Crise brasileira avança e agora inclui até o futebol, com a polêmica sobre a Copa América

Jogadores manifestaram-se contra a realização da Copa América

Pedro do Coutto

A crise brasileira está explodindo por todos os lados, deixando um rastro extremamente negativo para a população e também para o governo Bolsonaro diante de mais de 200 milhões de habitantes. Suas etapas vão se desenrolando numa sequência impressionante que vai da pandemia, passa pelo Exército, chega à energia elétrica e, em mais uma salto, envolve até o futebol.

No futebol, os jogadores da seleção e o técnico Tite manifestaram-se contra a realização da Copa América que começaria ainda este mês sem que o treinador e os atletas fossem sequer consultados. O treinador e os atletas voltaram-se em massa contra o presidente da CBF, Rogério Caboclo, que se apressou em aceitar que o país fosse sede desta taça após as negativas da Colômbia e da Argentina. A Colômbia por viver um momento institucional profundamente crítico e a Argentina por considerar o grave problema da Covid-19 e os efeitos que poderia produzir em Buenos Aires e outras cidades do país.

ACUSAÇÕES – No meio da tempestade ainda surgem, reportagem de Bruno Marinho, O Globo deste sábado, acusações contra o dirigente da CBF por assédio sexual a funcionárias da entidade, sobretudo a uma que tornou público o seu protesto diante do sórdido comportamento de Caboclo.

Por outro lado, Júlia Lindner e André de Souza, também O Globo, apontam a existência de um gabinete paralelo ligado à Saúde, mas independente do próprio Ministério, onde são traçadas normas, inclusive por médicos, defendendo a cloroquina e se opondo às restrições levantadas por cientistas ao que se deu o nome de tratamento precoce.

Só faltava essa: alguém assume o Ministério da Saúde, como é o caso agora do médico Marcelo Queiroga, mas tem o seu posicionamento rejeitado pelo gabinete da cloroquina. A contaminação atinge mais de 60 mil pessoas por dia, transformando-se numa corrente que ameaça todas as pessoas no Brasil.

DOIS GABINETES – A taxa de mortalidade passa de 2 mil pessoas a cada 24 horas. Como tenho focalizado, o ministro Marcelo Queiroga não consegue pisar no freio, o que seria o mínimo a se exigir de um ministro da Saúde. Mas é preciso se levar em conta que, segundo a reportagem, não existe uma só vontade no campo crítico da Covid-19. Existem dois gabinetes que se chocam e disputam de forma extremamente negativa a questão do coronavírus.

O presidente Jair Bolsonaro dá mais ouvidos, pelo que se deduz, ao gabinete paralelo porque a cloroquina já foi distribuída em larga escala pelo país depois de ser adquirida pelo governo. Para o gabinete do Ministério da Saúde, foi dinheiro jogado fora.

No setor de energia elétrica, reservatórios muito baixos e preços muito altos das tarifas em decorrência do uso de termelétricas. As tarifas não são apenas as domiciliares, elas se estendem à indústria, aos serviços e  a todos os demais setores que não podem funcionar sem ela.

MEIO AMBIENTE –  Além disso, não podemos esquecer o que está ocorrendo no Ministério do Meio Ambiente. Toneladas de troncos de árvores retirados ilegalmente aguardam destinação após o choque entre o ministro Ricardo Salles e o ex-superintendente da Polícia Federal na região Amazônica Alexandre Saraiva.

A madeira espera a sua liberação, como defende Salles, ou a sua apreensão, como defendeu Saraiva. Deve-se destacar que a descoberta da ilegalidade foi uma decorrência de denúncia. Mas a luta pela comercialização normal colocou Salles numa posição de incrível desgaste. E ele ainda continua no Ministério.

Focalizando este panorama conjunto, encontramo-nos numa etapa singular da história brasileira, pois nunca tantos foram acusados de tantas ilegalidades ao mesmo tempo, compactuadas pelas ações de uns e omissões de outros. As omissões são tão destrutivas quanto as próprias ações que levam à devastação do verde da Amazônia. Enfim, estamos diante de uma crise que se agrava a cada dia.

CONGELAMENTO DOS SALÁRIOS –  Enquanto isso, o governo adia indefinidamente o estabelecimento de um programa nacional que teria que se situar no plano da emergência, mas que deveria se estender ao plano da urgência social porque além de todos esses fatores definidos, ainda por cima temos o congelamento dos salários e as taxas inflacionárias reais, inclusive os cálculos do IBGE que a mim parecem reduzir os impactos que os diversos segmentos da população estão sendo atingidos, produzindo uma anarquia generalizada.

A hierarquia e o regulamento disciplinar do Exército também são focalizados pela lente da opinião pública. Tem-se a ideia de que o barco do governo enfrenta uma tempestade que desaba sobre o país como um todo.  O governo passa por uma fase de desorganização praticamente total. Acima disso tudo, existe ainda a perspectiva do treinador Tite demitir-se na noite de terça-feira, logo após o jogo com o Paraguai.

 

 

16 thoughts on “Crise brasileira avança e agora inclui até o futebol, com a polêmica sobre a Copa América

  1. Sr. Pedro do Couto, bom dia!
    Pelo visto o sr. só irá se sentir seguro e confortável vivendo na Venezuela ou em Cuba, não perca seu precioso tempo, faça as malas e vaze.
    Atenciosamente.

    • Cuba tem 5 vacinas próprias mesmo tendo embargo (criminoso) norte-americano que, além de empresas americanas atinge de outros países, que são proibidos de fazer negócios com empresas norte-americanas caso tenha comércio com a Ilha vizinha dos EUA.
      Um exemplo de país que sobrevive e ainda investe em Ciência, Saúde e Educação.

    • Ficar ofendendo não acrescenta nada. Seria mais logico perguntar por que os esquerdistas vão para Miami e Paris, e nunca para Cuba.

      PS: Talvez seja porque a mentira do Leao do Pt acima, já dê a resposta. Em Cuba, além de fila de comida; tem apenas 5 doses de vacina, só dá para os cabeças do partido esquerdista.

  2. Pedro do Coutto é um jornalista experiente, deveria ter sentido o odor pútrido da militância petralha nas declarações do PTite. Ora bolas, até ontem, quando a Copa América seria realizada na “socialista” Argentina, o sujeito estava em silêncio. Bastou a CBF, contra a vontade da Globo e da bandidocracia, aprovar a realização do torneio no país, para o PTite ter xiliques de hipocrisia pura. Está incomodado porque a transmissão dos jogos será do SBT e não da Globolixo, a mesma que anuncia aos quatro ventos partidas de futebol de outros torneios. É nojento!

  3. É difícil dizer e pior ainda aceitar mas, a sociedade brasileira está esfacelando-se rapidamente.
    Temo pelo futuro do Brasil como nação.

  4. Na copa do mundo de futebol, realizada na Rússia, o Brasil, do treinador Tite, ficou em 6° lugar. Saindo agora será favor que ele nos faz, se levar o Neymar junto, melhor ainda.

  5. Tanto P Couto qto C Newton me parecem aqueles rebeldes sem causa. “Se hay gobierno diga le que soy contra”.
    Falo isso pq não reconhecem que contribuiram para que muitos brasileiros odiassem o PT, sem reconhecer nenhum dos méritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *