Entrevista de Luis Ricardo Miranda ao O Globo bloqueia ações do governo contra o seu depoimento à CPI

Depoimento do servidor tornou-se público com antecipação de 24 horas

Pedro do Coutto

O governo, principalmente através do ministro Onyx Lorenzoni, tentou durante o dia de ontem, quinta-feira, bloquear de todas as formas possíveis o depoimento que Luis Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde e irmão do deputado federal Luis Miranda, apresentará no dia de hoje à Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia.

Não adianta qualquer novo esforço, pois a entrevista projetada por Natália Portinari, Julia Lindner e Thiago Bronzatto, no O Globo, baseada numa sequência de perguntas e respostas, já demonstra o que o funcionário irá dizer à CPI.

ANTECIPAÇÃO – Seu depoimento tornou-se público com antecipação de 24 horas, tempo suficiente para produzir efeitos políticos  bastantes contundentes à administração de Jair Bolsonaro, recaindo com forte carga de críticas à atitude ou ao silêncio do ministro Eduardo Pazuello.

Luis Ricardo Miranda revela que levou pessoalmente ao presidente da República a denúncia referente aos preços da vacina produzida pela Índia, a Covaxin, muitos superiores a todos os demais preços apresentados, antes da iniciativa sombria do governo brasileiro.

Os preços, conforme a imprensa publicou, eram muito superiores ao valor de cada unidade. Mesmo assim, o Ministério da Saúde procedeu ao empenho financeiro. Na versão de Lorenzoni e do ministro Marcelo Queiroga não foi feito pagamento algum, embora o processo incluísse um pedido de antecipação, ou seja, pagamento antes da encomenda chegar.

QUESTIONAMENTO – “Não houve pagamento”, diz Queiroga e “nem haverá”, acrescentou. O que representa isso? A resposta só pode ser obtida por intermédio de nova indagação: por quais motivos a verba respectiva foi empenhada na contabilidade do governo brasileiro?  Não há saída possível, inclusive porque transita na Esplanada de Brasília a versão de que pagamentos estavam pelo menos consignados à empresa indiana.

O fato causou uma explosão no governo Bolsonaro, conforme eu disse no artigo de ontem nesta Tribuna da Internet. Se não houve corrupção, houve tentativa. E se a tentativa não se realizou, e nem se realizará, o país deve à reação de Luis Ricardo Miranda e da imprensa brasileira ao fato que causa perplexidade e que não se limita a aceitar argumentos de que as compras não foram feitas, mas que engloba a possibilidade de terem sido feitas se não fossem as publicações dos fatos.

O sistema defensivo do Planalto foi ultrapassado largamente por aqueles que tentaram obter lucros enormes à custa de centenas de milhares de pessoas que precisam da vacinação apenas para terem o mais elementar dos direitos, o direito à vida, o direito à condição humana.

TEIA DE INTERESSES – O servidor Luis RicardoMiranda foi levado ao presidente Jair Bolsonaro por seu irmão, o deputado Luis Miranda, que chamou atenção devido às falhas em documentos voltados para a aquisição das vacinas procedentes da Índia. O assunto desenvolve-se numa teia dos interesses ilegítimos  e de comprometimento de vários personagens tanto por ação quanto por omissão.

Luis Ricardo Miranda tornou-se uma testemunha chave na história da vacina que viria da Índia, vencendo obstáculos da distância e da preferência. Provavelmente o negócio não será mais concretizado, mas essa sombra pode abrigar outras tentativas que ainda não vieram à tona da imprensa, da política e da administração pública.

O dia de ontem nos meios de comunicação definitivamente foi péssimo para o governo que navega sem rumo nas águas revoltas da tempestade de erros.

12 thoughts on “Entrevista de Luis Ricardo Miranda ao O Globo bloqueia ações do governo contra o seu depoimento à CPI

  1. Cada vez mais não há surpresas para chegarmos à conclusão que Bolsonaro e Luiz Inácio são parecidissimos nas falcatruas, nas mentiras, apenas Luiz Inácio é mais blindado pelo STF.

    Precisamos de Simone Tebet já.Por isso, gritamos nas ruas: ” um, dois, três, quatro, cinco mil, queremos SimoneTebet, PRESIDENTE DO BRASIL!
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!

  2. Simone Tebet, Simone Tebet …

    Nada contra a moça, mas duvido que ela saiba arrumar o seu guarda roupas ou fritar ovos ou passar uma camisa ou cuidar da sua própria casa!

    Em outras palavras:
    que experiência tem a Simone de administração pública??!!
    Outra questão:
    Mais um parlamentar???
    As experiências de antes não contam que os egressos do parlamento só causam problemas??!!

    Temos mais de 210 milhões de habitantes, e logo do antro de venais temos de escolher a terceira via??!!

    Pelo amor de Deus!
    Temos empresários, advogados, professores, médicos, engenheiros … não haveria um nome fora desse ambiente degradante, corrupto, incompetente e altamente nocivo e nefasto ao povo e País??!!

    Tá a Simone é bonita, simpática, fala bem mas … e quanto ao principal??!!

    Já vi que continuaremos a errar indefinidamente.

    Repito:
    a senadora pode até ser boa pessoa mas, a ponto de só por isso e por ser sua obrigação ser uma parlamentar correta, termos esperanças de melhoras para a população brasileira com a sua eleição, a distância é como daqui à Nebulosa de Magalhães!!!

  3. O trambiqueiro da Matrix ,golpista estelionátario, que deu golpes e mais golpes em pessoas que tinham a ilusão de ganhar money na moleza já está em campanha para eleições do ano que vem.
    Sabe como é, não pode acabar ‘”de mamar nas tetas públicas.””

    Viva a Corrupção.!!!

  4. Simone Tebet bate Luiz Inácio, Bolsonaro, e tantas outras candidaturas que tentam se.mostrar capazes como essa mulher de lutas através da simplicidade e sem os clichês de todos.
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!
    SIMONE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *