estradas, colocam placas de sinalização novas?
    Por que não colocam calçamentos nas ruas de chão batido?
    Por que não instalam água encanada onde não tem?
    Por que não fazem Postos de Saúde?

    Por quê?
    Por quê?
    por quê?

    Em compensação, Judiciário e Legislativo se lambuzam de tanto dinheiro que seus representantes embolsam, a ponto que são as castas brasileiras que mais nos dão despesas, e cujos resultados invariavelmente são contra a sociedade brasileira.

    Um parlamentar ganhar 200 vezes mais o valor do Salário Mínimo, comprova o CRIME social que o povo tem sido vítima, até porque somos nós que pagamos OBRIGATORIAMENTE por essas fortunas pagas mensalmente a corruptos, incompetentes, vagabundos e traidores!

    Olha, mesmo que saísse Paulo Guedes, e entrasse o melhor ministro da fazenda do mundo, ainda levaríamos décadas para erguer o Brasil, depois de tanto tempo sendo roubado, explorado e manipulado!
    Logo, se temos de aguentar esta dupla do mal até 2022 ou, sabe-se lá até quando, penso que não resistiremos por mais cinco ou dez anos nesta situação sem futuro e perspectivas de melhoras.

    A situação brasileira é tão grave, que não se sabe por onde começar – se um dia alguém se interessar, claro.
    Não temos ideia se seria pela Educação;
    se devemos atender os milhões de pobres e miseráveis, primeiro;
    se seria a violência;
    ou a saúde pública?

    Abraço.
    Saúde e paz, parceiro.

    • Bendl, o Guedes desejando fim do FGTS e dos Fundos de Pensão das Estatais. Ele deve ter um objetivo oculto. Todos sabem, que ele deseja acabar com o FGTS para abocanhar a reserva dos trabalhadores.
      O FGTS foi criado no regime militar, pelo economista Roberto Campos, no governo Castelo Branco, simplesmente para acabar com a estabilidade no serviço privado, após 10 anos de serviço. Desde idos tempos, que os economistas querem tirar algo dos outros. Pois bem, pode anotar, que Guedes vai tentar essa manobra.
      Ele é esperto demais, vai comendo o mingau pelas beiradas, até que chega a oportunidade e pimba: dá o bote e sempre em cima do servidor público e das estatais. Do trabalhador privado também.
      Ele é um homem do mercado e seu intuito é escravizar a classe trabalhadora, com o slogan: muito emprego e pouco direito. Só que o salário é para lá de miserável e sem Plano Médico. O INSS destruído e seu obscuro objeto de desejo, título de um clássico do cineasta Luís Bunhel.

  5. Se fosse apenas incompetência … mas os governantes se caracterizam pela desonestidade, pela mentira, pelos roubos, explorações e manipulações do povo e País!

    Muitas pessoas têm plena consciência que os aumentos de impostos e congelamento de salários para os servidores estaduais, principalmente professores e policiais civis e militares, a causa é manter as milionárias remunerações existentes nos três poderes, e seus gastos perdulários e irresponsáveis.

    Quanto não gastam com os cartões corporativos?
    Quanto que não rola de propinas nas licitações?
    Quanto dinheiro não é desviado do seu destino para alimentar a corrupção?
    Quantos privilégios que não pagamos, enquanto resta para nós, o povo, somente trabalhar e pagar?
    Tem cabimento, o governo nos tomar sete meses do ano de trabalho para podermos fazer frente à carga tributária?
    Quanto não estaria hoje o famoso “custo Brasil”?
    Certamente em trilhões de reais por ano.

    Pois, destes valores, quais seriam aqueles efetivamente gastos com a população, em comparação com as fortunas dirigidas para cada Poder à sua manutenção?
    Há quantos anos a Tabela de Restituição do IR está defasada?
    Algum vagabundo parlamentar alguma vez se interessou em questionar o governo, pelo qual as alícotas da retenção do IR faz muito tempo que não são verificadas, em face do desemprego e aumento da pobreza e da miséria?

    O regime de governo que temos é obedecer e outorgar poderes, logo, impositivo, autoritário, uma ditadura dissimulada!
    As eleições não passam de um teatro mambembe, cujas peças são interpretadas por canastrões, que permitem ladrões de bilheterias levar o dinheiro dos ingressos!

    • Uma sociedade, um país, não se mede somente pelo seu PIB. Pode-se ter um PIB grande com um povo doente, racista, individualista, caso dos americanos.
      O Brasil está doente desde que Bolsonaro venceu as eleições. Antes dele, éramos, alegres, brincalhões, tínhamos sonhos. Agora vivemos um pesadelo a casa dia. Volta e meia, vem uma notícia ruim, de conhecidos que partiram. Vidas, que poderiam ser salvas, Amazônia ardendo, desemprego, venda de tudo que é brasileiro, que ajudamos a construir, pessoas ruins por todo lado, egoístas, a banalidade do mal imperando. Agora vem a ameaça de apagão, reservatórios vazios.
      Não acredito mais em Economistas tipo Guedes e companhia, e aprendi, que devo desconfiar de tudo, inclusive de médicos que receitam remédios como a Cloroquina, ineficazes ou que causam mal ainda maior, ao invés de curar. Virou a medicina, um faroeste de curandeiros e negociatas. Terrível.
      Ricos, remediados, classe média, pobres, tudo desandou. A índole má do Brasileiro veio a tona, com uma força incomensurável. Não estava preparado para essa pororoca de tanta ignorância.
      Se continuar essa toada de intolerância, será difícil escapar do caos. Se não houver mudança de rumo, é para lá que iremos, rumo ao precipício.
      Há quem interessa isso tudo?
      Que tristeza profunda, esses tempos cruéis.

  6. As atuais Urnas de Votação Eletrônicas utilizadas no Brasil, defendidas pelos Ministros do STE, sem os registros impresso dos votos , individualizadamente, que possibilitem a “auditagem”, são coisas para trouxas! que num português vulgar: devem ser qualificados como ” OTÁRIOS”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *