Luís Miranda diz que as provas estão em seu poder e lamenta que o irmão tenha se acovardado

Brazilian Federal Deputy Luis Miranda adjusts his protective face mask during a meeting of the Parliamentary Inquiry Committee (CPI) to investigate government actions and management during the coronavirus disease (COVID-19) pandemic, at the Federal Senate in Brasilia, Brazil June 25, 2021. REUTERS/Adriano Machado

Miranda diz que estár sofrendo pressão da Polícia Federal

Deu no Correio Braziliense

O deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) chamou, nesta terça-feira (20/7), de tentativa de ‘calar testemunha’ a ação da Polícia Federal de encaminhar ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido para definir se o parlamentar pode ser investigado por denunciação caluniosa contra o presidente Jair Bolsonaro no mesmo inquérito em que o mandatário é investigado por prevaricação. “É uma tentativa de me intimidar”, disse.

Miranda iria depor à PF nesta terça-feira, mas o depoimento foi remarcado para a próxima semana a pedido do parlamentar. O caso se refere à suspeita de prevaricação de Bolsonaro no caso da vacina indiana contra covid-19 Covaxin, do laboratório Bharat Biotech, representado no Brasil pela empresa Precisa Medicamentos.

PRESSÕES ATÍPICAS – O irmão do deputado, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, disse à Procuradoria da República no Distrito Federal, e depois à CPI, que sofreu “pressões atípicas” para agilizar a importação do imunizante, apesar de problemas de valores na invoice (nota fiscal internacional) enviada pela empresa brasileira para pagamento.

Além disso, os dois disseram ter se reunido com o presidente em março, quando relataram as suspeitas. Na ocasião, segundo o deputado, Bolsonaro disse que encaminharia as informações para que a Polícia Federal abrisse inquérito, o que não ocorreu.

 “É uma tentativa, às vésperas do meu depoimento, de me intimidar mais uma vez, tentar calar testemunha, já que a imprensa já sabe que eu tenho todas as provas… Que eles, de certa forma, conseguiram calar meu irmão. Não sei se meu irmão se acovardou, ou se de fato ele não tem. Mas eu tenho todas, porque ele encaminhou para mim. E agora eles partem para cima de mim, mais uma tentativa, como sempre, de tentar calar as testemunhas”, disse Miranda.

TROCA DE TELEFONE – Quando fala sobre o seu irmão, Miranda se refere ao fato de o servidor ter dito à PF, em depoimento na semana passada, que trocou de telefone e não tem mais as mensagens que mostram as supostas pressões sofridas para agilizar a importação da Covaxin.

“Não tem embasamento jurídico nenhum (o pedido da PF), tendo em vista que nós não denunciamos o presidente; não denunciamos prevaricação de ninguém. Pelo contrário, denunciamos ao presidente suspeitas de desvio de conduta por parte de servidores em um contrato de importação de vacinas. Exclusivamente isso. A decisão se o presidente deveria ter feito algo ou não, se prevaricou ou não, isso não cabia a nós, e não nos coube, não fomos nós que denunciamos. Foram os próprios senadores (da CPI)”, disse o deputado.

CONCORRENTE NO DF – O deputado ainda criticou o ministro da Justiça, Anderson Torres, que enviou o pedido de abertura de inquérito policial contra Miranda ao diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino. Agora, a PF encaminhou os pedidos para parecer do STF. Torres é um dos cotados a disputar uma cadeira como deputado federal em 2022.

“Logo o Anderson Torres, que é candidato a deputado federal no mesmo estado, no Distrito Federal. Quer dizer, o ministro da Justiça, que é meu concorrente nas próximas eleições, porque a base dele é segurança pública, que é a mesma que a minha. Para ele é muito conveniente essa ação. Mas confio na justiça, na Polícia Federal, e tenho certeza que não prosperará a atitude mau caráter de algumas pessoas”, ressaltou.

7 thoughts on “Luís Miranda diz que as provas estão em seu poder e lamenta que o irmão tenha se acovardado

  1. Madame M. aparecendo novamente…

    Ela ajuda… ela contribui…

    Serão pegos!

    O Enigma M. será desvendado…

    Ninguém dorme na cloaca fétida do planalto…

    JL

  2. O Picareta Vigarista está em campanha para eleições do ano que vem, ninguém percebeu isso.??
    Se ele voltar pra Matrix é preso….
    Tem muitas contas para acertar lá.

  3. Agora a CPI da Gangue dos Sete (G7) e o jornalismo venal já podem acusar o Presidente da República pelo crime de “induzir a discórdia fraternal”; o próximo passo, é cutucar o sinistro Alê do PCC, para abrir mais um processo contra o intrépido Bolsonaro lá no stf (supremo tribunal de facínoras).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *