Flávio Bolsonaro e Caio Andrade, dois nomes que merecem ser punidos e depois esquecidos

Mais uma vez, Flávio Bolsonaro demostra ser preconceituoso

Vicente Limongi Netto

Guardem os nomes da famigerada, patética, repugnante e medonha dupla: senador (vá lá, vá lá…) Flávio Bolsonaro e Caio Mario Paes de Andrade, indicado pelo parlamentar para ser secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério Público. Função pomposa. Mas exercida por um desprezível asno  que chamou servidores públicos de “espertinhos”.

Flávio Bolsonaro, por sua vez, o famoso “rei” das rachadinhas à época da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, é aquele mesmo que comprou mansão em Brasília por 6 milhões de reais. Desesperado, tentando livrar o couro do pai, o infame Flávio desdenhou  das mulheres, em infeliz e estúpida declaração na CPI da Covid. 

LAVAR A BOCA – Na “opinião” do boçal Flávio, as mulheres “já foram mais respeitadas e indignadas”. Os dois grosseiros, senador e secretário, precisam lavar a boca com palha de aço e detergente, antes de insultar as mulheres e os servidores públicos. e mulheres. Beócios, arrogantes e engravatados, bem merecem o repúdio e a indignação dos brasileiros de bem. #fora,estúpidos.

Mudando de assunto, os ex-presidentes da OAB Nacional merecem ser lembrados nas comemorações dos 87 anos da entidade. Nomes como Bernardo Cabral, Reginaldo Oscar de Castro e Ophir Cavalcante, entre outros, honraram a Ordem dos Advogados do Brasil. Exerceram o cargo com altivez, bravura, dignidade e patriotismo. Merecem ser homenageados.

DEU NO CORREIO – Alguns assuntos da edição do Correio Braziliense despertam muito interesse. Por exemplo, o ministro da Justiça, Anderson Torres, pergunta, com laivos irônicos: “A CPI tem que ter um objetivo concreto, vai investigar exatamente o quê?”. A seguir, o desarticulado ministro acena com loas ao governo: “Vamos investigar quem viabilizou os recursos para o combate à pandemia? Preciso entender melhor essa CPI”.

Nessa linha, creio que o editorial do jornal, “O que o Brasil espera da CPI”, responde com clareza e exatidão, às pungentes dúvidas do ministro da Justiça: “O Brasil não quer politicagem. Quer saber se ações e omissões de agentes públicos contribuíram para agravar a tragédia que já ceifou mais de 400 mil vidas no país. E se cometeram crimes, que sejam punidos. É esse o ponto que interessa”.

BRASIL LASCADO – Por fim, tratando do BBB 21,sob o título ” O Brasil tá lascado”, no caderno Cidades,  o excelente colunista Alexandre de Paula derrama-se em elogios ao brother Gilberto.

Endosso até as vírgulas do Alexandre. O pernambucano é cativante. Porém, como assíduo telespectador do programa,  jogo minhas fichas, admiração, votos e  torcida pelo primeiro lugar, na extraordinária paraibana Juliette. O terceiro lugar, acredito que ficará com o “entediante” Fiuk, como definiu Alexandre. O que, convenhamos, já é demais para o caminhão do filho do romântico Fábio Júnior e irmão da bela Cleo.

7 thoughts on “Flávio Bolsonaro e Caio Andrade, dois nomes que merecem ser punidos e depois esquecidos

  1. Dos 21 deputados estaduais da ALERJ, Falvio Bolsonaro é o 17º em valores movimentados na rachadinha do Rio de Janeiro. Se o Flavio é o “rei da rachadinha”, como chamar os 16 deputados que estão a frente dele em valores movimentados? O que dizer de André Ceciliano, número 1 em movimentação de valores? Seria ele o “deus da rachadinha”?

  2. André Ceciliano, número 1 em movimentação de valores acontece que o dito edil é PTrambiqueiros.

    trambiqueiros. substantivo masculino
    indivíduo que aplica ou dá trambique(s); golpista, vigarista.

    mas acontece que a postagem do 17º no trambique na mídia NÃO vai render nada, pois ninguém conhece o que esta no em 1º lugar em trambicagem, a não ser a população da cidade RJ ou seja reportagem já nasce morta.
    Poderia o dito jornalista publicar o nome dos demais edis do 1º ate o ultimo com os valores dos trambiques. Se não puder prestar este serviço a nação fique calado.

Deixe uma resposta para Írio OLing Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *