Deputados batem boca com ministro Salles: “Deixa de ser moleque!” e outras coisa mais…

Ricardo Salles

 Salles disse aos deputados que não é office-boy de ninguém

Thais Rodrigues
Congresso em Foco

Nesta segunda-feira (3), o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, compareceu à reunião conjunta das comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e Viação e Transportes. A sessão foi presidida pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP) e foi palco de bate-boca entre deputados de oposição e o ministro. Durante a discussão, é possível ouvir um dos parlamentares chamando o ministro de “moleque”, ainda que não seja possível identificar de qual parlamentar veio o xingamento.

Após ouvir críticas dos deputados Rodrigo Agostinho (PSB-SP) e Paulo Guedes (PT-BA), homônimo do ministro da Economia, Salles atacou os parlamentares dizendo que Agostinho é ambientalista de palanque e que o bom Paulo Guedes é o que está no governo.

EMENDAS PARLAMENTARES – O ministro Ricardo Salles sugeriu como forma de recuperar o orçamento da pasta , que é o mais baixo dos últimos 21 anos, que deputados doassem recursos de emendas parlamentares individuais, o que causou alvoroço no plenário.

Dados do relatório “Passando a Boiada”, do Observatório do Clima, apontam que o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) 2021 encaminhado pelo governo Bolsonaro ao Congresso terá queda de 27,4% no orçamento federal previsto para fiscalização ambiental e combate a incêndios florestais, na comparação com o que foi autorizado em 2020. Em relação a 2019 a queda é ainda maior: 34,5%.

Os dados são uma grande contradição às falas de Bolsonaro na Cúpula do Clima. Durante a reunião, que aconteceu em abril, o presidente mudou o tom usual de seus discursos, e anunciou as metas do país para acabar com a emissão de carbono e o desmatamento ilegal, além de prometer dobrar o orçamento dos órgãos de fiscalização ambiental.

BOIADA JÁ PASSOU –  A deputada Tabata Amaral (PDT-SP) disse que o ministro não mentiu quando falou que “passaria a boiada”. “Já são cerca de 721 medidas contra o meio ambiente”, ressaltou.

Ainda durante a sessão da comissão, o deputado Ivan Valente (Psol – SP) chamou o ministro e os outros parlamentares governistas de “palhaços”. Ele disse que Salles foi um “grande desastre ambiental no Brasil” por seguir a mesma lógica de trabalho do governo Bolsonaro.

Para Valente, parte do orçamento que seria destinado à preservação da Amazônia está sendo gasto em salários para pessoal de outras entidades.

A BASE REAGE… – Parlamentares bolsonaristas como o deputado Sanderson (PSL-RS) saíram em defesa de Salles. Sanderson lembrou da reunião feita com o delegado Alexandre Saraiva, onde, segundo ele, “houve uma tentativa de difamar o ministro do Meio Ambiente, que tem feito um excelente trabalho”.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Bia Kicis (PSL-DF) também avaliou a atuação de Ricardo Salles como positiva, mesmo posicionamento da presidente da Comissão de Agricultura, Aline Sleutjes (PSL-PR).

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Salles é hoje o principal ponto fraco do governo. O presidente Bolsonaro já conseguiu se livrar do chanceler Ernesto Araújo, mas está difícil exibir o cartão vermelho a Salles, e ninguém sabe o motivo dessa blindagem. Sobre meio ambiente, Bolsonaro diz uma coisa e o ministério faz outra, mas parece que é tudo combinado. (C.N.)

12 thoughts on “Deputados batem boca com ministro Salles: “Deixa de ser moleque!” e outras coisa mais…

      • Ah, você é meu conterrâneo, nascido na Unidade MÁ da Federação!
        Eu nasci a 500 metros donde ocorreu o orto do nosso parente, José Sarney.
        PS: os simples mortais tem nascimento; os astros, ORTO.

    • Pinda, voce é só mais um viralata brasileiro que exporta teoria conspiratórias do Titio Sam, mostrando que o viralatismo tem várias vertentes.

  1. Será que se a PF seguir o caminho do dinheiro da exploração ilegal de madeira na amazônia não poderá encontrar respostas a esse confronto entre Salles e parlamentares?

    • Sr. Sylvio Rocha,

      Tenho certeza absoluta que a PF está terminantemente proibida de entrar nessa seara.

      Como a família bolso não pode mais fazer rachadinhas, agora vão de motosserras atrás do rachadão da madeira.

      O tal do salles intermedia a negociata, por isso ele não é chutado pra fora pelo demônio.
      Ele faz o trabalho sujo que o queiroz fazia.
      Simples assim.
      Um abraço,
      JL

  2. Hoje dia 3 de maio dia mundial da liberdade de imprensa, Merece Destaque no Brasil – SJMRJ Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, tem liberdade maior na Imprensa como Ter o SJMRJ Para todos os Jornalistas de todo o Brasil, Viva a Liberdade de Imprensa no Brasil 2021.

  3. Não existe dúvidas; o objetivo é deixar claro que não temos condições de administrar um bem global como a Amazonia e com isto, justificar a tomada do que tanto almejam.

Deixe uma resposta para Espectro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *