Na CPI, a atuação mais ridícula é de Eduardo Girão, que pensa ser “enviado de Deus”

Girão não quer apurar nada e fica tumultuando a CPI

Vicente Limongi Netto

Na CPI da Covid, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) está se comportando como um franciscano de plástico, enfiou na cabeça que é enviado de Deus. Desagradável e empolada figura, usa em vão o nome de Alan Kardec para exibir toda sua colossal subserviência ao Palácio do Planalto.

Fantasiado de homem puro para salvar os pecadores do planeta e da CPI da Covid, dorme com sandálias da blasfêmia. O que seria dos bons espíritos se Girão não existisse? O “paz e bem” da boca para fora do loroteiro Girão ecoa como lições de cinismo e oportunismo, na comissão.  #xôgirão.

AMEAÇAS E OFENSAS – O senador Renan Calheiros está recebendo insultos e ameaças pelo WhastsApp e redes sociais. É a tática imunda e covarde dos fantoches governistas tentando intimidar o relator da CPI da Covid. Calheiros reage com bom humor e avisa que não vai ficar “batendo boca com robozinho”.

Essa robotização é uma praga de abjetos e subservientes rastejando para alquimistas palacianos. É o desespero batendo na porta do governo. As investigações apuradas e checadas pela CPI anunciam nuvens negras e fortes tempestades nos telhados do Palácio do Planalto.

Os alicerces e paredes da bela obra de Oscar Niemeyer vão tremer. O último a fugir do terremoto que chame Bolsonaro e o serviçal fardado, Eduardo Pazuello para apagar as luzes da empulhação, do deboche e insensibilidade diante das mais de 470 mil mortes, vítimas da pandemia.

EXISTEM LIMITES – Afirmações firmes, republicanas e serenas do presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, no Correio Braziliense de 03/06, a propósito da reforma administrativa, advertindo que precisam ser fixados e salientados limites para engravatados oportunistas, palanqueiros e demagogos:

“Esta presidência não admitirá, em hipótese alguma, nenhum ataque aos servidores atuais, ao direito adquirido, a tudo que está posto hoje na legislação”, disse Lira, explicando que a Constituição é clara a respeito.

3 thoughts on “Na CPI, a atuação mais ridícula é de Eduardo Girão, que pensa ser “enviado de Deus”

  1. Falsos pastores, profetas e políticos. todos bandidos vestidos de ovelhas.

    há quem seja simultaneamente pastor, profeta e político com os 7 cifres e os 3 rabos do demônio.

    Legal que Angola tenha despertado para esse macabro triunvirato, aqui no Brasil, diferentemente reunindo a nata do lixo pseudo-político-religioso.

    Inveja-me a solidariedade dos pilantras.
    https://noticias.r7.com/brasil/com-a-presenca-de-dilma-templo-de-salomao-e-inaugurado-em-sao-paulo-13102016

    A Bíblia explica essa pilantragem: https://www.bibliaon.com/falsos_profetas/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *