Mourão lamenta não ser chamado por Bolsonaro para reuniões do governo

Charge do Adnaell (humorpolitico.com.br)

Pedro do Coutto

Numa entrevista particular à jornalista Malu Gaspar, O Globo desta quinta-feira, o vice-presidente Hamilton Mourão lamentou não ter sido chamado pelo presidente Bolsonaro para participar de reuniões ministeriais e de assuntos importantes para o governo.

O vice-presidente acentuou “ele (Bolsonaro) sabe que a minha visão de mundo em muitos assuntos é totalmente distinta da dele, assim como o meu modo de agir. Eu não entendo por que o presidente me exclui dessas reuniões. E eu lamento porque deixo de tomar conhecimento de assuntos que o governo está debatendo. Lembrando que eu, eventualmente, posso substituí-lo e ter de decidir sobre algum assunto desses, que eu não sei nada. Então, eu não vou tomar decisão nenhuma se eu for substituí-lo numa situação dessas”.

ELEIÇÕES DE 2022 – A respeito de se manter candidato à Vice-Presidência nas disputas de 2022, Mourão ressaltou que jamais o presidente falou com ele sobre essa possibilidade: “Os indícios, as próprias declarações dele, são de que ele não deseja a minha companhia no seu projeto de reeleição. Ele também pode necessitar de um outro político ou partido em termos de composição político-partidária, um troço perfeitamente normal. Não tem nada demais isso pra mim. “

O general Mourão destacou ainda o avanço dos desmatadores em cima das terras públicas, daí a necessidade de se ampliar também a fiscalização, sobretudo porque quase 90% do desmatamento é ilegal. “Solicitamos ao presidente da República autorização para uma nova operação de garantia da lei e da ordem na região. É preciso deter o avanço da ilegalidade”, disse.

Relativamente à questão das polícias militares que poderiam ser usadas com um levante bolsonarista, Mourão sustentou: “Não tem espaço. Quando a gente procura um modelo histórico e quer transpor para o presente, tem de olhar quais são as causas profundas, as causas imediatas e aquilo que pode ser o pavio que incendeia e deflagra o processo. E o processo brasileiro é outro, totalmente diferente. Então, eu não temo nada disso daí”,disse. Um levante bolsonarista, pergunto, seria realmente o quê ? É preciso traduzir esse ponto da entrevista, bastante sensível.

CONFISSÃO DE CULPAO Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira que o empresário Carlos Wizard e o auditor do TCU Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques pudessem permanecer em silêncio na CPI da Pandemia. Na minha opinião só pode produzir provas contra si próprio aquele que reconhece tacitamente a existência dessas provas e, por isso, se esquiva de depor.

Mas essa é outra questão. O importante é registrar o fato porque acusados nesse processo da pandemia não se defendem diretamente e fazem opção pelo direito de ficarem calados. Se isso acrescenta algo é porque algum problema existe de concreto.

PROTESTOS  – O ex-presidente Lula da Silva, reportagem de Joelmir Tavares, Folha de São paulo, até ontem, estava avaliando a hipótese de participar do protesto no próximo sábado na Avenida Paulista contra o presidente Jair Bolsonaro e o seu governo. Esse é um fato importante e no caso do comparecimento de Lula seria a deflagração ainda mais ampla da luta eleitoral de 2022, com a campanha polarizada e antecipada de vários meses.

Trata-se de uma questão política que terá que ser decidida pelo ex-presidente da República, pois de fato a reunião nao poderá ser desmarcada.

7 thoughts on “Mourão lamenta não ser chamado por Bolsonaro para reuniões do governo

  1. O vice, general Hamilton Mourão está incomodado com o escanteio que Bolsonaro impõe a ele.
    Indica, que ele quer colaborar com o governo e isso é uma boa atitude do general.
    O presidente ficou enciumado com a popularidade de Mourão e suas conversas diplomáticas com representantes dos governos do Oriente Médio, da Europa, da China e dos EUA.
    Hamilton tem preparo intelectual, forjado nas Academias Militares para oficiais generais, logo conhece política e estratégia. Sabe portanto, as relações de causa e efeitos da guerra e da paz ,e o que essas situações pode atrapalhar a nação.
    Por essas razões, não será mais chamado para participar de nada. Os conselheiros palacianos devem ter colocado uma pulga atrás da orelha presidencial, afinal, o vice sempre é uma expectativa de Poder na vacância do cargo pelo titular.

    No caso de Wizard, não foi a melhor decisão fugir da CPI. Demonstra que está com medo. Quando alguém está sendo investigado, por qualquer motivo, a melhor estratégia é o enfrentamento duro aos inquisidores. Respostas firmes, sem rodeios e exigência de respeito a pessoa do investigado. Se possível colocar a disposição das autoridades, os sigilos bancários, fiscais e telefônicos. Quem não deve não teme.
    Por exemplo, a conduta do ex governador Wilson Witzel, na CPI na última quarta-feira foi correta. Ele respondeu a altura, a falta de educação do senador Flávio Bolsonaro e do senador Jorginho Melo de Santa Catarina, que foi extremamente grosseiro com o depoente. Deveria entrar com processo de Calúnia, Injúria e Difamação, já que, não há ainda o processo transitado em julgado de condenação por malversação de recursos do Estado, no exercício do cargo de governador.
    Quando o senador pelo Ceará de nome Girão, começou a alinhavar sua pergunta e Witzel percebeu que vinha na linha belicosa do Jorginho, pediu o boné para ir embora, deixando o senador cearense perplexo. A estratégia dos senadores bolsonaristas de entubar Witzel foi por água abaixo. Essa é a diferença entre pessoas bem preparadas e outras sem preparo para o embate das idéias no fórum judicial, em âmbitos de inquéritos, sejam policiais ou políticos . Witzel saiu vencedor. Foi lá na CPI, respondeu o que quis em sua defesa encontrando um palanque perfeito para sua defesa, o que lhe foi negado pelo Tribunal de Justiça e pela Assembleia Legislativa.
    Não se pode condenar ninguém, antes de julgar.

  2. Bolsonaro tem um ciúme doentio do Mourão. Por queres-te recebe uma atenção mais “carinhosa” da imprensa. Mas é absolutamente descabida, Mourão sempre se portou como um vice exemplar.

  3. Bom dia , leitores (as):

    Senhor vice-presidente da república Hamilton Mourão , pare de ‘ LAMURIAS , DE SE HUMILHAR E DE IMPLORAR ” atenção do presidente Jair Bolsonaro , ainda não deu para perceber que o senhor é superior e mais qualificado á ele e aos filhos dele , todos juntos ?

  4. Nenhum homem decente pode aceitar sem nenhum esboço de reação, ser achincalhado por um cangaceiro corrupto, como Renan Calheiros, e um corrupto suspeito de pedofilia, como Aziz. Foi o que fez o general Pazuello, de posse do habeas, respondeu a todas as perguntas e ainda debochou da ratazanas (“o sr deveria saber disto!”).

  5. A cada entrevista de Mourão, reforço minha certeza: da redemocratização para cá, tivemos vice-presidentes melhores do que os presidente! Até Temer ganhou de Dilma.
    Política assim, jamais garante o exercício pleno da democracia!
    Já passou da hora dos brasileiros enxergarem isto!
    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *