Inflação avança 8%, mas o governo deixa os salários na estaca zero

Charge do Jorge Braga (Arquivo Google)

Pedro do Coutto

O IBGE divulgou ontem a taxa inflacionária acumulada dos 12 meses que vão de maio de 2020 a maio deste ano. A alta superou praticamente por 40% a previsão inflacionária feita pelo Banco Central e referendada pelo Ministério da Economia.

Enquanto os preços avançam tanto, os salários ficam menores a cada lance da corrida que se eterniza principalmente no Brasil com a perda do poder de consumo. A reportagem no O Globo sobre a taxa inflacionária é de Carolina Nalin e Alex Braga. Na Folha de São Paulo de Leonardo Vieceli.

DILEMA – A preocupação dos assalariados, enorme maioria dos que trabalham no Brasil, parte do dilema de como enfrentar preços ascendentes se o preço dos seus vencimentos estão estagnados? É uma pergunta que o governo não responde ou sequer faz menção à elite de técnicos que ocupam lugares de destaque no planejamento da economia e no universo financeiro.

O universo financeiro ainda é objeto de apoio oficial, basta dizer que as as reportagens assinalam que o governo deve elevar a taxa Selic, uma vez que a remuneração dos papéis encontra-se em 3,75% ao ano e a inflação é mais que o dobro desta taxa.

Os que divulgam mais essa etapa de absurdo social revelam que a Selic tem como objetivo conter os juros bancários. Não é nada disso. Os bancos, repito mais uma vez, não são devedores da Selic. São credores. A taxa Selic incide sobre o total de notas do Tesouro Nacional colocadas no mercado e que lastreiam a dívida líquida do governo.

SEM SAÍDA – O fato extremamente crítico é o de que os assalariados encontram-se sem saída e não sabem que rumo tomar porque, ao contrário do que já frisou o presidente Bolsonaro, a escassez de dinheiro não pode levar à abertura de créditos bancários. Isso é claro, pois se além da inflação, os assalariados forem enfrentar ainda os juros bancários, estarão completamente perdidos em uma floresta de contradições. São tantas as obrigações dos assalariados e tão poucas as alternativas que o panorama da economia brasileira apresenta enormes desafios. Neste panorama é impossível alcançar qualquer desenvolvimento social.

Os bancos, como é o caso do Itaú, do Bradesco, do Banco do Brasil, da Caixa Econômica e do Santander apresentaram lucros altíssimos em 2020, na escala de R$ 12 bilhões a R$ 15 bilhões. Logo houve débito de alguém ou de algum setor.

É um princípio banal de contabilidade o de que não pode haver crédito sem débito. Alguém pagou a conta. O panorama geral, assim, é de calamidade. Os seres humanos no Brasil estão ameaçados se a política econômica e social do Planalto permanecer onde se encontra.

JULGAMENTO NO STF – Uma questão que se coloca está exposta na reportagem de Thiago Resende e Matheus Teixeira, Folha de São Paulo, sobre um julgamento que está para ser concluído no Supremo Tribunal Federal sobre o valor das aposentadorias do INSS. Houve um corte nas aposentadorias no governo FHC. O teto, na ocasião, era de 10 salários mínimos. Foi reduzido para 5 salários mínimos.

Os trabalhadores e trabalhadoras descontaram sobre 10 salários mínimos e, na hora de se aposentar, o teto foi reduzido. O impasse será resolvido pelo STF, mas pela reportagem a tendência é o de não aceitar a ação da reposição das perdas provocadas pelas engrenagens de mais de duas décadas. O que fazer? Mais uma etapa negativa para quem vive do seu trabalho.

14 thoughts on “Inflação avança 8%, mas o governo deixa os salários na estaca zero

  1. 1) Bom artigo como sempre Pedro do Coutto.

    2) A meu ver, importante notícia hoje, em termos de RJ, é a saída do Deputado Freixo do PSOL para o PSB…

    3) Lembrei de antigo ditado: “Esquerda radical é da adolescência até os 35 anos, depois viramos Social Democracia”.

  2. Pedro do Coutto toca no ponto nevrálgico de qualquer governante pois, todos, sem distinção são desonestos, corruptos, ladrões do dinheiro do povo trabalhador e aposentado!

    Faz oito anos que os servidores estaduais do RS não têm um centavo de reajuste.
    A inflação nesse período deve ter corroído o salário em torno de mais ou menos 30%.

    A defasagem do poder aquisitivo aumenta, em razão de o governo federal se negar a atualizar a Tabela de Restituição do Imposto de Renda, que também assalta os vencimentos com desconto na fonte, e reposição muito aquém daquela que deveria ser devolvida no ano seguinte, mediante exploração e confisco durante os meses do ano anterior!

    O governo ROUBA o povo descaradamente.
    Explora, manipula, enquanto os “representantes do povo”, locupletam-se ilicitamente também roubando o cidadão!

    As diferenças salarias são absurdas e injustificáveis.
    Não há mais como aceitar passiva, omissa e até criminosamente de nossa parte, que um parlamentar receba mais de 200 vezes o valor do salário mínimo!!!
    Que povo somos nós?
    Bando de bundas moles?
    Que aceitamos covardemente ser manipulados, explorados e roubados sem qualquer reação??!!

    Aonde está o nosso orgulho?
    A nossa altivez?
    Aonde que escondemos tão bem, que não a encontramos mais, a nossa dignidade como cidadão??!!
    Concordamos que nos explorem, que nos façam de escravos por sete meses a cada ano, que estipulem eles mesmos os seus proventos, e admitimos tranquilamente esse confisco, esse assalto??!!

    Tornamo-nos, então, por força do hábito, um povinho de quinta categoria?
    Uma população de merdas?
    E ficamos quietos, calados, sem protestos, reclamações … nada??!!

    Os governantes seguem à risca uma orientação ao pé da letra, com relação ao contribuinte:
    Paulo Salim Maluf, símbolo da corrupção no passado, pois hoje tem quem quem lhe supere de longe, que alertava o seguinte:
    “estupra, mas não mata”;

    E o povo, seguindo orientações da sexóloga Martha Suplicy, que recomendava diante de situações iminentes:
    “relaxa e goza”.

    O detalhe é que nunca eu soube de relações sexuais sem beijinhos, pelo menos.
    Pois somos usados despudoradamente, e sequer nos dão beijos pelos orgasmos que possibilitamos aos nossos estupradores!!!

    Merecemos esse tratamento ofensivo, degradante, deplorável, inescrupuloso, pelo fato de não nos importarmos pessoalmente, também em termos familiares, profissionais e cíveis!

    Logo, agimos como prostitutas à espera de clientes, que sabemos que não vão nos pagar e ainda nos encherão de porradas!
    Mas, como gostamos deste tipo de aberração sexual …

  3. Um povo sem instrução é muito fácil de enganar. Os três poderes podres são exímios nisso. O nosso problema é falta de escolas. Isso vem desde D.João VI. Os que mandam no país não demonstram o menor interesse em alfabetizar a população. É o que chamam de povo gado. É levado facilmente para qualquer lugar. No nosso caso, para o inferno !

  4. Além da Inflação não reajustam a tabela do IRPF desde 2015.

    O aposentado do INSS, apesar de ter reajuste menor que a inflação dos alimentos, tem seu poder aquisitivo reduzido mais ainda devido a mordida do Leão neste reajuste.

    Não esquecendo que na campanha o Mito disse que iria revisar a Tabela do IRPF.

    Tabela do Imposto de Renda está defasada em 113,09%, diz Sindifisco.

    https://www.correiobraziliense.com.br/economia/2021/01/4899816-tabela-do-imposto-de-renda-esta-defasada-em-11309–diz-sindifisco.html

  5. Sr. Newton.
    Não tem níngúem neste Páis, PF,MPF,Receita Federal, STJ,STF, e demais Tribunais, para fechar essa Casa de Bandidos do Futebol. (CBF)..
    Veja a que ponto chegou os Corruptolas.

    Caboclo compra jato de R$ 71 milhões no dia de denúncia, CBF tenta anular… –

    Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/futebol/colunas/rodrigo-mattos/2021/06/11/caboclo-compra-jato-de-r-71-milhoes-no-dia-de-denuncia-cbf-tenta-anular.htm?cmpid=copiaecola

    PS. Olha ai, Paulinho Paulada, onde está o dinheiro que reclamas que não existe….

    • Sr. Armando,

      Que barbaridade e esta meu Deus do céu??!!
      Isto é assustador!

      Tá todo mundo roubando sem asco!

      Socorro!

      Cadê o balde?

      Um abraço,
      JL

  6. Só se reajusta o teto dos salários e os penduricalhos das elites. Os bancos continuam gerando lucros altíssimos, algumas categorias, como os militares, são agraciadas com aumentos. Os exportadores de commodities contentes, enquanto o povão sofre com a alta da inflação dos alimentos.

    – A tabela do IR não é alterada desde 2015.
    – A reforma administrativa só congela os salários de quem não tem muito poder de barganha.
    – Lucros e dividendos continuando isentos de taxas.
    – Exportação de commodities isentas de qualquer imposto, enquanto se cobram taxas dos alimentos vendidos aqui. .

    E há quem aplauda.

    • Não, não há quem aplauda.
      Mas, o pior é que não existe ninguém que reclame com informações e argumentos sólidos e coerentes. São sempre criticas vazias dos mesmos chorões de sempre.

  7. Pegando um “gancho” de mais de 2.000 anos (parodiando)

    “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro – 《Não podeis servir ao TRABALHO e ao CAPITAL》.

    Obs.1) A parte final de Mt 6:24 é “Não podeis servir à Deus e as riquezas”, segundo Bíblia traduzida por João Ferreira Almeida.

    Obs.2) O exposto bem acima também admoesta à perfeição a FARSA da “conciliação de classes”.

  8. A roubalheira desenfreada neste país, este é o maior mal, vejam a matéria sobre auxílio emergencial, que deveria ir para quem mais necessita, mesmo estando cadastrado corretamente, muitos deixaram de receber por incompetência deste governo, dá nojo viver num país como o nosso, tão bonito e tão maltratado, a CORRUPÇÃO É ESCANDALOSA, matéria do jornal O Dia hoje:

    https://odia.ig.com.br/economia/2021/06/6165859-tcu-aponta-que-mais-de-rs-54-bilhoes-foram-gastos-em-pagamentos-indevidos-de-auxilio-emergencial.html

  9. Quem vive de morar de aluguel, pede SOCORRO, corrigido pelo IGPM, acumula índice de 39%, quando o salário é reajustado em 5%, que país surreal que vivemos, é uma lástima, há um projeto no senado, que cria um novo índice, mas está lá andando a passos de tartaruga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *