“Hoje, trago em meu corpo as marcas do meu tempo, meu desespero, a vida num momento…”

Taiguara

Taiguara, o compositor mais censurado do Brasil

Paulo Peres
Poemas & Canções


O cantor e compositor Taiguara Chalar da Silva (1945-1996) nascido no Uruguai durante uma temporada de espetáculos de seu pai, o bandoneonista e maestro Ubirajara Silva, foi um dos melhores compositores da MPB e considerado um dos símbolos da resistência à censura durante a ditadura militar, tanto que teve, aproximadamente, 100 músicas vetadas, razão que o levou a se auto-exilar na Inglaterra em meados de 1973.

A letra da música “Hoje” foi censurada, porque fazia alusão ao governo militar, à tortura ( trago em meu corpo, as marcas do meu tempo) e insinuava que a sociedade era infeliz sob o comando da ditadura militar. A música foi gravada por Taiguara no LP Hoje, em 1969, pela EMI-Odeon.

HOJE
Taiguara
Hoje
Trago em meu corpo as marcas do meu tempo
Meu desespero, a vida num momento
A fossa, a fome, a flor, o fim do mundo…

Hoje
Trago no olhar imagens distorcidas
Cores, viagens, mãos desconhecidas
Trazem a lua, a rua às minhas mãos,

Mas hoje,
As minhas mãos enfraquecidas e vazias
Procuram nuas pelas luas, pelas ruas…
Na solidão das noites frias por você.

Hoje
Homens sem medo aportam no futuro
Eu tenho medo acordo e te procuro
Meu quarto escuro é inerte como a morte

Hoje
Homens de aço esperam da ciência
Eu desespero e abraço a tua ausência
Que é o que me resta, vivo em minha sorte

Sorte
Eu não queria a juventude assim perdida
Eu não queria andar morrendo pela vida
Eu não queria amar assim como eu te amei.

5 thoughts on ““Hoje, trago em meu corpo as marcas do meu tempo, meu desespero, a vida num momento…”

  1. Saudades quando havia música verdadeira, letra e música, hoje só tem tal de funk, detesto esta porcaria, a mídia faz de conta que gosta, mas tudo por causa do dinheiro.

  2. TAIGUARA, que em tupi, quer dizer Livre, Senhor de Si, “Dono da Própria Venta”; era filho do Senhor da Lança, UBIRAJARA, seu genitor.
    TAIGUARA fora muito perseguido aqui pela ditadura, devido ao conteúdo de suas letras musicais, bem como pelo seu suposto apoio intelectual ao grupo revolucionário da sua pátria, Uruguai, Tupamaros.
    Nada mais desperta tanta saudade num ser de peito vulcânico, na sua faixa etária – de criança a adolescente – como esta lista abaixo. “É minha vingança; eu não posso destruir, mas existe alguém destruindo por mim”:
    – Movimento Revolucionário Túpac Amaru (MRTA) e Sendero Luminoso (Peru), os Montoneros e o Trotskista Exército Revolucionário do Povo (ERP), na Argentina, ou o Movimento de Esquerda Revolucionária (MIR) e a Frente Patriótica Manuel Rodriguez (FPMR), no Chile. No Brasil: MR-8, VAR-Palmares, Colina, VPR, MNR e outros fragmentos.
    Colômbia: FARCs, ELN.
    Frente Farabundo Martí (FMLN) em El Salvador com Mauricio Funes, e na Nicarágua, a Frente Sandinista (FSLN). Era a América Latina, em brasas!

    PS: o dia em que Silas Malafaia sussurrar no ouvido de Bolsonaro, para informar-lhe que o VAR-Video Assistent Referee, usado nos estádios, e que nele consta uma partícula do grupo revolucionário, VAR-Palmares, a partir daí o Capetão vetará o equipamento das partidas de futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *