Ex-diretor da Saúde recebeu 129 telefonemas de empresária que fazia contratos sem licitação

Roberto Dias deu aval para aditivo de R$ 18 milhões com a VTC, empresa investigada pela CPI da Covid; valor foi 1.800% acima do recomendado por área técnica Foto: ADRIANO MACHADO / REUTERS

Roberto Dias está cada vez mais envolvido na corrupção

Leandro Prazeres
O Globo

Dados da quebra de sigilo telefônico do ex-diretor de logística do Ministério da Saúde Roberto Dias revelam uma série de contatos com uma empresa investigada pela CPI da Covid, além de ligações e mensagem de texto com políticos da base do governo Bolsonaro.

Os registros, aos quais O GLOBO teve acesso, estão sendo analisados pela CPI da Covid e fazem parte de uma frente de investigação que apura suspeitas de irregularidades em contratos firmados pela pasta durante a pandemia.

135 TELEFONEMAS – Os dados abrangem o período de abril de 2020 a junho de 2021 e desconsideram as chamadas realizadas por aplicativos de mensagens eletrônicas como WhatsApp ou Telegram. Segundo os registros, a pessoa com quem Dias mais manteve contato foi Andreia Lima, CEO da VTC Operadora Logística.

Ao todo, foram 135 ligações entre os dois. O ex-diretor da Saúde atendeu a 129 chamadas de uma linha de telefone celular utilizada pela executiva. Ele, por sua vez, realizou seis chamadas para ela. Somados os tempos de todas as ligações, os dois se falaram por quatro horas e dezoito minutos.

SEM LICITAÇÃO – A VTC Log entrou na mira da CPI em meio a suspeitas envolvendo contratos obtidos com o Ministério da Saúde. Na semana passada, O GLOBO mostrou que os negócios da empresa com a pasta aumentaram 70% no período em que o ministério foi comandado pelo atual líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), entre 2016 e 2018. No total, os contratos somaram R$ 257 milhões, dos quais R$ 253 milhões sem licitação.

O Jornal Nacional, da TV Globo, também revelou que Dias deu aval para o pagamento de um aditivo de R$ 18 milhões à VTC Log, um valor 1.800% superior ao que a equipe técnica havia recomendado. Atualmente, a empresa é responsável pela distribuição e armazenamento de equipamentos e insumos como vacinas comprados pelo Ministério da Saúde.

O histórico de chamadas de Dias mostra que algumas ligações ocorreram em períodos próximos às datas em que a VTC e o ministério trocavam ofícios e debatiam os valores que a empresa alegava ter direito a receber, situação que só foi resolvida com o aditivo de R$ 18 milhões.

TOCA, TELEFONE – No dia 21 de outubro de 2020, a VTC Log enviou uma fatura de R$ 53 milhões ao ministério. Dois dias depois, Andreia Lima ligou para Dias. Em 5 de janeiro, a empresa enviou outra conta atualizando o valor para R$ 55 milhões e cobrando o pagamento. Seis dias depois, Andreia voltou a ligar.

Em 16 de fevereiro, a VTC enviou novo ofício atualizando o valor para R$ 57 milhões. Entre os dias 17 e 24 de fevereiro Andreia e Dias se falaram 12 vezes.

Em meio à controvérsia, no dia 4 de março, o então coordenador-geral de logística do ministério, tenente-coronel Alex Lial Marinho, que era subordinado a Dias, assinou uma nota técnica concordando com uma proposta de aditivo de R$ 18 milhões. O valor era inferior aos R$ 57 milhões solicitados pela VTC Log, mas 1.800% maior ao recomendado inicialmente pela área técnica da pasta.

ADITIVO ASSINADO – O documento foi assinado por Lial às 13h12 daquela quinta-feira. No mesmo dia, às 21h02, Andreia Lima ligou para Dias. Em 20 de maio, o aditivo foi assinado por Dias e dois sócios da VTC. Dois dias depois, às 23h24, Andreia ligou para Dias.

Procurada, a VTC Logística afirmou por meio de nota que não teve acesso aos dados em posse da CPI. Em relação ao aumento no volume de contratos, a empresa disse desconhecer “qualquer vantagem ou aumentos expressivos em contratos firmados com o ministério entre 2016 e 2017”. Sobre o aditivo assinado por Dias, a VTC enviou um ofício à comissão negando irregularidade.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Diante de tantos telefonemas, Sílvio Santos perguntaria se era amor ou amizade… (C.N.)

3 thoughts on “Ex-diretor da Saúde recebeu 129 telefonemas de empresária que fazia contratos sem licitação

  1. NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Diante de tantos telefonemas, Sílvio Santos perguntaria se era amor ou amizade… (C.N.)

    Boa…!!
    eh!eh!eh!eh

    Páis da Piada Pronta, nós da Terrinha de Cabral e Camões estamos finalmente mais do que vingados.

    “A vingança é um prato que se come frio, e pelas beiradas”;…

    Como se dizia antigamente.

    Pais da piada pronta, é uma fonte inesgotável de piadas….

    Alô Cabral, prepare as Caravelas, já estou indo á elas….

  2. Intermediária da Covaxin recebeu de clínicas R$ 9,5 milhões como ‘adiantamento’ por vacina que não chegou

    Precisa Medicamentos vendeu a vacina indiana a clínicas privadas na expectativa da aprovação pela Anvisa, que não se concretizou

    Natália Portinari e Julia Lindner
    21/07/2021 – 11:11 / Atualizado em 21/07/2021 – 14:26

    https://oglobo.globo.com/brasil/intermediaria-da-covaxin-recebeu-de-clinicas-95-milhoes-como-adiantamento-por-vacina-que-nao-chegou-25119772?utm_source=globo.com&utm_medium=oglobo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *