Generais que ajudaram a criar a Petrobrás em 1954 não existem mais, estamos num outro mundo

Charge do Alpino (Yahoo Notícias)

Roberto Nascimento

Realmente, não adianta propaganda e marketing, se os fatos não correspondem à enganação para boi dormir. Salários congelados e preços de produtos de primeira necessidade subindo velozmente, porque o diesel está em alta e o custo do frete e dos transportes aumenta a inflação.

Na bomba de gasolina, litro chegando e passando de seis reais, dizem que é para estimular a venda de refinarias da Petrobras, uma política de privatização em massa dos ativos do petróleo, que já foi nosso. Os generais que ajudaram a criar a Petrobrás em 1954, não existem mais, estamos em outro mundo. Vende-se tudo, até a alma nacionalista.

IGUAL AO ALENCAR – Quanto ao general Hamilton Mourão, está parecendo com o José Alencar, empresário mineiro e vice do Lula, que discordava dos juros altos em público.  E Lula nem esquentava, assim como Bolsonaro também não se incomoda com as críticas de Mourão, apenas o escanteia, deixa de lado.

Mourão não chega a ser um contraponto, são divergências pontuais. Por exemplo: Mourão foi a favor da Copa América, é contra o ativismo judicial do STF, apoia ações militares nas comunidades do Rio de Janeiro, enfim, ele e Bolsonaro são vinhos da mesma pipa, com tons discordantes dependendo dos fatos.

Mourão não tem carisma para vencer eleição majoritária, somente se for pendurado em alguém que tenha votos. Se romper com o governo, será o último da lista. Daí que no ano da eleição terá de se acertar com Bolsonaro para sobreviver na Política. O pragmatismo é o dogma dos políticos e militares, criados na filosofia positivista, sejam civis ou militares.

FOGUEIRA DAS VAIDADES – Há muita lenha para queimar nessa fogueira de vaidades, antes do pleito de 2022. Data vênia, ainda não estou entrando no mérito da dicotomia entre Bolsonaro versos Lula. Quem vai ganhar em 2022 ou não…

O problema é o drama que vivemos, com quase 500 mil brasileiros que não tiveram chance de vencer o vírus, porque um grupo das sombras apoiou a imunidade de rebanho. Qualquer um pode pegar o vírus, os mais fracos morrem e todos os sobreviventes ficam imunizados, e a indicação do tal kid defendido pelo governo não serve para nada.

Quanto à política, qualquer um que for eleito pelo povo passa a ser Comandante Supremo das Forças Armadas, que devem obediência ao presidente. Não é o que Bolsonaro cansa de afirmar? Mas devem obediência apenas na forma da lei, sem estados de sítio ou golpes.

RECORDAR É VIVER – Sempre é bom lembrar que Lula governou oito anos, sem nenhuma rusga com os comandantes militares. Inclusive chamou Nelson Jobim para ministro de Defesa. Agora, olhem o exemplo atual…

Não defendo a volta de Lula à Presidência, porque ele já teve o seu tempo de Poder, mas, por dever aos fatos, não há paralelo com o que estamos passando agora. As vezes dá vontade de nem escrever mais, de tantas coisas negativas, em todos os sentidos.

Muita tristeza e um medo daquele velho terror voltar com toda sua carga.

8 thoughts on “Generais que ajudaram a criar a Petrobrás em 1954 não existem mais, estamos num outro mundo

  1. Prezado Roberto Nascimento.
    O terror, velho ou novo, já está entre nós; se quiseres confirmar, pergunte a família da modelo que foi baleada e morta semana passada em comunidade do RJ, ou então aos dois transeuntes que perderam um olho cada um, baleado por inepto guarda de choque aqui no Recife, PE.
    Mas, faz parte da luta e lembremos o grande Hélio Fernandes, “lutar o bom combate”.
    E tenha certeza que suas armas são poderosas; não nos prive de sua inteligência, por favor.
    Vamos acalmar nossa alma, pois eles passarão.
    A respeito do petróleo, poderíamos entregar tudo para as gananciosas potências colonialistas, sejam países ou multinacionais, mas, com a condição de que todo equipamento para refino, transporte, extração fosse feito em nosso território e o que não tivéssemos tecnologia, seria nos repassado.
    Num piscar de olhos seríamos uma Coreia do Sul.
    Mas, é um sonho de verão, pois a ambição de lucro cada vez maior está na alma deles e dane-se o resto e neste caminho vão cooptando e comprando os vendilhões da pátria.
    Abraço Grande Guerreiro.

  2. Roberto Nascimento: definitivamente, não estás só, nessa tua análise.

    Mais: esses calhordas passarão.

    Não podemos abdicar de nossa capacidade de luta nos mais diferentes campos de atuação.

    Prossigamos.

    • Valeu Batista Filho.
      Lembrando o saudoso Ulisses Guimarães, o Senhor Diretas: “Ditadura Nunca Mais”. Estamos órfãos de políticos de verdade, desde que o nosso grande timoneiro partiu, nas aguas profundas de Angra dos Rris.
      Que falta nos faz, também, o valente Leonel Brizola, o governador do Rio de que mais construiu Escolas/ CIEPS na história do Brasil.
      O melhor senador do Rio, o educador e Antropólogo Darcy Ribeiro, não temos mais. Ficou aí, esse bando de aventureiros, que pouco pensam no Brasil, principalmente, os eleitos em 2018.
      Temos sim, bons políticos, é claro, apesar de serem muito poucos para serem citados, os mais estão escurecendo o ambiente nacional.

  3. Bom dia , leitores (as):

    Senhor Jose Pereira Filho , acontece que todos atributos mencionados acima a ” PETROBRAS – BRASIL ” , já os tem , mas infelizmente despomos em maior número e envergadura de ” INIMIGOS NACIONAIS INTERNOS “, somados a omissão e passividade da grande maioria do povo Brasileiro , vede o caso da crise médico-sanitária onde mais de 400 mil morreram e o Presidente Jair Bolsonaro segue ” DEBOCHANDO , CAÇOANDO ” dos mortos e seus familiares e fazendo pouco caso .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *